Antecipação de recebíveis: entenda o que é e saiba como realizá-la.

Manter as operações ativas de uma empresa é um desafio para diversos empreendedores brasileiros, principalmente pela defasagem da economia nacional.

O desafio de manter o capital de giro saudável é constante, em especial quando aproximam-se as datas de cumprimento de todas as obrigações financeiras do empreendimento.

Para evitar que a empresa se endivide e fique no vermelho, a antecipação de recebíveis acaba sendo uma alternativa válida entre as opções de empréstimo disponíveis no mercado.

São muitos os fatores que podem levar o empreendedor a recorrer a esta modalidade de crédito, desde uma diminuição inesperada de vendas até falhas em seu planejamento financeiro.

Por isso, é importante ter cuidado redobrado na hora de realizar o controle financeiro de uma gestão, pois é neste momento que a visualização dos períodos futuros e o planejamento para os mesmos torna-se possível.

Assim, fica possível prever quando existe mais saída de produtos, assim como as baixas de vendas que ocorrem devido à sazonalidade de alguns segmentos.

Ao cogitar a antecipação de recebíveis, é importante saber, antes de tudo, do que se trata e quais são as particularidades do modelo. Esta publicação foi feita justamente com esse intuito, para que você possa entender mais sobre o assunto e avaliar a necessidade de utilizar este recurso. 

O que é antecipação de recebíveis e como funciona?

É de extrema importância que o empreendedor compreenda do que se trata a antecipação de recebíveis antes de realizá-la. A grosso modo, podemos definir este recurso como uma obtenção de capital a curto prazo para a empresa em questão.

Pense em todas as vendas realizadas a prazo, vendas parceladas no cartão de crédito ou carnê, duplicatas, cheques pré-datados... Ou seja, todos os recebimentos que pertencem à empresa, mas que não caem imediatamente no caixa.

A antecipação de recebíveis consiste em antecipar estes valores e transformá-los em recursos líquidos imediatos.

São diversos os casos em que essa modalidade pode se apresentar como uma solução atraente para o empreendedor. É possível, por exemplo, que falte capital de giro para arcar com as obrigações financeiras de curto prazo da empresa, como pagamento de fornecedores ou funcionários.

Nesse caso, o que acontece é simples: o dinheiro que você receberia no futuro é antecipado e transforma-se em caixa presente. Para isso acontecer, esse montante se transforma em responsabilidade das instituições financeiras contratadas para oferecer o crédito, que assumem o recebimento futuro das negociações feitas.

De forma resumida, podemos sintetizar a antecipação de recebíveis como um adiantamento do recebimento dos valores que pertencem a uma empresa, feito por uma instituição financeira que oferece este procedimento.

Para entender como a antecipação de recebíveis funciona, é importante saber que, hoje em dia, são diversas as instituições financeiras que oferecem essa modalidade de crédito: bancos e adquirentes (operadoras de cartão: Rede, Cielo, Getnet etc) são as mais comuns.

A instituição contratada em questão antecipará, para a sua empresa, o valor que ela receberia no futuro, aplicando descontos com taxas de juros, adicionados aos encargos com IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Quando o dinheiro é transferido para a sua conta, a instituição financeira passa a ter direito por este recebimento que virá no futuro. Em resumo, quando a fatura, duplicata ou cheque forem pagos pelo cliente, quem receberá é a instituição financeira e não o empreendedor.

Como é feita a antecipação de recebíveis?

Como qualquer serviço financeiro, existem custos para realizar a antecipação de recebíveis. As instituições financeiras que adiantam os valores cobram taxas estipuladas em relação ao tempo de compensação dos créditos em questão.

Por exemplo, se você decidiu antecipar o valor de uma compra parcelada em 3 vezes, uma taxa será aplicada a cada parcela, mesmo que o valor antecipado seja entregue de forma integral.

É necessário, portanto, que o empreendedor analise as condições de cobrança das taxas em questão e avalie se é uma opção viável para a empresa. Essa análise permite que o empreendedor evite surpresas inesperadas e desagradáveis na hora de cobrir os custos da operação.

É importante lembrar-se de que os pagamentos são realizados por clientes diversos e, em alguns casos, os pagamentos podem estar relacionados a consumidores com histórico de inadimplência.

Por isso, ao cogitar antecipar recebíveis, é necessário estudar a garantia dos recebimentos a serem antecipados, pois em casos de não cumprimento das obrigações por parte do cliente, a sua empresa pode se prejudicar pela falta de dinheiro que constará no banco.

Lembre-se de sempre manter o seu planejamento financeiro atualizado e registrar todas as operações realizadas no controle interno de sua empresa. Essa prática evitará comprometer recursos da empresa e ajuda a manter a saúde financeira da mesma.

A visualização do caixa presente é imprescindível para saber o que deve ser ou não antecipado.

Por que optar pela antecipação de recebíveis na hora de adquirir crédito?

Toda empresa necessita de capital de giro para manter as suas operações com fluidez. A antecipação de recebíveis é um recurso comum para aquelas que precisam de mais capital de giro para não comprometer todo o funcionamento dos processos internos de seu negócio.

O que costuma acontecer em algumas empresas é, também, a venda de produtos com prazos maiores do que aqueles que estão estipulados para o pagamento de seus fornecedores. Assim, para manter tudo em pleno funcionamento, a empresa precisa antecipar o que já pertence a ela, mas que só entraria em caixa em períodos futuros.

