O que é MVP e como aplicar o conceito na sua empresa

Você já teve alguma grande ideia para empreender e não soube por onde começar?

Pois bem, o Minimum Viable Product (MVP) é um conceito que ganha cada vez mais espaço no mercado porque apresenta rápidos e precisos nessas horas. 

Também chamado de Produto Viável Mínimo em português, a ideia foi o primeiro passo para o sucesso de muitas empresas. A proposta é clara e direta: legitimar o potencial de um produto ou serviço 

Como nada acontece por acaso, é necessário analisar inúmeros fatores e testar protótipos antes de investir grandes quantias financeiras. Nessas horas, as suas decisões devem ser precisas e você não pode ter dúvidas.

Este post responde os principais questionamentos sobre o assunto. Confira!

O que é MVP?

Eric Ries, autor do livro The Lean Startup, define MVP como “ aquela versão do produto que permite uma volta completa do ciclo construir-medir-aprender, com o mínimo de esforço e o menor tempo de desenvolvimento”.

Em outras palavras, O MVP reúne as principais funcionalidades de uma solução em um protótipo ou uma versão alpha. Desse modo, os empreendedores utilizam poucos recursos financeiros, logísticos e humanos para o desenvolvimento da solução e conseguem testá-la.

Por que o conceito é tão importante?

O MVP é uma forma eficiente de obter informações precisas sobre a receptividade do mercado em relação ao seu serviço.

Ou seja, o Minimum Viable Product é um protótipo de sua solução, que cria contato direto com os clientes, em que eles podem testar o seu produto e indicar o que está certo ou errado.

Quais são as melhores dicas para alcançá-lo?

Tenha em mente que não existe um passo a passo universal para criar e testar o MVP. Tudo depende dos seus objetivos e da parcela do mercado que você deseja alcançar.

Contudo, algumas etapas trazem bons resultados em muitos casos. Confira-as abaixo:

Estabelecer uma proposta de valor

O primeiro passo se refere à definição do valor que o seu MVP pode apresentar ao mercado. De nada adianta criar um produto bonito se não há uma boa demanda.

Assim sendo, é preciso deixar claro os “porquês” do Produto Mínimo Viável, encontrando as melhores formas de divulgação do serviço ou mercadoria e quem são as pessoas que devem testá-las.

Pense no exemplo de um carro. O seu possível MVP poderia ser um meio de locomoção simples, como um skate, que tem o objetivo de transportar pessoas. Ao passar pelos testes com os clientes, o MVP pode ser desenvolvido em uma bicicleta ou motocicleta e, finalmente, em um automóvel.

Nesse exemplo, não é possível chegar a um produto final de qualidade iniciando os trabalhos pela roda do carro. Apesar dela ser um componente importante, ela não resolve o problema do cliente sozinha.

Colocar em teste o que foi desenvolvido

Após isso, é necessário testar o Produto Mínimo Viável.

Isso quer dizer que você precisa selecionar um grupo de pessoas para experimentar o que foi desenvolvido pela sua equipe. Mais uma vez, você precisa escolher locais e clientes adequados às suas metas, a fim de:

  • compreender a receptividade do mercado e a experiência dos consumidores;
  • encontrar gargalos e pontos problemáticos, que devem ser aprimorados para o lançamento do produto final.

Inspirar-se em exemplos

Algumas ideias são inovadoras e criam novos nichos no mercado, certo? Nessas horas, você pode ter dificuldades para divulgar o seu MVP.

Em casos mais extremos, não é possível desenvolvê-lo sem investir muito dinhero e inúmeras horas de trabalho.

Se você quer otimizar o seu tempo, saiba que você pode se inspirar em situações e imprevistos superados por outras empresas.  

O Dropbox, por exemplo, utilizou o conceito de MVP de uma maneira descomplicada. O seu criador, Drew Houston, fez um vídeo demonstrando os problemas de quem precisava administrar arquivos em dispositivos diferentes durante uma viagem.

