DRE
NEGÓCIOS

O que é DRE? Como ela revela o desempenho financeiro do seu negócio?

Atualizado há menos de 1 semana

A DRE é um raio X preciso da situação financeira da sua empresa, que mostra o melhor caminho para reduzir custos e aumentar seus lucros.

Em um único relatório, você consegue visualizar as receitas, custos e despesas do seu negócio, acompanhando cada dedução e soma, até chegar ao resultado líquido — que pode ser de lucro ou prejuízo.

Se você souber interpretar esse demonstrativo, terá uma referência valiosa para tomar decisões sobre suas finanças e manter a empresa sempre no azul.

Por isso, vamos explicar a DRE em detalhes e dar algumas dicas para ler o documento corretamente.

Siga a leitura e aprenda a analisar o desempenho financeiro do seu negócio. 

O que é DRE?

A DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é um dos relatórios contábeis mais utilizados para entender a situação financeira das empresas. O documento detalha a formação do resultado líquido em um determinado período de exercício do negócio, ou seja, a comparação entre suas receitas, custos e despesas. 

Geralmente, a DRE é apresentada pelo contador junto com o balanço patrimonial para demonstrar a posição financeira da empresa, como parte das obrigações contábeis previstas em lei. 

Veja as informações essenciais nessa demonstração:

  • Receita bruta de vendas de produtos e serviços;
  • Deduções de impostos ;
  • Receita líquida de vendas;
  • Custo do produto vendido;
  • Resultado bruto (lucro ou prejuízo);
  • Despesas operacionais, financeiras e administrativas;
  • Receitas financeiras e outras receitas;
  • Resultado do exercício antes do IR/CSLL;
  • Valor do Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • Lucro ou prejuízo líquido do exercício. 

Por que a DRE é importante para as empresas?

A DRE funciona como um raio X completo das saúde financeira da sua empresa, que deve ser consultado para entender o desempenho do negócio e tomar decisões. 

Ao analisar o demonstrativo, você sabe imediatamente se teve lucro ou prejuízo no período, além de entender quais despesas pesaram mais no orçamento e quais foram os momentos mais lucrativos para a empresa.

A partir desses resultados, você pode traçar estratégias para reduzir custos e maximizar lucros, além de comparar a performance em diferentes momentos do negócio. 

Para os micro e pequenos empreendedores, é ainda mais importante acompanhar a DRE para ter um controle financeiro eficiente e evitar o endividamento.

Vale lembrar que, a inadimplência de empresas bateu recorde no Brasil em janeiro de 2020: são 6,2 milhões de negócios negativados, dos quais 94,2% são micro e pequenas empresas, de acordo com dados do Serasa Experian. 

Nesse momento de crise, o planejamento financeiro é a única saída para manter o negócio em equilíbrio e sair do vermelho — e a DRE é sua principal base para organizar as finanças. 

Como interpretar a DRE na gestão financeira?

A DRE é estruturada de forma lógica e intuitiva para facilitar a compreensão das movimentações financeiras.

No entanto, podem surgir dúvidas na sua interpretação, principalmente se você não está familiarizado com os termos da contabilidade.

Confira algumas dicas para ler a DRE corretamente. 

1. Considere o regime de competência

O que diferencia a DRE de outros relatórios, como o fluxo de caixa, é que seus resultados são baseados no regime de competência — e não de caixa.

Isso significa que toda movimentação (ganho ou gasto) deve ser registrada na data em que ocorreu, independentemente da data de recebimento ou pagamento. 

Ou seja: se uma compra de R$ 5.000,00 de insumos é feita em 5 parcelas, na DRE será apresentada a despesa que ocorreu na competência, no valor de R$ 5.000,00

Já no fluxo de caixa, o valor aparecerá em cinco parcelas de R$ 1.000,00, pois é considerado somente o momento em que foram debitadas. 

2. Compreenda os termos utilizados

Você só vai conseguir extrair as informações da DRE se compreender os termos contábeis e financeiros básicos utilizados.

Por exemplo, a receita bruta é o que você recebe pela venda de produtos e serviços sem descontar custos e despesas, enquanto os custos são os gastos diretamente relacionados à sua produção.

Já as despesas são os gastos para manter as operações da empresa, considerando despesas fixas e variáveis como aluguel, salários, contas de consumo, etc.

No final, o resultado ainda é apresentado antes e depois dos principais impostos que incidem sobre o faturamento da empresa (IR e CSLL).

3. Entenda a estrutura da DRE

A estrutura da DRE é apresentada em etapas, para que você entenda quais valores foram somados e subtraídos até chegar ao resultado líquido.

Por isso, você deve acompanhar os cálculos desde o topo do documento que, parte do resultado bruto, até chegar à posição final, com todas as deduções, custos, despesas e receitas da empresa. 

Este é o resumo das operações da DRE:

  • Receita de vendas - Custos = Resultado Bruto (lucro bruto);
  • Lucro bruto - despesas operacionais = resultado operacional (lucro operacional);
  • Lucro operacional - Impostos CSLL e IRPJ = Resultado líquido ou lucro ou prejuízo líquido.

4. Faça análise horizontal ou vertical

Quando receber seu DRE, você tem duas análise possíveis: horizontal ou vertical.

A análise horizontal considera a evolução dos resultados durante um período, comparando vários relatórios para entender o comportamento dos indicadores com o passar do tempo. 

Já a análise vertical avalia a participação de um determinado indicador nos resultados gerais da DRE, medindo percentualmente cada componente em relação ao todo do qual faz parte — ou seja, verificando o quanto esse elemento é importante em relação ao relatório completo. 

Para facilitar ainda mais a leitura do seu DRE, você pode usar uma plataforma de gestão financeira online, como a ContaAzul, que gera o relatório automaticamente com dados sempre atualizados e permite uma comparação rápida e prática.

Agora você tem mais um instrumento para se manter no azul e otimizar sua gestão. 

Entendeu por que a DRE é essencial para visualizar o desempenho financeiro do seu negócio?  Se tiver ficado alguma dúvida, conta pra gente nos comentários!

Guest post produzido pela ContaAzul.

Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email.
Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.