Pix 2022: novidades da forma de pagamento

Atualizado há mais de 1 semana

Desde que foi lançado no dia 5 de outubro de 2020, o Pix se popularizou como um dos meios de pagamento mais utilizados atualmente. Facilitando transações, o modelo funciona 24 horas, sete dias por semana, entre instituições financeiras, fintechs e instituições de pagamento.

Assim, milhares de brasileiros passaram a utilizar o Pix como principal forma de pagamento, podendo realizar transações rapidamente utilizando o smartphone. Até outubro deste ano, já eram mais de 348 milhões de chaves cadastradas no sistema do Pix e cerca de 105,2 milhões de pessoas físicas utilizando o recurso – número que representa 61,4% da população.

A ferramenta passou por várias atualizações e mudanças desde seu lançamento, e, em 2022, não será diferente. No aniversário de um ano do Pix, o BC anunciou várias novidades para o sistema de pagamentos que podem entrar em vigor no próximo ano. Por isso, preparamos este post com as principais novidades do Pix para 2022. Vem com a gente!

O que é Pix?

O Pix é uma maneira de fazer transferências e pagamentos instantâneos em até 10 segundos. Assim, aquelas transações que acabam levando dias para "cair", acontecerão de forma rápida agora.

Desta forma, o Pix é uma alternativa para transferir e fazer pagamentos de modo ágil e barato – para usuários (pessoa física), ele será totalmente gratuito. Já para as instituições financeiras que oferecem o Pix, o custo é de R$ 0,01 a cada 10 transações. 

Principais mudanças do Pix 2022

Inicialmente, duas alterações já estão previstas para serem implantadas no próximo ano. São elas as atualizações no Pix Cobrança e o Pix Débito Automático. 

  • Pix Cobrança: as atualizações previstas para essa modalidade de Pix se referem aos pagamentos, permitindo a melhora dos pagamentos em lote. Isso porque, atualmente, cada instituição financeira tem sua própria forma de funcionamento, sendo assim, a tentativa seria de padronização e simplificação desse um modelo. 

 

  • Pix Débito Automático: essa mudança diz respeito à possibilidade de pagamentos em débito automático. Dessa forma, será possível ter mais facilidade em cobranças recorrentes, com a vantagem de programar transações, evitando o esquecimento do usuário.

Transações offline e internacionais no Pix 2022

Durante o evento de aniversário do Pix, também foi anunciada a chegada do Pix sem internet, que permitiria transações de pagamento instantâneo de maneira totalmente offline. Segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, as transações mesmo sem conexão com a internet e as transferências internacionais devem estar disponíveis no ano que vem. 

Segundo o Banco Central, já estão sendo feitos estudos avançados sobre os pagamentos do Pix sem a necessidade de Wi-Fi ou dados móveis de internet. O objetivo é expandir a utilização do Pix para ambientes sem internet. Os detalhes de como essa função vai funcionar ainda não foram revelados.

No entanto, a instituição afirmou que para a implementação dessa função, "é necessário que o sistema de QR Codes seja melhor assimilado pela população em geral". A novidade chegaria através de QR Code gerado pelo pagador em modo offline.

Já em relação às transações internacionais, a intenção é conectar o Pix a outros sistemas de pagamentos exteriores para facilitar transações como compras internacionais e remessa de valores ao exterior.

Débito automático 

Outra novidade muito aguardada pelos usuários do Pix é o débito automático. Segunda a agenda, em 2022, os usuários vão poder programar débito automático pelo Pix. A funcionalidade ainda não tem data prevista para entrar em vigor.

A nova ferramenta tem objetivo de atender transações recorrentes, como pagamentos de contas de energia, água ou internet, por exemplo. Com ela, os usuários poderiam ter a tranquilidade de ter todos os pagamentos já programados. 

A função vai funcionar da mesma forma como as pessoas programam débito automático de contas por meio de aplicativos de bancos, por exemplo. 

Novidades no Open Banking

O Banco Central também implementará novidades para o open banking, sistema lançado em 1º de fevereiro deste ano, que possibilita a troca de informações dos dados de consumidores entre as instituições financeiras.

A primeira mudança chega em 15 de fevereiro, e vai permitir que lojistas conectem todas as contas de clientes em diferentes instituições para fazer o pagamento de uma compra. De forma simples, a função eliminará a necessidade de usuários usarem vários apps diferentes para fazer um pagamento, tornando tudo acessível via um programa a escolha dele.

A função, chamada open finance, será destinada para pagamentos com o Pix, e no ano que vem estará disponível também para outras categorias de transação, como o TED (a partir de 15 de fevereiro), boletos (a partir de 30 de junho) e, por fim, para débitos em conta (30 de setembro). 

E você, também já é usuário do Pix? É importante variar os meios de pagamento quando se tem um negócio! Confira neste post as principais formas de pagamento do mercado e porque você deveria começar a usá-las agora mesmo!

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.