Ao introduzir o conceito do Dropbox, o usuário poderia compartilhar e acessar fotos e documentos em qualquer lugar.

Veja o vídeo abaixo:

Em quais pontos os empreendedores erram?

Abaixo, você encontra uma lista de erros que você não pode cometer:

Criar um MVP de baixa qualidade

Alguns empreendedores ainda acreditam que o lançamento do MVP está relacionado à produção de um serviço ou mercadoria de péssima qualidade.

Ou seja, você não pode abrir mão dos valores de seu produto — ele deve atender aos desejos de consumo do mercado e solucionar um problema com praticidade.

Alguns empreendedores, visando a economia de recursos, não prestam atenção nessa etapa e lançam um MVP que não tem as características mínimas que o mercado pede.

Ao fornecer um MVP de péssima qualidade, você receberá comentários e análises sobre como melhorá-lo e não saberá se o serviço terá sucesso.

O design de sua solução SaaS, por exemplo, não precisa ser perfeita e bonita. Nessas horas, basta agregar valor à experiência do cliente e mostrar como o produto tem as funcionalidades exigidas.

Analisar dados incorretamente

A análise de dados é uma tarefa rotineira para um empreendedor. É essencial acompanhar o desempenho da equipe, visando encontrar pontos negativos e positivos na produção — e não poderia ser diferente na hora de estabelecer o minimum viable product.

Antes mesmo de disponibilizá-lo ao mercado, é preciso definir quais indicadores devem ser acompanhados e registrados. E não pense que esse é o momento ideal para pensar na na escala e tração de vendas.

Mantenha o seu foco nas funcionalidades básicas do produto.

Em outras palavras, faça de tudo para resolver a dor de seu cliente da melhor maneira possível.

Cada empresa precisa direcionar os seus esforços para métricas diferentes. Contudo, os dados devem convergir para os seguintes pontos:

  • métricas estratégicas de vendas, como o ticket médio e o número de negociações realizadas no período;
  • métricas de produtividade dos vendedores.

Nunca pule essa etapa, pois ela fornece informações imprescindíveis para confirmar o MVP.

Desistir nos primeiros obstáculos

Quem acompanha o mercado tecnológico sabe que a linha que separa o sucesso do fracasso é muito tênue. Muitos empreendedores se inspiram em história de grandes empresas que surgiram de simples ideias, como o Facebook e a Apple.

Porém, existe um longo caminho até a consolidação de sua marca. Saiba que diversos desafios podem surgir. Como não existe uma fórmula mágica para a determinação, você se encontrará em um beco sem saída em alguns momentos.

Ao empreender, você precisa estar preparado para superar obstáculos, com soluções rápidas e práticas.

A definição do produto viável mínimo é algo que envolve riscos e falhas por mais que você se planeje e estruture muito bem.

É essencial aprender com as próprias falhas e não abandonar um projeto na primeira dificuldade. Nessas horas, mapeie processos e hipóteses, a fim de identificar erros e as suas possíveis soluções.

Esquecer-se dos clientes

Não importa em qual área você deseja atuar, a satisfação do cliente deve ser a sua prioridade. Os seus primeiros consumidores são fontes confiáveis de conhecimento sobre o seu produto, já que eles o utilizam e enfrentam os problemas iniciais.

Desse modo, é fundamental estar aberto ao diálogo e escutar tudo o que os clientes têm a dizer. Analise esses feedbacks com calma e veja onde é possível otimizar as funcionalidades e as características de seu MVP.

Ao ler este post, você entendeu mais sobre o que é o MVP e qual é a sua importância. A partir de agora, coloque os seus planos em prática e descubra como é possível lançar a sua mercadoria ou serviço

Quer aprender ainda mais sobre as tendências do mercado? Então, continue conosco e veja como aumentar as vendas em SaaS.

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>