Criptomoeda: o que é, tipos e como comprar

Atualizado há mais de 1 semana

Com certeza você já ouviu falar sobre criptomoedas, assunto que dominou a internet nos últimos anos. Muitas pessoas passaram a investir nesse recurso e usar cada vez mais essa forma de pagamento.

Mesmo assim, ainda existem muitas dúvidas sobre o que são as criptomoedas e como elas funcionam. Afinal, trata-se de um ativo recente, e que ainda gera muita desconfiança. 

É importante entender o que são as criptomoedas e para que elas servem, já que o seu uso é cada vez mais comum e promete aumentar. De acordo com a pesquisa da Crypto Literacy, feita em 2021, 25% dos brasileiros já querem comprar itens e serviços com criptomoedas. 

Por isso, preparamos esse post para esclarecer tudo que você precisa saber sobre criptomoeda!

O que é criptomoeda?

A criptomoeda é um tipo de dinheiro, como qualquer moeda que usamos, com o diferencial de ser totalmente digital. Ela também não é emitida por nenhum governo, e basicamente só existe no mundo digital.

Mas como é possível existir uma moeda virtual? É só pensar em como o e-mail ou uma mensagem no Whatsapp funcionam. Antes da internet, para enviar uma mensagem, era preciso enviar uma carta, algo físico, para que outra pessoa pudesse acessar esse conteúdo. Hoje, isso não é necessário, já que a mensagem pode ser lida digitalmente.

Com as criptomoedas, é a mesma coisa! Você pode enviar dinheiro de um lugar A ao B, sem precisar de um meio físico para isso.

Basicamente, as moedas existem, tem valor e são reais, mas você não pode pegá-las fisicamente. 

Por que as criptomoedas ganharam tanto destaque?

Recentemente, as criptomoedas ficaram famosas no mundo todo, sendo muito faladas nas redes sociais, Isso aconteceu principalmente quando uma criptomoeda específica, o bitcoin, se destacou.

O bitcoin é a primeira moeda digital do mundo, e é negociado na internet em uma rede própria, o blockchain: um banco de dados onde são registradas todas as transações bitcoin entre os participantes da rede.

Assim como qualquer outra moeda, o bitcoin passa por variações diárias. Semelhante ao mercado de ações, a moeda digital segue a lei da oferta e da demanda. Com muitas pessoas adquirindo o ativo, mais caro ele fica. Quando a procura cai, o valor também diminui.

No entanto, o bitcoin passou por uma oscilação gigantesca, que chamou a atenção de economistas e investidores. Em dezembro de 2017, por exemplo, um bitcoin valia R$ 48,2 mil. Pouco mais de um ano depois, em janeiro de 2019, o valor tinha caído para R$ 12,7 mil, uma desvalorização de quase 75%.

O que explica uma variação tão grande é a quantidade de bitcoins disponíveis, que é limitada. A emissão só pode alcançar a marca de 21 milhões de moedas no mundo todo. Só que só até 2019, 18 milhões já haviam sido emitidas!

Outro motivo é que, assim como o mercado de ações, o de bitcoins também funciona a partir da especulação. Quando muitas pessoas vendem suas moedas, ou seja, há muitas moedas disponíveis, o preço despenca. Porém, se muita gente quiser comprar, o preço aumenta.

Por isso, mais do que uma moeda para transações do dia a dia, o bitcoin – assim como outras criptomoedas – passou a ser visto como uma forma de investimento

Como comprar criptomoeda?

Hoje, já existe um mercado de criptomoeda consolidado, no qual muitas pessoas investem. É bem simples: basta abrir uma conta em uma corretora de moedas virtuais e começar a negociar. 

Mas, antes de tudo, é importante pesquisar sobre as empresas disponíveis no mercado, certificar-se de que são confiáveis, conferir as avaliações dos clientes e entender as tarifas cobradas, viu? As moedas digitais são um investimento financeiro, e assim como o dinheiro físico, devem ser operadas com cautela e segurança.

