PIX e software houses
NEGÓCIOS
TECH

PIX: Guia rápido para a sua Software House

Atualizado há menos de 1 semana

PIX: Guia rápido para a sua Software House  

Fique por dentro desse novo projeto desenvolvido pelo Banco Central, o PIX, e deixe a sua Software House preparada para a implementação!

Quando o tema é operações bancárias, o Pix é o assunto da vez. A nova ferramenta do Banco Central promete chegar para facilitar e agilizar a vida de todos os brasileiros.

O Pix permite que uma transferência de dinheiro, em horário comercial,  entre pessoas físicas ou jurídicas,  que antes era realizada por meio de um TED ou DOC, agora seja feita em tempo real, em qualquer horário e dia da semana, até mesmo nos feriados. 

A ferramenta chega para os brasileiros a partir do dia 16 de novembro e, com isso, fintechs e software houses têm buscado informações para conhecer um pouco mais sobre o tema e descobrir como implementar tal recurso.

Nesse período, algumas irão dedicar tempo e uma equipe para desenvolver uma solução própria, enquanto outras,  comprarão uma solução pronta com atualizações regulatórias.

E, foi pensando nisso, que montamos este guia completo com tudo que a sua Software House precisa saber para estar preparada para o PIX, confira!

O que é o PIX?

O PIX é uma ferramenta de pagamentos criada pelo Banco Central, que disponibiliza a prestação de serviços de pagamentos instantâneos no Brasil.

Já imaginou fazer transações financeiras, em segundos, em qualquer hora e dia da semana? 

Pois é exatamente disso que se trata o PIX. A simplicidade que carrega este nome também é sinônimo do modo como o recebimento e as transferências de valores vão ocorrer.

Qual é o objetivo do PIX?

O principal objetivo do PIX é promover a democratização financeira e aumentar ainda mais a competitividade no setor de pagamentos.

Portanto, a grande vantagem do PIX, é que para as pessoas jurídicas, principalmente pequenos empreendedores que dependiam de taxas altas de intermediadores de pagamentos, agora terão uma alternativa mais rentável para solucionar essa questão.

Vale ressaltar que apesar do PIX ser gratuito para pessoa física, os bancos poderão cobrar taxas de pessoas jurídicas

Ficou definido pelo Banco Central, que caberá às instituições bancárias definirem suas próprias taxas.

Acontece que, a concorrência entre os bancos passa a ser um meio de garantia para que as taxas tornem-se menores do que de intermediadores de pagamentos ou emissores de boletos.

Quais as principais características do PIX?

Entre as principais características do PIX, podemos destacar:

Disponibilidade

Sem dúvida a disponibilidade é uma característica de destaque nesta ferramenta. Como já foi dito, o PIX estará disponível 24/7 —  todos os dias (mesmo em feriados).

Velocidade

A velocidade é outro critério que vem chamando a atenção de muitas pessoas. Com o Pix será possível fazer liquidações num prazo de até 10 segundos!

Segurança

Para  aqueles que ficam receosos a respeito da segurança, é bom que saibam que as transações serão feitas via Rede do Sistema Financeiro Nacional.

Para  e-commerces, por exemplo, o risco das operações pode diminuir, uma vez que fraudes e autofraudes ficam em maior evidência.

Ambiente Aberto

O Pix possui uma estrutura flexível de participação, ou seja,  será possível efetuar um pagamento instantâneo entre instituições diferentes. 

Além disso, será disponibilizado variados modelos de transação, o que deixa o sistema mais democrático:

  • Transações P2P: transações realizadas entre pessoas físicas;
  • Transações P2B: transações entre pessoas e empresas;
  • Transações B2B: transações entre empresas diferentes;
  • Transações P2G e B2G: transações de pessoa física para um órgão (P2G) ou de uma empresa para o governo (B2G);
  • Transações G2P e G2B: pagamentos de salários e benefícios sociais feitos pelo governo para pessoa física (G2P). E pagamento de convênios ou outros serviços feitos pelo governo para uma empresa (G2B).

Como é feito o cadastro do PIX para Pessoa Jurídica (PJ)?

Essa é uma questão que acaba sendo dúvida para muitas pessoas. Entretanto, para realizar o cadastro para PJ, não há nenhum segredo. 

Na verdade, o cadastro funciona da mesma maneira que para Pessoas Físicas (PF), e já está disponível e pode ser feito por meio do aplicativo ou internet banking do banco onde a empresa/pessoa tem conta.

A empresa poderá cadastrar até 20 chaves PIX e NÃO poderá usar a mesma chave em dois bancos diferentes.

Vale lembrar que  as chaves podem ser o número do CNPJ, telefone, e-mail, ou até uma chave personalizada.

E quais os meios disponíveis para uma empresa receber através do PIX?

Atualmente, as empresas terão duas opções para receberem os pagamentos via PIX. São elas:

QR code

Uma das formas é por meio do QR code (emitido através do internet banking), onde o pagador irá escanear o código e efetuar o pagamento utilizando-se do aplicativo do banco.

NFC (Near Field Communication)

A segunda opção é por NFC (Near Field Communication), por meio de dispositivos que possuam essa tecnologia, como smartphones e smartwatches, e através da própria chave PIX.

Como funcionará o PIX?

Para você que quer entender como será o fluxo das transações do PIX, montamos um passo a passo explicativo. Acompanhe:

1. O cliente escaneia um QR code contendo os dados de transação com seu dispositivo móvel.

2. A instituição financeira utilizada pelo cliente efetua a transferência dos valores.

3. O valor é pago ao estabelecimento independentemente da instituição financeira utilizada pelo local, graças à interoperabilidade provida pelo PIX.

4.  O cliente e o estabelecimento são notificados da realização da transferência por suas respectivas instituições financeiras.

Curiosidade

O PIX é intitulado como uma nova forma de pagamento, chamado de  “carteira virtual”, diferente da forma de pagamento tradicional “cartão”.

Quais as principais vantagens do PIX para Software Houses?

Dentro desse cenário, podemos destacar 4 boas vantagens que a PIX proporcionará para Software Houses. veja:

  • Única Integração para recebimento via diversas formas de pagamento: PIX, carteiras digitais, cartões, vouchers, entre outros;
  • Solução Agnóstica: Disponibilização de diversas PSPs na mesma integração;
  • Habilitação Simples: Segue o modelo de habilitação das demais carteiras digitais;
  • Sem custos adicionais na licença do TEF.

Conclusão

Neste post, você pôde perceber que, além de agilizar transações entre pessoas e empresas, o PIX também deixará bem mais rápido a quitação de taxas governamentais. 

Liberações de cargas em portos, por exemplo, poderão acontecer com menos burocracia por causa desse sistema. Ou seja, o potencial para movimentar a economia é alto.

Além disso, é uma forma mais assertiva de se combater a sonegação fiscal. Você sabe quais são os principais tipos e os riscos que essa prática pode trazer ao seu negócio? Não deixe de conferir o nosso conteúdo!

Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email.
Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.