Fluxo de caixa: o que é, como fazer e os principais benefícios


Ao ler o nosso blog, você fica antenado com as novidades do mercado e os assuntos mais importantes para um empreendedor digital, como a emissão de notas fiscais eletrônicas. Um tema muito importante, que está relacionado ao sucesso financeiro do negócio também, é o fluxo de caixa.  

Essa ferramenta é utilizada por gestões de pequeno, médio e grande porte. Mas você, nosso leitor, sabe o porquê disso? Pois bem, quem conhece esse conceito evita dores de cabeças no planejamento financeiro e consegue ter mais tempo para se preocupar com aquilo que realmente importa.  

Este post vai te ajudar a compreender melhor e aplicar o fluxo de caixa em sua rotina. Tenha atenção em sua leitura e aproveite.  

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta contábil que possibilita acompanhar as finanças, os investimentos e os rendimentos. Esse assunto parece simples, mas permite o rastreio dos gastos e a projeção de lucros em um determinado período.

Em outras palavras, o fluxo de caixa é um registro de tudo o que acontece no setor financeiro do estabelecimento.

Quais são os seus principais tipos?

Você sabia que existem diferentes fluxos de caixa? Cada um deles tem características e objetivos únicos, portanto, é essencial conhecê-los, a fim de utilizá-los corretamente. Veja uma lista com os exemplos mais importantes:

Fluxo de caixa direto

Metodologia mais utilizada no mercado, pois considera a forma bruta das operações financeiras, ignorando qualquer desconto. As entradas e saídas são organizadas em categorias que condizem com as atividades da gestão. O fluxo de caixa direto fornece informações diariamente, exigindo maior empenho e tempo da equipe de trabalho.  

Fluxo de caixa indireto

Essa técnica se difere da anterior, pois utiliza o balanço patrimonial para considerar a variação de ativos em um período. Assim sendo, a gestão contabiliza o lucro de um determinado intervalo e o reajusta a partir da amortização e depreciação.

No final das contas, chega-se ao montante registrado no Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE). Saiba que esse documento é utilizado por contadores para descobrir se a empresa teve lucro ou prejuízo também.

Fluxo de caixa projetado

Em resumo, o fluxo de caixa projetado não utiliza os valores que já foram acrescentados ou removidos do orçamento. Na verdade, ele tem o objetivo de prever receitas e gastos. Desse modo, é possível preparar o orçamento para pagar as despes​​​​as e garantir o respeito aos prazos.

Acompanhe o fluxo de caixa projetado constantemente e nunca seja pego de surpresa em sua rotina.

Fluxo de caixa operacional  

Essa modalidade de fluxo de caixa levanta os gastos e as receitas operacionais, ou seja, todas as movimentações financeiras necessárias para o funcionamento da empresa, como a folha salarial e o abastecimento e manutenção do estoque.

Não se deve, por exemplo, contabilizar os investimentos nem o pagamento de impostos e taxas. Empreendimentos em fase inicial de crescimento podem utilizar o fluxo de caixa operacional, já que não existe grande variedade de informações e produtos.  

Fluxo de caixa livre

Ferramenta utilizada para medir a capacidade de gerar capital da gestão, indicando o saldo existente a curto, médio e longo prazo. É recomendado trabalhar em duas frentes: a primeira entre 60 a 90 dias e a segunda com um prazo maior, entre 2 a 5 anos.

Quais são os seus benefícios?

Confira as principais vantagens do fluxo de caixa abaixo:

Evitar gastos desnecessários

Como todas as despesas são documentadas no fluxo de caixa, você descobre, reduz e otimiza o uso do capital no empreendimento. Consequentemente, sobra mais dinheiro para investir em áreas de maior relevância, como a contratação de funcionários, a compra de equipamentos e a expansão do local de trabalho. 

Garantir o cumprimento das obrigações

Contas acumuladas indicam um desempenho ruim do setor contábil do negócio. Além disso, decisões equivocadas, como erros ao emitir notas fiscais, tiram o equilíbrio de sua gestão e mancham a sua reputação no mercado. Não se esqueça de que problemas judiciais, multas e embargos podem tirar as suas noites de sono também.

Dessa forma, o cumprimento das obrigações financeiras é algo que não pode faltar em sua organização. Com o fluxo de caixa, é possível manter o controle de tudo o que acontece, definindo ações preventivas e corretivas no orçamento.

Melhorar a tomada de decisão

As atitudes de um empreendedor definem o sucesso do negócio, não é mesmo? Nessas horas, agir sem pensar é algo que nunca pode acontecer — e não poderia ser diferente ao trabalhar com o fluxo de caixa.

Essa ferramenta demonstra a situação financeira da empresa em todos os seus detalhes, considerando os investimentos, os tipos de custos, as projeções e as entradas de capital. Além do mais, o fluxo de caixa permite que você faça previsões sobre os lucros ou os prejuízos que estão por vir. 

