5 tipos de investimentos que todo empreendedor deve conhecer

Que um bom empreendedor, naturalmente, já sabe como gerir seu dinheiro, isso ninguém dúvida. A dúvida que fica é se todos sabem como criar métodos para valorizar ainda mais o seu capital.

Quando falamos em valorização do capital, estamos falando sobre os tipos de investimentos.

Sim, hoje em dia, não basta apenas deixar o dinheiro em uma poupança e pronto, é preciso criar formas do dinheiro também trabalhar para você, como se fosse um colaborador da sua empresa.

A boa notícia é que, atualmente, o mercado de investimentos está muito mais próximo e fácil. Por isso, você consegue encontrar ótimas alternativas para valorizar seu dinheiro e ter bons rendimentos com o capital que você deixa aplicado.

Quais são os principais tipos de investimentos?

Durante algum tempo, muitas pessoas acreditavam que bastava deixar o dinheiro em uma poupança que ele renderia bem. Bom, este pensamento está fora de moda e quem ainda acredita nisso está perdendo a oportunidade de valorizar seu capital.

Isso acontece porque a poupança não pode ser considerada uma forma de investir seu dinheiro, e sim uma conta para poupar e evitar que você gaste tudo que tem.

O rendimento oferecido por essas contas não consegue acompanhar a inflação, assim, ao tirar o dinheiro aplicado, provavelmente, ele estará desvalorizado. De uma forma bem simples, podemos dizer que os preços dos produtos e dos serviços do mercado crescem mais que a rentabilidade da poupança, por isso, ocorre essa desvalorização.

Se você pretende investir para valorizar seu dinheiro, existem outras formas melhores e tão seguras quanto a poupança. A vantagem é que esses tipos de investimentos são tão acessíveis quanto a poupança e podem oferecer rendimentos bem melhores.

Veja 5 alternativas para investir seu dinheiro:

1. Tesouro Direto

Vamos começar por um tipo de investimento muito conhecido hoje em dia: o Tesouro Direto. O Tesouro Direto é um programa criado pelo Governo Federal que possibilita que as pessoas físicas consigam negociar títulos públicos, isso de uma maneira bem simples e online.

O Tesouro Direto funciona como um empréstimo que você faz ao Governo Federal. Você empresta dinheiro para o governo e ele te fornece um título de crédito que possui um vencimento determinado.

Ao chegar na data estabelecida, o governo te devolve o dinheiro que você emprestou, somado aos juros aplicados e determinados na hora que ele te forneceu o título.

O investimento no Tesouro Direto é considerado uma das alternativas mais seguras devido à segurança do emissor: o Governo Federal. Mesmo que você não considere o Governo como uma entidade confiável, é preciso aceitar que é quase impossível acontecer uma situação de falência do governo.

Além disso, a parcela da dívida que é representada pelo Tesouro Direto é muito pequena, portanto, é impensável pensar na possibilidade de você tomar um calote do governo.

2. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma alternativa de investimento muito parecida com o Tesouro Direto. Esses títulos são emitidos por bancos para que seja possível captar recursos.

Na prática, é como se você estivesse emprestando dinheiro para um banco por um período determinado. Ao final do empréstimo, o banco te devolve o valor que você emprestou, acrescido dos juros.

Assim como o Tesouro Direto, o CDB também é um tipo de investimento muito seguro. Se você investir nesses títulos, a sua aplicação será assegurada pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), mesmo órgão responsável por proteger a poupança.

Dessa forma, se você adquirir um CDB e a instituição bancária passar por algum problema e não conseguir te pagar, o FGC garante que você receba uma parte ou a totalidade do investimento.

3. LCI e LCA

Bem como o Tesouro Direto e o CDB, a LCI e a LCA são investimentos de renda fixa. Isso quer dizer que são aplicações que você pode conhecer ou prever a rentabilidade dos títulos, antes mesmo de realizar a operação.

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos emitidos por bancos e instituições financeiras. Esses títulos servem para a captação de recursos que serão utilizados nesses dois setores: agronegócio e imobiliário.

Desse jeito, ao investir seu dinheiro nessa alternativa, você estará investindo nesses setores.

O FGC também é responsável por garantir a segurança dos investidores que escolhem uma LCI ou uma LCA, garantindo cobertura caso algo aconteça algum problema com a entidade que emitiu os títulos.

