Saiba o que é cross docking e como usar

Atualizado há mais de 1 semana

Ao abrir um ecommerce, um empreendedor é cercado de conceitos e ideias que podem não ser exatamente conhecidas por ele, mas que, ao se aprofundar neles, podem ajudar muito o novo negócio. É o caso do cross docking.

Trata-se de uma estratégia logística muito adotada por quem possui uma loja virtual que foca no fluxo de mercadoria, dispensando o armazenamento.

Ele muda completamente o conceito de logística dando mais agilidade nas entregas de compras. Quer entender como? Fique no texto e conheça agora o cross docking.

O que é cross docking?

Trata-se de uma metodologia de distribuição na qual o produto é despachado do fornecedor diretamente para um centro de distribuição e é imediatamente enviado para o cliente.

O cross docking tem ganhado força nos ecommerces que, boa parte das vezes, não possuem uma estrutura física para armazenamento.

Se uma palavra pudesse traduzir o cross docking — que na tradução literal seria “cruzando docas” — seria agilidade. 

Isso porque todo o processo é muito ágil: o cliente faz o pedido, o ecommerce avisa ao fornecedor que envia ao centro de distribuição e por lá não ficam por mais de três dias.

O ideal, aliás, é que o despacho seja instantâneo.

Vantagens do cross docking

A principal vantagem do cross docking é fácil de decifrar: a agilidade. Mas não é a única.

Ausência de estoque

Armazenar produtos e acompanhar estoque custa dinheiro. Seja de insumos para manutenção do espaço ou para pagar um operador. Nem sempre uma ecommerce possui poder financeiro para isso.

Sem falar do risco que sempre existe de perdas, devido a prazos de validade, por exemplo.

Portanto, limar a necessidade de um controle de estoque é algo fundamental e o cross docking faz isso.

Nenhum produto fica em falta

Há de se perceber que, quando o produtor envia os itens de acordo com a demanda, pode-se concluir que o produto não fica em falta no estoque. Isso porque o fornecedor pode limitar um lote para a loja.

Algo que acaba inexistindo é a necessidade de fazer previsões de estoque fechadas, simplesmente porque o armazenamento é dispensado.

Baixo custo de operação

Você já leu por aqui que manter um estoque é caro. Requer um investimento que para uma ecommerce que está iniciando suas atividades pode ser aplicado em outros locais.

E o cross docking é uma maneira de usar seus esforços em produtos que valem a pena, que possuem demanda e possam ser despachados com agilidade.

Ganha a confiança de seu cliente

Por fim, é de se notar que o cliente pode ter seus produtos ainda mais rápidos que o habitual. E isso é certamente um fator que pode ser primordial para decidir uma nova compra no futuro, por exemplo.

As desvantagens do cross docking

O velho ditado de quem “nem tudo são flores” cabe aqui também. Isso porque o cross docking possui algumas desvantagens.

A primeira delas é que um simples atraso de fornecedor pode comprometer suas entregas e o cross docking não ser tão perceptível assim pelo seu cliente.

As avarias podem ser outros complicadores. Afinal, o produto sai do fornecedor sem você saber exatamente como ele está. E algumas surpresas com o estado dele podem fazer com que haja uma logística reversa por causa da devolução.

Outra desvantagem é que o centro de distribuição não ser próximo ao público que se deseja atingir, o que poderia fazer com que o produto viajasse muito para chegar ao cliente. 

Como funciona o cross docking?

O cross docking é um fluxo ágil que pode ser explicado da seguinte maneira;

  1. 1) A loja oferta um produto em seu site;
  2. 2) O cliente faz o pedido deste produto;
  3. 3) A loja confirma o pagamento e aciona o fornecedor no mesmo instante;
  4. 4) O fornecedor recebe o pedido e envia o produto para um centro de distribuição;
  5. 5) O centro de distribuição repassa o pedido para uma transportadora que efetivamente entregará o produto ao cliente.

Há dois termos importantes para se conhecer nesse processo. O primeiro é o veículo inbound que é o responsável por levar o produto do fornecedor para o centro de distribuição.

O segundo é o transporte outbound que será o responsável por levar o produto do centro de distribuição para o cliente. Muitas vezes esse é o papel da transportadora. 

Como fazer cross docking

Por mais que seja algo simples de se entender, é preciso seguir algumas práticas para implementar. E uma certa atenção para fazer tudo isso.

Tenha uma ERP

ERP é a sigla para Enterprise Resource Planning, ou seja, um sistema integrado de gestão que permite ligar todos os pontos nesse processo.

Mais do que apenas ligar, a ERP fará com que todos envolvidos no processo estejam sincronizados para que nenhum dê gargalo a outro e afete a entrega para o cliente.

O ERP será o responsável por centralizar as informações no processo, desde os produtos disponíveis para venda até o tempo em que o centro de distribuição leva para entregar.

Mantenha bons canais de comunicação

Por mais que o ERP possa centralizar as informações e deixá-las disponíveis a todos os envolvidos, é necessário ter bons canais de comunicação.

Nesse sentido, vale a pena se atentar a cada ponta desse processo. Com os fornecedores e centros de distribuição, é necessário que se tenha alinhado questões como prazos de envios.

E nisso, alinhar a melhor forma de comunicar como está o processo.

Por outro lado, é fundamental que seu cliente possa entrar em contato caso haja algo em desacordo com o combinado ou mesmo que você possa informar algum imprevisto.

Treine sua equipe

Esse tipo de metodologia exige que todas as pessoas estejam no mesmo tom. E mais do que isso, elas devem todas saber como agir e estar preparadas para aplicar o cross docking.

Por isso, aplique sempre treinamentos, mantendo a comunicação e a organização em dia.

É importante que todos estejam afiados com gestão para lidar com as atividades da maneira mais eficiente possível.

Escolha bem os fornecedores e o centro de distribuição

Esses dois agentes são primordiais para a operação. Por isso, a escolha deve ser muito cuidadosa.

O fornecedor precisa ser confiável e que seja flexível para criar acordos e reservar determinado lote para a sua ecommerce.

O centro de distribuição, por sua vez, deve ser ágil na entrega e estar em local próximo ao seu principal público-alvo.

Alguns empreendedores podem dispensar a terceirização e fazer o centro de distribuição em seu próprio local de trabalho e cuidar dele mesmo da distribuição.

Se a ideia é não ter produto parado, o cross docking pode funcionar dessa maneira, desde que para pedidos pequenos que não demandam de grandes espaços para serem armazenados até serem enviados ao cliente.

Conclusão

O cross docking é uma metodologia que agiliza o processo logístico de uma ecommerce dispensando que a empresa armazene produtos.

Ter estoque é algo natural para empresas que possuem muitas mercadorias, mas isso custa caro e pode haver perdas consideráveis em seu estoque, como produtos com prazo de validade. Sem mencionar a necessidade de gerenciá-lo.

Com agilidade, uma ERP eficiente, um bom fornecedor e um centro de distribuição bem localizado, o cross docking pode ser uma metodologia que potenciará o seu negócio.

Que começará a vender muito e necessitará de bons softwares de emissão de notas, certo?

Nessa parte, confie na eNotas e conheça o Emissor!

Jornalista e apaixonada por produzir conteúdo nos mais diferentes formatos. Nas horas vagas, é fotógrafa, viajante e mãe de suculentas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.