DEVDAY2020
TECH

DEVDAY 2020: Resumão do primeiro dia

Atualizado há mais de 3 semanas

Acompanhe o nosso post e fique por dentro de tudo que rolou no primeiro dia (01/12) do DEVDAY 2020, que foi produzido 100% online. Confira!

A DevIsland surgiu em 2010, de um grupo de desenvolvedores apaixonados por tecnologia, que promovia katas e dojos para se aprimorar tecnicamente e conhecer novas pessoas.

Ela é um grupo independente, não estando associado a empresas ou tecnologias específicas. Fazem parte dela pessoas que sentem paixão pela arte, pela técnica e pelo ofício de programar.

Além do aprimoramento tecnológico, a DevIsland está interessada no progresso das pessoas de maneira ampla. 

Isso compreende a carreira, os contatos profissionais e como um dev ou deva se relaciona com seus pares, com a profissão e com o mundo.

Logo em seu primeiro ano de existência, a DevIsland promoveu o DEVDAY, um evento que se destaca desde o nascimento por ter as pessoas como ponto de partida e de chegada. 

Um agradável encontro que começou com 80 pessoas e que em 2019 contou com a presença de 1000 pessoas no evento!

Neste ano de 2020 foi um pouco diferente, foi feito uma versão do DEVDAY de modo 100% online, visto a situação ocasionada pela pandemia do COVID-19.

E, apesar do novo formato, tem sido fantástico! E se você perdeu o primeiro dia, não se preocupe, neste post, você irá ficar por dentro de tudo que rolou com o nosso Resumão

Curiosidade

Para mais informações você pode acessar o site oficial do evento.

Algoritmos Sociais: Por que se preocupar com eles?

Palestrantes: Mila Laranjeira, Vivi Mota, Carla Vieira e Nina da Hora

Por meio de uma conversa descontraída as palestrantes deixaram as suas marcas a respeito de assuntos que norteiam os Algoritmos Sociais. Abaixo, fizemos uma síntese do que rolou na apresentação, veja:

O que motiva os algoritmos de busca?

Os mecanismos de busca online surgiram lá no começo da internet. Eles tinham – e ainda têm – como função principal auxiliar os usuários a encontrar as informações que procuravam. 

Naquela época, o algoritmo era bem rústico e as formas de ranquear eram bem simples. Hoje existem muitos critérios e seria difícil definir como o Google trabalha com os algoritmos atualmente.

Vale lembrar que a Biblioteconomia influenciou o Google como entendemos hoje. Os resultados das buscas são tão importantes como a indexação. 

Algoritmos e as bolhas sociais:

Com os algoritmos, a ideia é que seja apresentado para você aquilo que você goste de consumir, de modo a te manter sempre ali na tela.

Acontece que, se você é estimulado a apenas consumir aquilo que você gosta, fica a seguinte reflexão: estaria  o algoritmo influenciando as pessoas a não ouvirem o outro lado, ou seja, limitando o conhecimento daquela pessoa, deixando ela presa nas limitações dos algoritmos?

Nesse cenário, é preciso que as pessoas entendam que só estarão recebendo conteúdos conforme as suas buscas, e diante disso, façam uma escolha consciente do que realmente pretendem consumir.

Como não ser tão afetado pelas Bolhas Sociais?

Estamos passando por isso agora, então é complexo dar uma solução para essa problemática. Mal comparando, seria ter a solução perfeita para uma forma de lidar com a pandemia causada pelo COVID-19. 

Mais adiante, com certeza, esse assunto voltará para a roda e, aí sim, podemos estabelecer melhor essas estratégias.

Para o momento, o que pode-se dizer é:

  • Repense as atitudes fora da rede, assim você terá menos interferência da mesma sobre você.
  • Tenha controle próprio, saiba se dar o espaço, diminuindo o contato com as redes.

Realidade Aumentada em dispositivos mobile

Palestrante: Ana Coimbra

A palestrante discursou de maneira prática diversas abordagens da Realidade Aumentada, tendo o foco os dispositivos mobile. Abaixo seguem os highlights do que foi apresentado:

Quais os benefícios da Realidade Aumentada?

Podemos destacar nesse meio, principalmente:

  • Alta imersão;
  • Proatividade;
  • Alta interação.

Como funciona uma experiência em Realidade Aumentada?

A ideia é pegar um conteúdo digital e trazer ele para o mundo físico, o mundo real e, para isso, ele precisa ser:

  • Cognitivo
  • Significativo
  • Transparente

Quais os fundamentos da Realidade Aumentada?

