O que é e como dar feedback?

Quem é empreendedor deve ter em sua rotina algumas práticas que permitem entender se o resultado de seu trabalho, e de sua equipe, é entregue de maneira assertiva. Por isso, o feedback é um recurso que te permite reconhecer o que você domina e o que precisa ser melhorado.

Avaliar o trabalho das pessoas ao seu redor é essencial para corrigir falhas, propor melhorias e valorizar o papel de cada um, não importando o seu nicho de atuação. 

Porém, não é todo mundo que o entende como uma boa prática e nem sabe dar feedbacks corretamente. 

Neste texto, você entenderá melhor como usá-lo com eficiência – seja ele positivo ou negativo — para melhorar a performance da equipe. Vamos lá?

O que é feedback?

Uma das traduções do termo já dá o tom sobre o que ele significa para o ambiente corporativo: retorno. Isso nada mais é do que uma avaliação de um trabalho, de um produto... seja o que for.

Não é apenas o resultado, é ter opiniões que podem contribuir para a melhoria contínua do que é realizado. Por isso, ele é muito importante em qualquer empreendimento 

Existem dois tipos de feedback: o positivo e o negativo.

O que não significa que os ter — ou os dar — faça diferença no que importa: avaliação e mapeamento de pontos fortes e fracos. Qualquer um deles precisa ser transparente e construtivo. 

Muitas vezes, pode ser confundido como uma crítica negativa, seja pelo modo como você o recebe ou mesmo como uma pessoa passa o feedback. Por isso, é preciso cabeça fria para avaliar cada retorno. 

De todo modo, ele é importante. E você vai saber o porquê agora! 

Qual é a importância do feedback para o sucesso do negócio?

Ele é um instrumento para avaliar processos, melhorar o desempenho de uma atividade em equipe – ou individual – e até mesmo medir o clima organizacional, essencial para um ambiente de trabalho produtivo. 

Quando dada para a equipe, o feedback reafirma a importância de cada colaborador e a sua responsabilidade em um procedimento.

Além disso, é fundamental para uma pessoa ter uma avaliação de sua atuação em alguma demanda para melhorar ou mesmo aplicar pontos positivos em situações que requerem excelência.

Para você, líder, é importante não apenas dar feedbacks, como também é primordial que saiba receber. 

Não é porque você exerce função de chefia que deve se eximir de receber feedback. Muito pelo contrário. O saber ouvir é tão fundamental do que o saber falar. 

Muitos gestores acreditam que não precisam de avaliação de sua equipe, o que gera, muitas vezes, antipatia dos demais, falta de um processo melhorado continuamente e pode ser um indício de microgerenciamento — algo indesejado por empresas. 

Por isso, abaixo, você lerá sobre como dar feedback e como ouvi-los também.

Como dar feedback?

Dar um retorno ou uma avaliação para alguém sobre um processo de trabalho pode ser perigoso pelo simples modo de como se fala. 

Portanto, é fundamental ter um bom diálogo com sua equipe e demais companheiros de trabalho. Uma construção, mesmo, ao longo de sua jornada. Isso deve ser a base. Outras dicas fundamentais são:

Contextualize

A pessoa precisa saber o porquê ela receber aquele retorno. Caso seja um negativo, essa dica é mais que valiosa: fundamental!

Diga o que e quando ocorreu. Seja específico sobre qual atividade o feedback é dado. Generalizar é algo que pode atrapalhar muito, mesmo que o feedback seja positivo. 

Se a ação avaliada teve um impacto sobre a empresa ou um cliente, não esconda. Você ser detalhista nessa contextualização é imprescindível para mostrar o valor do feedback dado. 

Menos emoção, mais razão

É importante separar, aqui, a emoção da razão. Se o retorno for positivo, acalme o seu ânimo para não empolgar a pessoa demais, ou equipe, e mostre que todo feedback é para realizar melhorias.

