NFT: o que é, como funciona e como usar o ativo do momento

Atualizado há menos de 1 semana

As NFTs passaram a ser muito faladas recentemente, e já se popularizaram no mundo virtual. Empresas já estão investindo no assunto do momento, e até mesmo celebridades já adquiriram os famosos tokens não fungíveis. Mesmo com o sucesso estrondoso, muitas pessoas ainda não entendem muito bem o que é a NFT!

Afinal, o conceito pode ser um pouco confuso, diante de tantas inovações tecnológicas. Por isso, nós preparamos esse post para você entender de uma vez por todas o que é a NFT, como funciona e como é possível usá-lo!

O que é NFT?

Assim como o blockchain e as criptomoedas, os NFTs são ativos digitais. Ou seja, são recursos intangíveis, que constituem o patrimônio de uma empresa ou indivíduo. Eles não são mercadorias físicas, mas sim bens imateriais que podem ser de propriedade exclusiva. Isso pode incluir desde fotos e vídeos até um site, por exemplo.  

Os NFTs, são tokens não fungíveis, e a sigla representa o termo em inglês “non-fungible tokens”. Essa tecnologia garante que um ativo digital se torne propriedade de um comprador, tornando-a exclusiva. Para entender melhor, vamos esmiuçar os conceitos que compõem o termo.

Token, em inglês, significa simbolo. Portanto, os tokens simbolizam um item do mundo digital, como uma imagem. Eles são armazenados pela tecnologia blockchain, que falamos acima. 

Já “fungíveis” significa que esses itens podem ser substituídos por outros do mesmo tipo, como notas de dinheiro, por exemplo. Mesmo podendo ser substituído, o item mantém seu valor. 

Então, um token não fungível é um bem único e insubstituível, único no mundo.

Isso significa que qualquer coisa na internet pode virar um NFT? 

De certa forma, sim! Se o autor do ativo em questão comprovar os direitos e decidir transformar o item em um token não fungível, pode fazê-lo. E, diga-se de passagem, conseguir um valor considerável dependendo do que for. 

Hoje, já temos NFTs um tanto quanto peculiares sendo negociados na internet! Confira esses exemplos:

O primeiro tweet do mundo

  1. Jack Dorsey, o chefe do Twitter, decidiu transformar o seu primeiro tweet em NFT. Sim, até mesmo publicações na internet podem se transformar em tokens não fungíveis, se o autor quiser! Ele  ganhou um valor expressivo com o tweet: cerca de US$ 2,9 milhões. 
    1. GIF do Nyan Cat

  2. Lembra do GIF do Nyan Cat? Criado em 2011, o gatinho cinza em animação com um arco íris atrás fez muito sucesso e talvez seja um dos memes mais famosos da internet.Chris Torres, o autor do Nyan, em fevereiro, quando negociou o certificado do bichano por US$ 580 mil. 
    1. Áudios de flatulência

  3. O cineasta Alex Ramírez-Mallis trocou áudios de flatulência em um grupo do WhatsApp com os amigos, como forma de descontrair no início da pandemia. Eles juntaram os áudios em um  compilado com 52 minutos, e venderam por US$ 85.

Como os NFTs funcionam?

Os NFTs são itens criados por diversas pessoas e podem ser colocados à venda em algum marketplace específico. Quando são adquiridos, se tornam, de certa forma, propriedade exclusiva do comprador.

.

Um item que foi vendido, não necessariamente foi parar nas “mãos” do comprador. Foi criado, por meio da rede blockchain, um certificado de autenticidade sobre o item, e esse certificado foi destinado e se tornou propriedade de quem fez o investimento.

Atualmente, o mercado de NFTs está em alta e com grandes previsões de crescimento. De acordo com o relatório do DappRadar, site de rastreamento de dados para aplicações baseadas em blockchain, o mercado de NFTs movimentou cerca de US$ 25 bilhões em 2021. 

