8 dicas para formar equipes autogerenciáveis: como promover a autonomia

Atualizado há mais de 3 semanas

Uma equipe autogerenciável é aquela que consegue ter autonomia para seguir suas próprias demandas, sem a necessidade de delegação de uma alta gestão.

Esse nível de senioridade de uma equipe é o resultado de um estilo de gestão menos baseado em controle e mais referenciada na confiança e capacitação de colaboradores.

É preciso uma mudança de paradigma na cultura corporativa para se ter uma equipe autogerenciável, muito baseada em treinamentos, alinhamento de expectativas e metas bem claras e definidas.

Não é um trabalho fácil, mas necessário para ter times e pessoas mais especialistas em seus cargos. Um passo para um novo momento de toda empresa.

Confira o que é necessário para isso!

O que são equipes autogerenciáveis?

Equipes autogerenciáveis são aquelas que possuem autonomia de atuação em sua rotina. Sabem exatamente o que fazer, com os prazos certos e com ritos de aprendizado.

Elas não só garantem que uma meta possa ser batida como indicam se são realizáveis ou não. As equipes autogerenciáveis se preocupa com uma curva de aprendizado e se compromete com suas entregas.

O time é também colaborativo: cada integrante possui domínio de suas atividades de forma a entender como contribuir para a tarefa do próximo.

Por isso mesmo, equipes autogerenciáveis são altamente multidisciplinares com trocas de conhecimento constantes.

Além disso, algumas características são encontradas em equipes autogerenciáveis, como:

  • Hierarquia horizontalizada;
  • Criatividade;
  • Proatividade;
  • Inovação;
  • Agilidade em soluções de problemas;
  • Responsabilidade;
  • Confiança.

Dicas para construir equipes autogerenciáveis

Para construir uma equipe autogerenciável, é preciso uma cultura organizacional muito presa à confiança, compartilhamento de conhecimento e com metas bem claras.

Por isso mesmo, as dicas para se fazer isso em sua organização passam muito por essas características.

Confira.

1.      Tenha meta e a compartilhe

A primeira coisa que uma equipe autogerenciável precisa ter é uma meta. Mais que isso, é saber qual é a expectativa da empresa para seu atingimento.

A meta, no entanto, não é imposta. Ela é debatida e as pessoas responsáveis por elaborá-la precisam considerar a opinião de todos, para se saber se ela é de fato entregável e atingível.

É preciso entender, no dia a dia, se a meta é de fato alcançável. Uma métrica difícil de atingir pode desmotivar os colaboradores e não extrair o melhor deles.

2.      Ofereça ferramentas de trabalho condizentes

As pessoas em um time autogerenciável precisam ter à disposição as melhores ferramentas para exercer suas atividades.

Esses recursos precisam ajudar as pessoas a se desenvolver de forma independente – ou o mais próximo disso – e a ser condizente com as metas esperadas.

Quando se fala em ferramentas, entenda tudo aquilo que as pessoas possam usar para desenvolver bem suas tarefas: desde computadores, acessórios, softwares e também objetos de bem-estar e ergonomia, como cadeiras e mesas, por exemplo.

3.      Crie um ambiente propício ao diálogo e boa comunicação

Esse é um dos maiores desafios para se criar uma equipe autogerenciável, mas é essencial. O ambiente propício ao diálogo e boa comunicação envolve toda a empresa e precisa ter estratégias específicas para ser desenvolvida.

Um dos primeiros pontos é criar uma rotina de comunicação clara, com a mensagem direta e aberta ao diálogo com seus envolvidos.

Outro ponto que proporciona um ambiente seguro para o diálogo é um rito de feedbacks. Essas devolutivas precisam ser construtivas e em busca do melhor para cada um.

É uma forma de passar a impressão de cada um sobre o trabalho do outro, mas com o intuito de melhorias.

Por isso, é preciso uma estrutura e maturidade para receber esses feedbacks. Envolver profissionais de psicologia e gestão de pessoas pode ser necessário.

4.      Estimule a motivação

A motivação é dada por estímulos como o reconhecimento em público e até mesmo premiações.

Isso pode ser feito por meio de desafios e programas de bonificações. O importante é ter uma equipe sempre motivada para superar os obstáculos de metas ousadas possam ter.