Se por negativo, esteja em um bom estado de espírito, não se deixe levar pelo estresse do momento, seja objetivo na contextualização e que a ocasião é para encontrar os melhores caminhos para todos. 

Separe a amizade que você possa ter com a pessoa e mantenha o ar profissional.  

Treine

Não é possível ter melhorias se você não capacitar colaboradores. Qualquer que seja o resultado de uma entrega ou de um processo, mapeie em que é necessário um treinamento. 

Como bem já leu neste post, o feedback é uma via de mão dupla e é por isso que você deve oferecer oportunidades para um funcionário encontrar formas de melhorar o seu desempenho na empresa. 

Acompanhe

Mostre interesse pelo crescimento de sua equipe. Depois de dado o feedback, monitore qual é o comportamento que o funcionário tem no ambiente de trabalho. 

Veja se ele entendeu a intenção do retorno dado e, se achar que há exagero na empolgação com um feedback positivo ou um desânimo por conta de um negativo, chame-o para uma nova conversa e fale sobre. 

Com relação às melhorias, veja se elas de fato estão surgindo. Se não for o caso, refaça a conversa e tente entender o porquê. Pode ser que você tenha dado feedback errado. 

Sempre explique o porquê

Você é líder e precisa saber da importância daquele feedback. Mas nem sempre, quem escuta, sabe o motivo disso.

Mostre que há uma preocupação de melhoria contínua no trabalho do colaborador em questão. Ou que é importante ele saber que seu trabalho gerou algo positivo para a empresa.

E, principalmente, que a empresa está aberta a diálogo. Ela dá, mas que também quer receber. E aí que você precisa saber ouvi-lo também.

Aprenda a ouvir

O diálogo é sempre uma via de mão dupla. É falar e ouvir, sempre! Empresas e líderes recebem feedbacks justamente quando dão os seus. Por isso, sempre esteja preparado para ouvir quando for falar. 

Valorize a fala do colaborador

Entenda o objetivo de um feedback recebido: ele é o mesmo para aquele dado. E veja que a iniciativa pode ser um claro sinal de que há um diálogo aberto e transparente entre as partes e que há uma liberdade do colaborador com a liderança. 

Portanto, aja com naturalidade, demonstre interesse pela fala do outro e nunca interrompa a pessoa.  

Justifique apenas se achar muito necessário

No momento de avaliação, é muito importante não encontrar justificativas. É essencial realizar essa justificativa para si mesmo para se auto avaliar, mas evite fazê-lo a pessoa que lhe dá um retorno.

Faça apenas quando muito necessário: quando há uma má interpretação dos fatos ou se for exposto algo que não é verdade.

Cuidado com defesas irredutíveis

“Não há o que fazer”. “Você está errado”. “Trabalhamos assim a vida toda”, e o famigerado “Eu sou assim mesmo”: evite essas falas. Isso mostra irredutibilidade e que não há um diálogo de fato. A atitude cria uma má imagem e, sobretudo, uma distância entre os relacionados. 

Resumidamente, tente não se defender. Se achar necessário, faça justificativas apenas de processos essenciais. 

Agradeça

Mostre o valor da fala da pessoa. Agradeça a cada avaliação dada, mesmo que ela não seja muito boa de ser ouvida. Isso mostrará que você valoriza o momento, que ele é importante para o processo de melhoria. Por isso, nunca se poupe do “obrigado”. 

Incentive!

Acredita que o feedback não é dado com regularidade? 

Faça reuniões, abra para discussões com todas as partes envolvidas no empreendimento. Mostre que você quer ouvir cada pessoa que trabalha para (e com) você. 

E você, está aberto a receber feedbacks? Como você faz para conter os ânimos quando recebe um positivo e o que não o deixa abalar em caso de um negativo? Conte a sua experiência aqui nos comentários!

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing apaixonado pela produção de conteúdo, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>
Gabs

Como conseguir 200 mil visitas mensais no seu site sem gastar com anúncios