É um crescimento considerável se comparado com o ano anterior, que movimentou apenas US$ 94,9 milhões. Várias figuras públicas já adquiriram os tokens, como foi o caso de Neymar e Justin Bieber, que compraram compraram obras do Bored Ape Yacht Club (BAYC), uma das mais populares e valiosas do mercado. 

Neymar gastou US$ 1,1 milhão (R$ 5,6 milhões) com a peça, enquanto Justin Bieber desembolsou US$ 1,29 milhões (R$ 6,6 milhões).

Por isso, se você é autor de algum ativo digital que acredita ser interessante para o mercado, é um momento excelente para entrar no mundo das NFTs! 

Como criar um NFT?

A criação de um token requer uma blockchain específica, como a Ethereum, a Polygon ou a Binance Smart Chain (BSC), e os itens criados serão armazenados em carteiras virtuais ou físicas. Para criar um NFT, é preciso saber como cunhar, ou "mintar", como a comunidade brasileira passou a chamar.

A cunhagem nada mais é do que o processo que transforma um arquivo digital em blockchain, tornando-o assim um ativo digital mais protegido. Por meio desse processo, o arquivo não pode mais ser modificado ou excluído. 

Hoje, ainda não existe uma regularização que impeça alguém de usar um arquivo original de NFT e fazer uma cópia para si, mas é possível identificar que se trata de uma farsa facilmente. É só olhar os registros da blockchain. 

Atenção: sempre confira os registros blockchain do NFT, para evitar comprar uma "versão pirata", sem valor comercial.

Atualmente, é possível vender qualquer arquivo digital como um token não fungível. Hoje já existem inclusive ferramentas prontas que permitem a cunhagem rápida de arquivos. No entanto, fazer isso pode deixar as suas vendas limitadas aos formatos suportados, como JPG ou AVI. 

A maioria das plataformas de criação de tokens permitem fazer a criação do ativo de graça, mas lembre-se de verificar as taxas de transação. Esses valores costumam ser chamados de "gás" (são pagas aos mineradores).

Todo e qualquer processo feito na blockchain tem um custo de gás, seja cunhar um NFT, transferir para outra carteira, listar para venda ou colocá-lo em um leilão.

Como funciona a venda de NFTs?

A compra e venda de um NFT acontece nos marketplaces. Para vender esse ativo, o vendedor escolhe a plataforma e publica o NFT. Assim, qualquer pessoa que acessar o marketplace pode vê-lo e comprá-lo.

É importante ressaltar que todas as transações de NFTs são feitas em criptomoedas, que podem mudar conforme a plataforma em que o arquivo está sendo comercializado. 

O vendedor escolhe por quanto quer vender o produto e, caso tenha interesse, o comprador paga e passa a ter o direito sobre aquele item. O novo dono pode manter o NFT para si ou vender novamente com um novo preço.

Vale a pena investir em NFT?

Você já deve ter visto muitas pessoas falando sobre investir em NFT. O mercado de NFTs no Brasil ainda está no estágio inicial, mas o crescimento é notável.

Hoje, várias pessoas apostam no processo de valorização dos NFTs. Você pode, por exemplo, comprar um token e, depois de determinado tempo, seu valor e consequentemente seu preço, já subiram bastante. Dessa forma, é possível ter ganhos no curto e longo prazo.

Mas invista com cuidado, viu? O  mercado ainda está engatinhando, e portanto, é um investimento atrelado a um alto grau de risco. 

De olho nas tecnologias

As novas tecnologias estão despontando cada vez mais no mercado digital, e podem transformar a internet. Os NFTs são exemplos de ativos promissores, com várias possibilidades de investimento e empreendimentos.

Muitas empresas já apostam nos NFTs para se destacarem no mercado e explorar novas oportunidades. Assim, é uma boa hora para aprender mais sobre os tokens não fungíveis e o universo digital que vai crescer consideravelmente nos próximos anos.

Esperamos que este post tenha te ajudado a entender o que são as NFTs. Aproveite para aprender um pouco mais sobre o metaverso, outra ferramenta tecnológica que está em plena expansão. 

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.