Confira outras de suas vantagens:

Agilidade para recursos internos

Antecipar recebíveis permite que o fluxo interno da empresa flua de forma natural, sem precisar atrasar pagamentos e, em muitos casos, garante vantagens em negociações com fornecedores por meio do argumento baseado em pagamento adiantado de produtos.

Antecipa créditos que pertencem à empresa

Existem diversas linhas de crédito no mercado e a maioria delas se baseia em um empréstimo de recursos que pertencem a terceiros. No caso da antecipação de recebíveis, os valores a serem antecipados já pertencem à empresa: são provenientes de vendas realizadas dentro de modalidades que não se comportam como recebimentos imediatos.

Nesse caso, a diferença é apenas a data de resgate, que é antecipada com juros descontados. No caso de compras parceladas, os juros são aplicados a cada parcela, de forma progressiva.

Pagamento do recurso de forma integral

Uma das formas mais conhecidas de adquirir crédito para uma empresa é por meio de empréstimo. O pagamento do serviço é feito, muitas vezes, de forma parcelada. A consequência disso é o possível aumento do valor da dívida quanto maior for o tempo de quitação, o que pode acabar comprometendo o controle financeiro da empresa.

Com a antecipação de recebíveis, o valor do crédito é pago de forma integral, sendo descontado do cheque, duplicata ou qualquer outro recebível que fora entregue na hora de contratar o recurso.

Valores parcelados são pagos à vista

Caso a empresa tenha realizado uma venda de R$3 mil parcelada em 2 vezes, teoricamente, seria recebido, a cada mês, R$1.500,00 reais. Dependendo do momento em que a empresa se encontre, essa quantia pode não ser o suficiente para arcar com algumas despesas e custos de operação interna.

Ao antecipar recebíveis, o empreendedor recebe integralmente os R$3 mil que foram vendidos.

Por que NÃO optar pela antecipação de recebíveis?

Como todas as linhas de créditos, a antecipação de recebíveis não se trata de mil maravilhas, apesar de ter grandes vantagens para o empreendedor quando relacionada com outras modalidades de crédito.

As taxas cobradas pelas instituições que oferecem a antecipação são pontos que precisam ser levados em consideração com muita cautela, pois, elas costumam ser abusivas.

Um movimento crescente parceria entre fintechs têm buscado oferecer taxas mais competitivas para antecipação de crédito no mercado, como forma de facilitar a obtenção de recursos. Pequenos e médios empreendedores se beneficiam disso, pois costumam enfrentar cenários dificultosos para o crescimento de suas empresas.

Existem diversas linhas de crédito dentro dessa modalidade, por isso, é importante que o empreendedor fique ciente de todas as possibilidades para contratar apenas a que for acessível para sua empresa.

As taxas cobradas devem ser claras, assim como todas as tarifas incluídas na operação, para que o contratante saiba exatamente o valor que será descontado de suas antecipações.

Outro ponto importante a se frisar é que, por ser tão prática e fácil de se realizar, a antecipação de recebíveis acaba se mostrando uma solução mais tentadora do que de fato deveria ser em alguns casos.

Por exemplo: muitas vezes, é possível quitar dívidas e diminuir custos de operação reavaliando processos internos, sem precisar recorrer a uma modalidade de crédito para isso. Em alguns casos, reduzir o estoque e cortar alguns gastos internos já resolve grande parte do problema!

Como calcular o valor da quantia a antecipar?

Não é necessário antecipar todo o valor que a empresa tem a receber ao realizar uma antecipação de recebíveis. É preciso ter consciência da quantia que é, de fato, imprescindível para suprir os custos daquele momento.

Isso porque, antecipar tudo o que tem para receber significa que nos meses seguintes, a empresa não terá tantos recebíveis quanto teria se o cálculo fosse feito de forma segura, o que pode prejudicar o seu fluxo de caixa.

Portanto, é importante calcular o custo das emergências a tratar para, então, solicitar o recurso.

Para realizar o cálculo eficientemente, é preciso realizar uma projeção de fluxo de caixa, com o intuito de compreender claramente se a empresa será comprometida a partir da antecipação do valor que está sendo estipulado.

O fluxo de caixa, nessas horas, é de extrema importância para que a empresa possa se manter saudável nos meses seguintes, mesmo realizando a antecipação de recebíveis no período atual.

Conclusão

Apesar de se tratar de uma modalidade de crédito relacionada com os recebimentos que já pertencem à empresa, a antecipação de recebíveis precisa ser executada de forma cautelosa.

É comum nos depararmos com empreendedores que adotaram a prática como algo recorrente em seus negócios, o que nem sempre é um bom sinal, visto que, se o capital de giro da empresa fosse de fato controlado, não existiria a necessidade de antecipar todo mês.

Para que a antecipação de recebíveis não se torne uma prática viciosa, os empreendedores e gestores devem acompanhar o planejamento financeiro da empresa de perto, analisando períodos presentes e futuros. Isto permite que você possa prever momentos em que precisem, de fato, da antecipação de recebíveis.

Lembre-se de que a mudança de algumas práticas internas pode livrar a empresa de necessitar de crédito. Por isso, avalie de forma estratégica os processos internos e veja, sempre com um olhar analítico, onde pode melhorar!

E então, o que você achou do conteúdo? Ainda tem alguma dúvida? Conta para a gente nos comentários!

About the Author

Conteúdo produzido por um dos parceiros da eNotas. Quer participar do nosso programa de parcerias? Então, envie a sua proposta para [email protected] :)

>

Quem Aparece nas Buscas dos Seus Potenciais Clientes no Google?

...você ou seus concorrentes?