Mas as vantagens das LCIs e LCAs não param por aqui. Esses títulos apresentam um grande benefício em comparação aos outros títulos de renda fixa: são isentas de Imposto de Renda e IOF para pessoas físicas.

4. Ações de empresas

Você já deve ter escutado alguém conversando sobre investimentos em ações de uma empresa, não é mesmo? O investimento em ações de empresas é uma das principais formas de investir e pode ser considerada a alternativa que apresenta rendimentos mais arrojados para o seu capital.

As ações representam uma fração do valor dos negócio. Portanto, quando você compra uma ação, você se torna sócio da organização. Com isso, você pode obter lucros com a valorização e venda das ações ou com o pagamento dos lucros compartilhados entre os acionistas, o que é chamado de dividendo.

As ações das empresas são negociadas pela internet, no site da Bolsa de Valores. A Bolsa de Valores funciona como um ponto de encontro online entre quem deseja comprar e quem quer vender uma ação.

Diferentemente do Tesouro Direto, do CDB e das LCIs e LCAs, o investimento em ações de empresa não é considerado de renda fixa e sim de renda variável. Isso acontece porque o mercado de ações é volátil, de uma forma que é impossível afirmar que uma ação vai valorizar.

Portanto, investir nessa alternativa pode trazer rendimentos bem superiores aos alcançados na renda fixa. Porém, é preciso saber lidar com o risco. Um bom caminho para investir na Bolsa de Valores de uma forma um pouco mais segura é estudar o mercado e procurar ferramentas para auxiliar sua atividade.

5.Fundos de Investimentos

Fundo de Investimento é uma modalidade coletiva de aplicação financeira. Para ficar bem fácil a explicação, podemos dizer que esses fundos são um mecanismo que reúnem o capital de várias pessoas (cotistas) para ser aplicado em um investimento.

Esse tipo de investimento é uma boa alternativa para quem não tem muito tempo para ficar operando o mercado financeiro. Isso porque, ao escolher essa opção, você colocará o seu capital sob responsabilidade do gestor do fundo, que será responsável por realizar as aplicações e acompanhar o mercado.

Como começar a investir?

Agora que apresentamos alguns tipos de investimentos que podem apresentar boa rentabilidade para você, precisamos falar como começar a investir ainda hoje.

Diferentemente do que muita gente pensa, atualmente, não é preciso começar com muito dinheiro e muito menos ser um especialista no mercado financeiro para realizar esses investimentos.

Antigamente, existiam poucas opções de empresas qualificadas para intermediar o processo entre você e o mercado financeiro, mas agora esse caminho está mais acessível.

Dessa forma, para começar a investir, você precisa seguir esses 4 passos simples:

1. Fazer um planejamento

Antes de realizar qualquer investimento, você deve realizar um planejamento, definindo principalmente os seus objetivos e o capital que você aplicará. Essa etapa é importante para te ajudar a escolher as melhores alternativas.

No planejamento, você deve determinar o tempo em que deseja manter o investimento e o risco que pode correr.

2. Abrir conta em uma corretora de investimentos

As instituições financeiras possibilitam que investidores cheguem até às aplicações. O recomendado é que você encontre uma corretora confiável, que disponibiliza as informações de uma forma bem clara e que descomplica a sua atividade.

3. Escolher o melhor investimento

Agora que você conhece alguns tipos de investimentos, já sabe por onde começar a sua análise na hora de escolher a melhor alternativa para você. A partir disso, é essencial estudar o mercado e ter certeza que o investimento escolhido está de acordo com o seu planejamento.

4. Investir e acompanhar

Após escolher o investimento, basta acompanhar o desempenho dele. Se você optar por uma ação a longo prazo, será preciso menos esforço para acompanhá-lo. Agora, se você escolheu uma ação de renda variável de curto prazo, é bom ficar sempre de olho no mercado.

O que você achou deste post? Qual tipo de investimento você já tem em seu planejamento financeiro? Qual outra forma de investir o seu dinheiro você gostaria de conhecer? Conta para gente nos comentários!


About the Author

Conteúdo produzido por um dos parceiros da eNotas. Quer participar do nosso programa de parcerias? Então, envie a sua proposta para [email protected] :)

>
Gabs

Como conseguir 200 mil visitas mensais no seu site sem gastar com anúncios