Combinar o real e o virtual: Informações coerentes e significativas

Ser interativo em tempo real: Consistência com  as ações do usuário

Mapeamento em 3D: Informações compatíveis com a nossa percepção de mundo

Do que é feita uma experiência de uma Realidade Aumentada?

Temos no total 3 componentes:

  • Sensores: Rastreamento, variáveis de ambiente , entrada de usuários.
  • Processador: Avalia dados dos sensores e envia sinais para o display (O processador precisa sustentar no mínimo 15 frames/segundo)
  • Display: Cria a impressão do mundo virtual misturado com o real

Ferramentas: Como usar a Realidade Aumentada em dispositivos móveis?

  • Arcore: Ferramenta do Google para experiências em Realidade Aumentada para Android, Unity e Unreal.

Para Android as opções são: Explicit intent, SDK + OpenGL e Browsers.

  • Arkit: Ferramenta da Apple para construção de experiências em Realidade Aumentada para IOS e iPadOS.

Para esses dispositivos as opções são: Ar Quick Look e SDR + OpenGL

Onde encontramos a realidade aumentada?

A verdade é que a realidade aumentada está inserida em muitos áreas do nosso dia a dia, como por exemplo: 

  • Jogos
  • e-commerces
  • Navegação
  • Educação
  • Engenharia/Indústria
  • Redes Sociais

Educação, inclusão e diversidade

Palestrante: Gustavo Glasser

Gustavo Glasser, CEO da Carambola, é um homem transexual, tendo enfrentado muitos obstáculos para se incluir e começar a trabalhar no mercado de tecnologia da informação. 

Para se sustentar, iniciou sua carreira como garçom de restaurante e, percebendo a oportunidade do mercado de trabalho em tecnologia, construiu seu próprio caminho, superando muitos desafios:

  • Passou por programas de treinamento Microsoft;
  • Trabalhou em grandes empresas;
  • Participou de concursos internacionais;
  • e fundou a Carambola.

Neste bate-papo, Gustavo conta de maneira intrigante e transparente a sua trajetória, desde o início da sua inserção no mercado, até o sucesso na área de tecnologia/ educação do mercado.

Ele fala sobre os desafios, os acertos, os apertos, e a visão de negócio atual de sua empresa, a Carambola

Além disso, foi abordada a diferença de diversidade e inclusão, e como a Carambola aborda esses pontos. 

Gustavo traz para a mesa os critérios utilizados hoje nas contratações de pessoas para as empresas e como a Carambola tem ajudado a educar/orientar essa atividade, tão importante na estrutura organizacional, de modo a repensar esse formato, que atualmente é muito raso de modo geral.

“O ideal é manter a cabeça aberta para entender esses planos. O que nós temos que fazer é permitir o valor do Open Source não só pra criar as ferramentas de tecnologia, mas o mercado que a gente quer daqui pra frente.”  - Gustavo

O lado feio de escalar uma aplicação SAAS de 0 a 2Bi+ requisições/mês

Palestrante: Jonathan Souza

Jonathan começou contando um pouco sobre a sua carreira profissional, o que provavelmente deve surpreender muitas pessoas, pois trata-se de uma área inimaginável para quem trabalha hoje com alta tecnologia. 

Ele conta que foi padeiro por alguns anos e que de forma autodidata foi aprendendo a desenvolver e ganhar dinheiro como freelancer de programação.

Em sua primeira oportunidade como desenvolvedor, ele foi aprovado em uma entrevista apenas demonstrando muita vontade de aprender. Em menos de dois anos já era um arquiteto de software respeitado por todo o time.

Hoje, Jonathan é CTO e cofundador da eNotas. É entusiasta da tecnologia, tem mais de 15 anos de experiência em arquitetura e desenvolvimento de sistemas complexos e escaláveis, sendo mais de 8 anos liderando times técnicos de alta performance.

Entre os assuntos abordados pelo palestrante estão:

  • Por que falar do lado feio?
  • O MVP na área de desenvolvimento, os erros cometidos durante o percurso.
  • Os desafios na construção do sistema da eNotas (API, WebServer, Consistência, escalabilidade)
  • Gargalos, instabilidades e erros inesperados no caminho.

Como contribuir em projetos Open Source

Palestrante: Cássio Botaro

Cássio fez uma contribuição ao vivo, live coding, mostrando dicas de coisas que acontecem no universo de um Open Source

Na apresentação é mostrado e explicado o passo a passo da pessoa contribuidora e da pessoa mantenedora.

Ele explica e expande a visão das formas de contribuição nesse processo, quais sejam: Ajudar com instruções, traduções, identificação de links quebrados ou sugerir funcionalidades, por exemplo.

