Fake news: o que é e por que sua empresa deve se preocupar

Fake news são notícias falsas que viralizam a respeito de algum acontecimento. 

Essas polêmicas sempre existiram, mas, com o avanço das redes sociais, a propagação de fake news se tornou algo preocupante. Atualmente, qualquer pessoa pode criar um boato e divulgar na internet. E, infelizmente, isso tem acontecido com frequência.

Um estudo da Universidade de São Paulo aponta que cerca de 12 milhões de fake news foram divulgadas no Brasil sobre política em 2017.

A eleição de 2018 para a Presidência da República, por exemplo, foi marcada por muita desinformação. Grande parte dos candidatos sofreu acusações infundadas.

E não para por aí. Empresas também podem se envolver em fake news, trazendo inúmeras consequências para o crescimento de cada uma delas. Por isso, é importante estar preparado para evitar essas situações e não propagar fake news.

Leia este artigo até o fim e descubra mais sobre o assunto.

O que é fake news?

Termo utilizado para classificar notícias falsas, que, normalmente, não têm fontes, datas e são divulgadas anonimamente.

O termo fake news se popularizou em 2016, entretanto, o ato de divulgar notícias falsas veio muito antes disso.

Com o surgimento da internet e o avanço das mídias sociais, como o Facebook, o Twitter e o Whatsapp, a facilidade de compartilhamento e o alcance tornaram-se preocupantes.

Em consequência da viralização de falsas notícias, a imprensa tradicional pode enfrentar dificuldades para transmitir credibilidade. Isso acontece porque até mesmo os grandes portais, infelizmente, ajudam a propagar mentiras em alguns casos.

Como funcionam as fake news?

Os objetivos de divulgar ou de criar uma fake news propositalmente são inúmeros:

  • causar dano à reputação de uma pessoa ou empresa;
  • contribuir para tumultos;
  • disseminar ódio sobre minorias;
  • gerar tráfego para sites e blogs.

Além das fake news criadas propositalmente, existem aquelas que são criadas sem uma busca detalhada de fontes confiáveis. Em algumas situações, uma simples brincadeira no Whatsapp pode se tornar em uma bola de neve, prejudicando a vida de outras pessoas, de organizações políticas ou de empresas.

Devido a isso, sempre que criar um conteúdo ou uma notícia, atente-se às fontes e à veracidade da informação. Isso também é válido na hora de compartilhar reportagens e mensagens no Whatsapp ou em qualquer outra rede social.

Existem grupos e até empresas que tem a função de espalhar as falsas notícias. Geralmente, eles atuam na Deep Web, pois lá não há indexação nos mecanismos de busca. Como consequência disso, há maior complexidade de encontrar e de punir essas empresas.

Na divulgação desses conteúdos, são criados bots (programas de computador) ou perfis falsos, que espalham o link da notícia pelas redes sociais.

Normalmente, as fake news têm títulos e imagens que tenha apelo aos lados culturais e emocionais da sociedade. Esses fatores fazem com que os conteúdos se tornem virais e facilmente compartilhados.

Quais são as consequências de uma notícia falsa?

Todos os empreendedores devem se atentar às fake news, pois o perigo não está apenas em compartilhar uma mentira. Na verdade, o seu empreendimento pode ser alvo de difamações infundadas.

Imagine que um dos alunos do seu curso de automação para Instagram está insatisfeito com o seu serviço. Por causa disso, ele resolve fazer vídeos no YouTube dizendo que o conteúdo é raso e infundado.

Por mais que isso seja mentira, outras pessoas podem acreditar no conteúdo falso, e isso mancha o nome do seu negócio no mercado.

Meias verdades também são perigosas. Volte ao exemplo acima. Suponha que outro aluno do seu curso fez apenas o primeiro módulo, que é mais básico e introdutório. A partir disso, ele fica revoltado com a profundidade do conteúdo e resolve postar tweets xingando o seu empreendimento.

Como a estratégia de alguns cursos online é aprofundar as matérias e os tópicos à medida que o aluno evolui, é preciso tomar cuidado com fake news nessas situações. Quem deixa isso de lado pode sofrer queda no número de vendas e reduzir a autoridade da marca.

No Brasil, até o momento, não tem uma punição judicial para quem cria ou divulga fake news.