Conclui-se, então, que esse elemento disponibiliza todas as informações que você precisa ao realizar o planejamento estratégico do negócio e tomar decisões.  

Como aplicá-lo corretamente?

Após descobrir os benefícios do fluxo de caixa, você deve estar se perguntando como colocá-lo em prática na empresa, certo? Veja alguns procedimentos que não podem faltar em sua gestão a seguir.  

Conheça os termos financeiros

Assim como em outras áreas do conhecimento, o setor financeiro é repleto de termos e siglas que não são conhecidos pela maioria das pessoas. E as chances de falhas são grandes quando você não as conhece. Por isso, tenha em mente de que é muito importante conhecer as principais palavras financeiras. Algumas delas são:

Esses são apenas alguns exemplos. Em caso de dúvidas, não hesite e busque a ajuda de um contador.

Determine categorias

As despesas de uma empresa são variadas. De qualquer forma, elas estão relacionadas ao ramo de atuação do negócio e podem ser agrupadas. O fluxo de caixa deve ser detalhado e considerar todos os tipos de custos.

Desse modo, os relatórios se tornam mais completos e ampliam o seu campo de visão. As receitas podem ser separadas a partir das atividades da empresa:

  • folha salarial;
  • materiais;
  • serviços e operações;
  • investimentos;
  • impostos.

Já os recebimentos podem ser separados em:

  • juros;
  • vendas;
  • financiamento;
  • retorno de investimento.

É válido frisar que não existe uma regra para a definição das categorias. Portanto, pense muito bem antes de tomar qualquer atitude.

Estabeleça uma rotina

O setor financeiro é composto por várias atividades, e muitas delas ocorrem todos os meses, como o pagamento da folha salarial e a compra de materiais para a produção de conteúdo.

A correta realização do fluxo de caixa depende de uma rotina muito bem preestabelecida. Nessas horas, não existem brechas para improvisações. Portanto, estude as atividades do seu negócio e defina a melhor estratégia.

Infelizmente, não há um padrão para todos os empreendimentos. Contudo, as dicas abaixo podem te ajudar:

  • diariamente: organizar as despesas do dia anterior, registrar os pagamentos que devem ser realizados, salvar documentos, fotos e contratos;
  • semanalmente: verificar operações da semana anterior e preparar-se para o restante do mês;
  • mensalmente: analisar os dados obtidos, procurando os pontos mais fracos do planejamento.

Analise resultados

Essa é uma dica que pode ser colocada em prática em todos os momentos de sua carreira profissional. Quem analisa resultados consegue identificar gargalos e oportunidades. Além disso, é possível ter insights que facilitam a tomada de melhores decisões.  

Quando se trata de um fluxo de caixa, você pode ficar um pouco confuso no início, já que é preciso entender inúmeros valores financeiros. Em muitos casos, alguns profissionais não sabem por onde começar, mas não se preocupe: existem procedimentos que melhoram o seu desempenho com o passar do tempo.  

Primeiramente, avalie as entradas e saídas do mês atual e as compare com os valores dos meses anteriores. Dessa forma, você consegue acompanhar a evolução das vendas e entender se elas estão crescendo ou diminuindo.  

Outro ponto importante está relacionado às principais despesas. Se o volume financeiro é maior, você deve ter mais atenção, pois qualquer deslize pode provocar grandes consequências, como o desperdício de capital.  

Fique atento também aos dias do mês em que há maior concentração de pagamentos. A primeira e a última semana, normalmente, representam os períodos mais movimentados.  

Se você realiza pagamentos no quinto dia útil e as maiores entradas acontecem no décimo dia, por exemplo, escolha uma data após esse período para fazer os seus estudos.  

Conclusão 

Um empreendimento digital ou uma startup surge de uma simples ideia. Com o passar do tempo, o número de clientes aumenta e você ganha novas responsabilidades. Além disso, novos setores, como o marketing, o comercial e o relacionamento humano, tornam-se necessários. 

Em todas as situações, o controle financeiro deve sempre ser a sua prioridade. Alguns procedimentos, como emitir notas fiscais automaticamente, é um diferencial que te dá mais tempo e recursos para investir em assuntos mais relevantes para o seu negócio.

Nesses momentos, conhecer o fluxo de caixa é algo imprescindível. Ele assegura a sua estabilidade contábil e deve ser documentado, atualizado e analisado constantemente. Ao ler este post, você aprendeu um pouco mais sobre o assunto e está preparado para superar obstáculos em sua rotina. 

Quer aprender ainda mais sobre os principais tópicos para o sucesso financeiro? Continue conosco e descubra qual é o melhor regime tributário para você!

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing apaixonado pela produção de conteúdo, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>

Baixe o seu Guia Prático de Nota Fiscal para Negócios Digitais e Marketplace