Um ponto importante nisso é criar um ambiente competitivo. Essa competição precisa ser saudável e de modo que propicie a melhoria do time como um todo, não uma autopromoção de um ou outro colaborador.

5.      Faça capacitações

Você não terá uma equipe autogerenciável se ela não for especialista naquilo que faz. E isso só é possível aperfeiçoando o time com capacitações e treinamentos.

Desenvolva os colaboradores e peça sugestões de treinamentos. Escute para saber o que eles acham que podem contribuir com o time.

Faça um programa de desenvolvimento individual sempre focado naquilo que o colaborador pode melhorar, não só em prol da empresa, mas para a sua própria carreira.

6.      Incentive o aprendizado pelo erro

Aqui é uma mentalidade que muitos podem ter um certo receio de mudar, mas que é essencial para atingir níveis de maturidade que uma equipe autogerenciável pode ter.

É preciso não sentir medo do erro. Essa é uma forma de saber o que dá certo ou não em uma estratégia.

Lidar com os erros e passar por eles de maneira madura e que gere aprendizados, é uma forma de estimular a criatividade e a inventividade de uma equipe, que saberá entender, quando uma situação pedir, que outra maneira pode ser eficiente, por exemplo.  

7.      Dilua a hierarquia

É importantíssimo ter líderes competentes e que possam saber administrar bem uma equipe autogerenciável.

Mas essa liderança precisa ser, antes de tudo, uma parceira do restante do time. Ele não pode ver nela um gestor pronto para indicar erros ou esperar dela uma ordem ou dizer o que precisa ser feito.

Essa diluição da hierarquia acontece de modo que cada um do time, independente do cargo, possa opinar, ouvir e decidir democraticamente a maneira de seguir adiante em uma estratégia.

Confira: Como desenvolver a Liderança Adaptativa: principais estratégias 

8.      Tenha um processo seletivo eficaz

Por fim, uma dica que precisa ser aplicada na formação de um time autogerenciável. O processo seletivo de sua empresa deve entender quais pessoas estão mais aptas a se tornarem autogerenciáveis.

Não significa que elas cheguem prontas, mas que possuam características que, trabalhadas de maneira correta, podem contribuir para isso.

Então, defina alguns soft skills ideais para um candidato, como boa comunicação e confiança, por exemplo, e busque as melhores pessoas para garantir que sua empresa formará um time autogerenciável.

Estratégias para adotar em equipes autogerenciáveis

Para aplicar algumas dessas dicas para criar uma equipe autogerenciável, dinâmicas e estratégias serão necessárias.

Confira algumas.

Método cumbuca

Trata-se de um método de capacitação e treinamentos. Nele, os colaboradores estudam, ao mesmo tempo, algum tema que se relaciona como o objetivo da empresa.

Em períodos, as pessoas se reúnem para discutir esse tema, que normalmente passa pelo estudo de um livro ou artigo.

Esse método estimula a discussão construtiva, a boa comunicação e o desenvolvimento em conjunto, além de buscar novas formas de se pensar a estratégia da empresa.

OKR

A OKR - Objectives and Key Results (Objetivos e Resultados-chave, em inglês) - é um método que destrincha a estratégia macro da empresa em objetivos e resultados específicos de cada setor e cargo.

Ela é feita com metas claras para cada um, de maneira que cada membro e equipe possam perceber como seu trabalho impacta o negócio como um todo.

Esse método permite o foco ao mesmo tempo que estimula a multidisciplinaridade, com cada colaborador podendo contribuir com a meta do próximo.

Rodadas de feedbacks

Trata-se de um programa estruturado de feedbacks entre a equipe. Ela pode ser supervisionada pelo líder direto ou de um profissional de gestão de pessoas.

É uma forma de capacitar uma pessoa com a visão do outro, no sentido de estimular o seu aperfeiçoamento.

O desafio de quem supervisiona esse programa é não o deixar se transformar em trocas de elogios ou de ofensas.

Por isso, é fundamental uma estrutura e até mesmo treinamentos para como fazer esse feedback.

Ter uma equipe autogerenciável é fundamental para sua empresa se desenvolver e despontar no mercado. E você pode ler mais sobre os segredos de uma equipe de alta performance para alcançar ainda mais resultados. 

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.