Além de realizar o passo a passo, Cássio explica de modo simples e didático os termos principais que são utilizados nesse caminho de contribuição de um projeto Open Source. 

De fato, uma apresentação fantástica para quem procura entender um pouco mais sobre esse tipo de conteúdo, vale a pena conferir.

Passo a passo da pessoa contribuidora

1. Clonar projeto;

2. Criar Issue;

3. Implementação do código;

4. Push: Enviar as modificações de uma ramificação para o servidor remoto;

5. Executar uma Pull Request.

Passo a passo da pessoa mantenedora

1. Verificar a Pull Request;

2. Fazer um Code Review;

3. Executar uma mesclagem (Merge).

Educação em tecnologias, pra quê te quero?

Palestrantes: Douglas, Karine e Gibran

Por meio de um bate-papo descontraído, os palestrantes expuseram suas opiniões a respeito das instituições/academias formadoras de profissionais e o quão importante as oportunidade são, tendo em vista o mercado de tecnologia.

Durante a conversa, foram abordados diversos questionamentos. Abaixo, segue uma síntese dos assuntos:

As instituições de ensino estão preparadas para oferecer uma educação universalizada e capazes de promover o que o mercado pede?

“É verdade que existem alguns gaps na aprendizagem. Não vejo que as instituições de ensino estão habilitando as pessoas para construir um futuro. Com isso, as pessoas têm procurado outros meios de capacitação profissional do contrário ao tradicional.” - Gibran

“O nosso modelo de ensino ainda está muito atrasado em comparação com outros países ao redor do mundo.” - Douglas

“Nós temos professores fantásticos aqui, pessoas que fazem de tudo para entregar o melhor, apesar do pouco avanço tecnológico. Talvez isso forme jovens com senso de criatividade aguçado.” - Karina

Temos muitas ofertas de cursos técnicos aqui no brasil. Essas pessoas que aderiram a este processo teriam algum diferencial para aquelas que saíram do ensino médio e foram para a faculdade?

“Eu venho do curso técnico. Para mim foi a forma encontrada para entrar no mercado e tudo que eu tenho e sou hoje profissionalmente, eu devo a isso.” - Douglas

“Eu também sou formado em curso técnico. O que eu percebo é que o curso técnico traz um conjunto de práticas técnicas que habilitam e aceleram isso para o indivíduo, mas não é uma condição decisória para que essa pessoa possa desempenhar bem o papel dela.” - Gibran

“Será que a gente não deveria introduzir os cursos técnicos um pouco antes? Talvez seria interessante ter esse contato mais na base.” - Karina

Quais os impactos do crescimento (forçado) do ensino a distância na área da educação em tecnologia?

“O ensino a distância não foi planejado com a devida antecedência para o que estamos vivendo hoje. As pessoas que estão passando por isso podem ter o impacto da detração do ensino. “ - Gibran

“A pandemia veio e nos forçou a adaptar. Existem vários pontos que precisam ser melhorados, mas acredito que isso irá vir com o tempo.” - Douglas

Qual o papel das empresas na formação de pessoas para atuarem na área?

“Oportunidade. Estar mais aberto para gerar oportunidades e dar espaço para as pessoas demonstrarem seus valores.” - Douglas

“As empresas precisam enxergar que existe uma necessidade de sustentabilidade. Não estando focadas apenas na contratação do indivíduo formado, mas na evolução e formação dessa pessoa. Por que não abrir uma oportunidade para pessoas em uma academia de formação? As empresas precisam entender que a escassez que estamos vivendo dentro do mercado de tecnologia, também é da responsabilidade delas.” - Gibran

“A partir do momento que você investe na diversidade, você tem diversos benefícios na construção do mercado” - Karina

Quais outros tipos de benefícios as empresas podem ter quando decidem formar pessoas?

“A forma como é implantada e administrada a cultura. Eu tive a experiência de como isso de fato impacta na entrega dos resultados, além do bem-estar das pessoas.” - Douglas 

Aculturamento, Engajamento, Aceleração, Diversidade. Todo esse portfólio de benefícios trazem um ambiente rico, diverso e inovador. Dessa forma, a empresa não estará preocupada com aquela pessoa como recurso, mas como formação e evolução.” - Gibran

==============================================================================

Neste post você pôde acompanhar os principais detalhes das apresentações do primeiro dia (01/12) do DEVDAY 2020. Vale lembrar, que amanhã teremos mais! Fique ligado e não perca a continuação do evento, que acontecerá das 18h30 às 21h30. Até lá!

Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.