Como calcular o índice de inadimplência + dicas para diminuir

Atualizado há mais de 1 semana

O índice de inadimplência é uma das taxas que ajudam a entender como está a situação financeira de uma empresa.

Ela é uma métrica que diz quantos pagamentos não foram realizados sobre as vendas concretizadas entre sua cartela de clientes.

Nesse ponto, é fundamental determinar qual é o ponto tolerável desse índice além de achar formas de diminuir.

Por isso, você lerá mais a respeito do índice de inadimplência, como calcular e o que fazer para diminuir. 

O que é índice de inadimplência?

O índice de inadimplência representa em porcentagem a quantidade de clientes que atrasaram ou não realizaram o pagamento de suas compras já realizadas dentro de um determinado período.

Trata-se de um indicador crucial para avaliar a saúde financeira do seu negócio e identificar possíveis problemas na área de cobrança.

A inadimplência ocorre quando a empresa dá a possibilidade de fazer parcelamentos em compras, principalmente, e é nesses casos que o índice precisa ser acompanhado com mais atenção.

Como calcular o índice de inadimplência?

Para calcular o índice de inadimplência, primeiramente você precisa considerar um período de análise.

Isso é importante porque permitirá uma análise mais precisa da evolução das suas cobranças ao longo do tempo.

Outro ponto determinante é saber qual é o período da inadimplência. Ou seja, há quanto tempo o pagamento está vencido.

Você pode optar por escolher inadimplências de 30, 60 ou 90 dias.

Por fim, é importante também ter ciência de quanto foi o seu faturamento no mesmo período de análise.

Assim, você divide o montante de dívidas e divide pelo valor faturado no mês. O resultado é multiplicado por 100.

(Débitos acima do período de vencimento analisado/faturamento no período analisado) x 100.

Faça essa análise de tempos em tempos. É importante acompanhar essa métrica para entender o nível de dificuldade que sua empresa possui em fazer com que essas dívidas sejam quitadas e possam ser contornadas.

Atraso nem sempre é uma inadimplência!

No cálculo, você leu que é importante determinar qual o tempo do vencimento para considerar a inadimplência.

Um atraso de 7 dias pode até ser considerado inadimplência, mas talvez não precise ser analisado em seu cálculo.

Trace um período maior para considerar um cliente inadimplente e, antes de tomar as medidas legais, tente negociar a dívida ou mesmo, analisar em sua taxa, para não a fazer ser tão grande. 

Como diminuir a taxa de inadimplência? 

Sabendo da importância de manter uma taxa de inadimplência tolerável, é preciso entender como fazer com que ela diminua.

Essas estratégias passam por ter um bom relacionamento com o seu cliente, mesmo que ele esteja em dívida com sua empresa, antes de tomar medidas legais naqueles cenários incontornáveis.

Confira algumas dessas dicas.

Faça uma análise criteriosa de crédito do cliente

Faça uma avaliação cuidadosa do perfil de cada cliente antes de conceder crédito. Utilize ferramentas como score de crédito e a consulta SPC/Serasa.

Essas análises farão entender se o cliente possui algum histórico de dívidas – ou se já possui alguma aberta, o famoso “nome sujo”.

Só dê crédito aqueles que realmente parecem confiáveis, que conseguiram contornar as suas dívidas. Melhor não fechar uma venda do que ter a dor de cabeça da inadimplência.

Realize ações de engajamento no pós-venda

Criar laços de confiança com o cliente pode fazer com que ele priorize o pagamento das dívidas com sua empresa.

Uma boa estratégia é criar comunicados logo quando o vencimento estiver chegando, pesquisas de satisfação, com um canal de comunicação em que ele possa opinar sobre seu produto ou serviço.

Tenha uma política de cobrança clara

A política de cobrança é um documento que estabelece o que precisa ser feito quando há inadimplência.

Pode ser vista como um guia de boas práticas que define os processos nesse caso. É preciso estabelecer:

  • A partir de que momento uma dívida é considerada inadimplência a ser tratada;
  • Quais os canais usados para realizar a cobrança;
  • Quais são os juros e multa aplicados para esses casos;
  • Plano de renegociação;
  • Período máximo para ser tratado sem envolver a justiça.

Mantenha uma comunicação efetiva e amigável

Existem diversos motivos para a inadimplência de clientes. Por isso, vale a pena tratar caso a caso e a melhor maneira de fazer isso é tendo uma boa comunicação.

Use os canais adequados para cada cliente e faça isso de maneira ágil. Inicie a cobrança de inadimplentes o mais rápido possível, idealmente dentro dos primeiros 5 a 10 dias após o vencimento. Quanto mais cedo você agir, maiores as chances de recuperar o valor devido.

Dessa forma, use os métodos disponíveis até entender qual funciona com as pessoas. Telefone, e-mail, SMS e WhatsApp costumam ser formas eficazes. Personalize a abordagem de acordo com o perfil de cada cliente e o valor da dívida.

Não tenha melindre em dizer que a dívida está em aberto e que poderá ser aplicado multas e penalidades, mas faça isso com empatia e delicadeza, mantendo o tom amigável.

Esteja disposto a negociar acordos de pagamento com clientes inadimplentes. Ofereça opções de parcelamento, descontos ou renegociação da dívida para encontrar soluções que beneficiem ambas as partes.

Utilize sistemas automatizados

Ter um sistema que possa gerenciar essas dívidas pode fazer com que as cobranças sejam mais certeiras.

A tecnologia ajudará com um sistema de cobrança e até mesmo meios de saber quais são os dias de vencimento de cada um dos clientes inadimplentes. O sistema pode centralizar também os canais para o qual você fará as comunicações com a pessoa.

Em todo caso, você pode contar com a ajuda de empresas especializadas nesse tipo de gestão, caso seus recursos operacionais ainda não sejam o ideal.

Quer mais dicas? Confira: o que faz um contador e qual é a importância dele para o seu negócio? 

O que fazer se a empresa se tornar inadimplente

Um dos problemas que pode envolver a inadimplência é quando a empresa se torna inadimplente.

Nesses casos, o primeiro ponto é entender onde está o problema: o porquê de acontecer essas dívidas estão ocorrendo.

Um mal controle de dívidas pode fazer com que sua saúde financeira esteja ruim e prejudique o seu crescimento.

Por isso é fundamental estruturar os processos financeiros de sua empresa, ajudando os prazos de vencimento e principalmente tendo ciência do tamanho de seus recursos para criar novas dívidas.

Ter um time financeiro otimizado pode ajudar nesse processo, além de ajudar a controlar a taxa de inadimplência de seus clientes.

Por isso, comece a automatizar processos, como o da emissão de notas – uma tarefa importante e que feita de modo errado pode prejudicar toda empresa. 

Nessa hora, conte com a eNotas.  

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.