Também é importante lembrar que investir em criptomoedas tem seus riscos, diante da alta especulação. Por isso, a recomendação dos economistas é de investir somente uma pequena parte do seu patrimônio. Ou seja, nada de apostar tudo em bitcoin! 

Tipos de criptomoeda

Além do bitcoin, há vários tipos de criptomoedas diferentes, cada um com suas particularidades. Confira alguns dos modelos mais comuns:

  1. Ether (ethereum)

O Ether, popularmente conhecido como ethereum, é um tipo de criptomoeda. No entanto, ethereum é o nome da plataforma em que a moeda é comercializada.  O ether foi criado para ser mais do que apenas uma moeda digital, mas para ser uma forma de pagamento dentro de sua própria plataforma.

Hoje, o ether gera muito interesse por parte de investidores que querem adquirir investimentos e diversificar as formas de investir. Toda a negociação acontece na plataforma ethereum. Atualmente, o valor do ether é cerca de US$9.473,99.

  1. Litecoin

O litecoin (LTC) tem algumas semelhanças com o Bitcoin, como o uso do blockchain. Porém, tem o grande diferencial de ser mais ágil. O tempo de confirmação para registrar operações feitas com a moeda é menor, permitindo maior rapidez no processo.

De uma forma geral, pode-se dizer que o litecoin é mais acessível, além de ser ideal para transações do dia a dia. Hoje, o valor dele é de US$333,18. 

  1. Ripple (XRP)

O Ripple é um ativo digital que, assim como o ether, tem sua própria plataforma, a XRP. O grande diferencial é que o sistema permite outros tipos de moeda, possibilitando fazer transações com outros tipos de moedas digitais. 

Ele tem sua capitalização de mercado em torno dos US$ 61 bilhões, com valor unitário de mercado muito inferior às moedas digitais referências, de aproximadamente US$ 1.

No entanto, o Ripple não costuma ser usado como forma de pagamento, mas sim como um conversor para outras formas de câmbio. Hoje, o valor do Ripple é US$1,96.

4. Binance Coin

O Binance Coin é um ativo digital que atua como um intermediador nas transações feitas com moedas digitais. O Binance Coin é criação de uma das maiores exchanges do mundo, a Binance, desenvolvida com o objetivo de funcionar como um token, ou seja, uma representação.

Porém, a moeda se popularizou com rapidez, atraindo investidores. Hoje, pode ser usada para adquirir diversos produtos digitais. O Binance tem, atualmente, o valor de US$4,94

5. Tether

Como você já viu, uma das características que mais chamou atenção nas criptomoedas foi a alta volatilidade dos valores. O Thether vai na contramão dessa tendencia, e tem como objetivo ser uma “stablecoin”, ou seja, uma criptomoeda com valor estável.

Para tornar isso possível, o Tether tem o valor atrelado a uma moeda física, o dólar americano. Hoje, o valor da Tether é US$4,94.

O mercado de criptomoedas é seguro? 

Uma das maiores dúvidas de quem quer ingressar no mercado de criptomoedas é se essa forma de investimento é confiável. Afinal, por mais que a tecnologia tenha se desenvolvido, o conceito de moeda digital ainda é um pouco difícil de processar. Por ser um mercado recente, as criptomoedas não têm ainda a mesma regulamentação e regularização que o dinheiro comum. 

No entanto, diante do uso crescente do ativo digital, as instituições estão buscando cada vez mais formas de garantir a confiabilidade nos processos feitos com criptomoedas. No Brasil, a regulação do setor está avançando no Senado e aguarda aprovação final na Câmara. 

De uma forma geral, o conselho é pesquisar muito bem o ativo digital em que se deseja investir  e estar sempre atualizado com as notícias do mercado, já que a criptomoeda costuma oscilar de valor com frequência. 

Esperamos que este post tenha te ajudado a entender o que são as criptomoedas e conhecer um pouco mais sobre seus tipos! Aproveite para conferir também nosso post sobre NFT, outra tecnologia que será imprescindível para qualquer negócio no futuro.

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.