8 principais indicadores financeiros de uma empresa

Um empreendedor preocupado com a situação econômica da empresa sabe que nenhuma decisão pode ser tomada ao acaso. Antes de se decidir, é essencial analisar inúmeros fatores — e os indicadores financeiros não podem ser deixados de lado.

Contudo, muitos profissionais não dominam o assunto e cometem erros. Consequentemente, a gestão se mete em maus lençóis e você não alcança os resultados que deseja. 

Este post tira as suas principais dúvidas sobre o assunto e ainda mostra 8 métricas que você precisa acompanhar de perto. 

Vamos lá?

O que são os indicadores financeiros?

No passado, os gestores acreditam que o desempenho da empresa estava relacionado apenas às quantias financeiras investidas, o número de funcionários contratados ou dispensados, os lucros obtidos e as dívidas realizadas.

Essa análise é fundamental, mas é incompleta. Hoje em dia, é preciso ir além desses conceitos e aprofundar-se em todos os setores da gestão.

Dessa forma, os indicadores financeiros representam um ponto estratégico de uma gestão estratégica. Eles são métricas que quantificam e qualificam a performance do dinheiro que circula da empresa. 

Ou seja, os indicadores financeiros mostram o quão saudável e escalável é o empreendimento.

Por que eles são importantes?

O capitão de um navio que navega sem direção tem grandes chances de naufragar, não é mesmo? Tomando as devidas proporções, é isso o que acontece com uma empresa que não analisa os indicadores financeiros.

Se você tomar atitudes equivocadas, provavelmente, não conseguirá pagar as contas e deixará o orçamento no vermelho. A fim de evitar essas situações, é essencial acompanhar tudo o que acontece na gestão —  e isso só é possível a partir dos indicadores financeiros

Esses valores ampliam o seu campo de visão, permitindo que você tenha atitudes mais precisas. Com o passar do tempo, o planejamento se torna mais eficaz e os erros tendem a diminuir.  

E não se esqueça dos imprevistos. Por mais bem preparado e capacitado que você seja, eles podem acontecer. Se você não tiver uma reserva financeira ou um plano B, não poderá evitar dores de cabeça.

Os indicadores financeiros são todos iguais?

Cada empresa tem características e metas diferentes. Dessa forma, não é recomendado fazer uma única análise em seus indicadores financeiros. Existem métricas para cada origem das informações e objetivos do estudo:

  • indicadores de estrutura de capital: valores que mostram o endividamento do negócio, sem se esquecer da capacidade de pagar os juros de dívidas e fazer a gestão crescer;
  • indicadores de atividade: apontam a velocidade com que a sua empresa é capaz de realizar e aumentar vendas, representando o total de atividades que aconteceram no intervalo em análise;
  • indicadores de liquidez: definem se o negócio consegue ou não cumprir as suas obrigações antes dos vencimentos;
  • indicadores de rentabilidade: evidenciam os lucros da gestão em relação aos ativos, investimentos e quantidade de vendas do negócio em diferentes períodos.

Como utilizá-los?

Até o momento, você deve ter percebido que os indicadores de desempenho têm um grande papel em sua rotina de trabalho. O próximo passo em sua jornada é otimizar a gestão estratégica ao saber como aplicá-los. 

Primeiramente, é necessário saber quais são os objetivos do negócio. Você quer reduzir custos? Deseja vender mais? Quer investir com poucos ou muitos riscos?

Essas perguntas são apenas alguns exemplos, nessas horas, analise o funcionamento de cada setor e entenda como eles se relacionam. Veja quais são as suas principais necessidades também.

Agora, estabeleça uma forma de organizá-los e armazená-los corretamente. Essas questões parecem simples, mas são fundamentais para facilitar os seus estudos. É possível  utilizar planilhas e realizar o trabalho manualmente. 

Quem deseja ganhar tempo e evitar dores de cabeça pode utilizar ferramentas que automatizam tarefas, como os softwares ERPs.

Por último, mas não menos importante, você precisa criar uma rotina para analisá-los. A interpretação dos resultados é o momento para comparar os dados obtidos com aquilo que foi determinado no planejamento.

Ao encontrar uma situação problemática, que não condiz com a sua gestão financeira, não hesite em colocar em práticas medidas, a fim de melhorar os indicadores financeiros.

Quais são os principais indicadores financeiros?

A seguir, você confere as métricas financeiras essenciais do seu empreendimento:

1. Retorno sobre investimento - ROI

Se você acompanha o mercado, provavelmente, já leu ou ouviu o termo “ROI” em algum artigo, vídeo ou qualquer outro conteúdo. Esse indicador financeiro mostra quanto dinheiro você está ganhando ou perdendo com os seus investimentos.

A partir disso, é possível saber qual operação valeu a pena ou não, seja uma campanha de marketing, seja um evento para atrair novos clientes.

Quem acompanha o ROI sabe responder algumas perguntas interessantes, como:

  • Quais ações geraram mais lucro?
  • Quais canais de comunicação apresentam os melhores resultados?
  • As campanhas de marketing são eficazes?
  • Qual é a performance da equipe de vendas?
  • O setor de atendimento ao cliente contribuiu para a atração e fidelização de consumidores?

Ao obter essas respostas, você toma decisões mais precisas, que trazem resultados melhores.

O seu cálculo é realizado assim:

ROI = (Ganho Conquistado - Investimento Inicial) / Investimento Inicial

2. Margem bruta

Esse é um dos indicadores financeiros mais conhecidos pelo mercado, pois mostra quanto você ganha em cada venda, considerando os gastos para produzir e vender o serviço ou a mercadoria.

A fórmula de cálculo da margem bruta é dada por:

Margem Bruta = Lucro bruto / Receita total * 100

3. Margem EBITDA

A Margem EBITDA, Earn Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization em inglês, aponta a geração operacional em caixa do negócio, antes da incidência da depreciação, da amortização e dos tributos.

Saiba que ela é chamada de margem LAJIDA, Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização, também.

Para calculá-la, basta seguir a fórmula abaixo:

Margem EBITDA = Depreciação + Amortização + Lucro Operacional Líquido

4. Margem líquida

Já a margem líquida evidencia o que sobrou do capital obtido com as vendas após a subtração de todos os gastos. Em outras palavras, ela deixa claro qual quanto você ganhou em cada venda.

O seu valor está inteiramente ligado ao seu crescimento, pois, quanto maior for a margem líquida, mais dinheiro você tem em caixa para fazer investimentos, como contratar mais funcionários ou assinar um emissor de notas fiscais.

A fórmula da margem líquida é:

Margem Líquida = (Lucro Líquido / Vendas) x 100

5. Margem de contribuição

Alguns empreendedores pensam que um grande número de vendas sempre é algo benéfico, mas isso não acontece em todos os casos. Em algumas situações, é possível ter prejuízo mesmo vendendo muito.

Nessas horas, a margem de contribuição é uma métrica que revela quanto do preço de um produto ou serviço colabora para pagar as despesas e gerar lucro.  Ou seja, se você estiver vendendo muito, mas com uma pequena margem de contribuição, provavelmente, enfrentará problemas para fechar as contas ao final do mês.

Por isso, você deve encontrar um valor de margem de contribuição adequado. Antes disso, estude a sua administração, considere os tipos de custos e separe cada um deles.

Após isso, faça o seguinte cálculo: 

Margem de Contribuição = Valor de venda unitária - (Custo Variável Unitário + Despesa Variável Unitária)

6. Ponto de equilíbrio

A análise dos indicadores financeiro não é algo que pode ser feito separadamente. E isso quer dizer que todos estão interligados.

O ponto de equilíbrio apresenta quanto você deve faturar, a fim de equilibrar as suas contas.

Assim sendo, esse indicador determina o “empate financeiro”, em que o os ganhos e as despesas de uma venda se igualam.

Essa informação faz com que você encontre a estabilidade da gestão. Se o ponto de equilíbrio estiver muito distante, há algo de errado em sua capacidade produtiva, e você precisa tomar alguma atitude para mudá-la.

A sua fórmula é:

Ponto de Equilíbrio = Despesas fixas / Margem de Contribuição

7. Cobertura de juros

Você sabia que nem sempre as dívidas representam um problema? Quando existe capital em caixa para saudá-las, por exemplo, você não precisa se preocupar tanto. Porém, quando não há dinheiro suficiente, é preciso tomar alguma atitude.

Nessas horas, a cobertura de juros pode te ajudar. Ela é uma métrica que mensura a competência da organização de pagar os juros contratuais, ou seja, cumprir as obrigações das dívidas.

Tenha em mente que ela é calculada assim:

Cobertura de juros = (Lucro Antes dos Juros e Imposto de Renda - Margem EBITDA) / despesas com juros anuais

8 . Lucratividade

Os conceitos de lucro e lucratividade parecem iguais, mas representam ideias diferentes. O lucro está relacionado ao que você fatura além das despesas. Já a lucratividade mostra o percentual de rentabilidade do negócio.

Calcule a lucratividade assim:

Lucratividade = Lucro Líquido / Vendas

Conclusão

Ao ler este post, você ficou por dentro dos 8 principais indicadores financeiros. A partir de agora, comece a registrá-los, documentá-los e analisá-los em sua rotina e veja como as suas decisões sobre as finanças podem trazer resultados melhores.

Saiba que é muito importante ter um contador ao seu lado também. Esse profissional tem o conhecimento necessário para te ajudar a tomar decisões mais precisas e evitar problemas.

Gostaria de aprender ainda mais sobre outros assuntos que influenciam o seu desempenho? Continue conosco e conheça 6 dicas para reduzir custos na empresa!

>