No entanto, produzir ou reproduzir conteúdos falsos, em casos de eleição, pode ser categorizado como calúnia, injúria e difamação, quando veiculado para desqualificar um candidato. Para isso, existe a lei 12891/13 que diz:

“ Art. 57-H  

§ 1o Constitui crime a contratação direta ou indireta de grupo de pessoas com a finalidade específica de emitir mensagens ou comentários na internet para ofender a honra ou denegrir a imagem de candidato, partido ou coligação, punível com detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos e multa de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) a R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).”

De qualquer forma, já está em discussão uma legislação exclusiva sobre a divulgação de conteúdos mentirosos na internet. No entanto, ainda não há um consenso no Congresso Nacional segundo a Agência Brasil.

Como identificar uma fake news?

Identificar uma fake news pode parecer uma tarefa complicada no início, mas, com as dicas abaixo, você terá mais facilidade ao distinguir o que é verdadeiro ou não.

Leia todo o conteúdo, e não apenas o título

O objetivo principal de uma notícia é informar sobre algum acontecimento, mas, para atrair a atenção do leitor, é necessário que o título seja chamativo. Dessa forma, alguns jornalistas e redatores criam chamadas provocativas, que aguçam a curiosidade da pessoa.

Quando se trata de redes sociais, o excesso de informações é um fator que intensifica essa questão. Como você já está acostumado, o feed de notícias de qualquer comunidade online é inundado com postagens a cada segundo.

Posts que não são atraentes não performam bem, mas isso não quer dizer que é válido fazer qualquer coisa para ter mais cliques e acessos. Algumas fake news são extremamente absurdas, reforçando estereótipos e preconceitos, com tom apelativo emocional.

Por isso, é essencial que você leia toda a matéria antes de, por exemplo, compartilhá-la ou fazer um comentário.

Preste atenção à URL

Algumas empresas copiam o design, o layout e o nome de jornais ou sites famosos para que o conteúdo seja rapidamente compartilhado. Então, é importante verificar o URL e a logo, a fim de garantir que é conteúdo é confiável e está no site oficial.

Para verificar se é o site oficial, busque pela empresa no Google, por exemplo, e verifique os links que aparecem.

Confirme a confiabilidade do autor

Outra estratégia que pode ser adotada é averiguar a confiabilidade do autor da notícia que foi publicada.

É comum que fake news sejam publicadas por algum autor anônimo. Apesar de não ser uma regra que todos os conteúdos anônimos sejam fake news, é importante que você desconfie e verifique as outras dicas deste post.

Ao se deparar com um autor que você não conhece, verifique nas redes sociais, no Google e em outros mecanismos de busca, a fim de descobrir quem é o seu criador e o quão confiável ele é.

Pesquise a notícia no Google

Ao receber uma notícia impactante, temos o ímpeto de compartilhá-la com amigos, não é mesmo? Antes disso, verifique a veracidade da notícia no Google. Com uma simples busca, é possível encontrar diversos resultados semelhantes.

Verifique a mesma notícia em vários portais, dê preferência aos sites renomados e compare as pesquisas. Agindo assim, você terá um conteúdo mais assertivo em mãos e poderá analisar diversas opiniões de autores distintos sobre o mesmo tema.

Utilize o Google Notícias

O Google Notícias é uma plataforma do Google que disponibiliza reportagens divulgadas pelos principais jornais, sites e blogs.

A principal vantagem de verificá-las nessa plataforma é que as informações disponibilizadas são de fontes confiáveis e de grandes empresas, diminuindo o risco de serem uma falsa notícia.

Existem diversos filtros e tópicos para facilitar a sua busca, como:

  • mundo;
  • economia;
  • negócios;
  • local;
  • ciência e tecnologia ;
  • esportes;
  • saúde;
  • entretenimento.

Verifique em sites de agências checadoras de fake news

Do mesmo modo que existem especialistas em criar fake news, também há o oposto delas: as empresas verificadoras de falsas notícias.

Essas gestões checam a autenticidade de sites e de notícias, a fim de confirmar a veracidade da informação passada.

Ao receber uma notícia e desconfiar da autenticidade, vale a pena conferir se esses portais já fizeram o serviço de checagem. Algumas empresas são:

Agência Lupa

fake news agência lupa

É a primeira agência de Fact-Checking do Brasil. Saiba que ela oferece oportunidade para que o público encaminhe artigos para checagem.

Após a checagem, são colocadas diversas etiquetas nos conteúdos, que os classificam em:

  • Verdadeiro
  • Verdadeiro, mas é preciso buscar mais informações artigo
  • Ainda é cedo para dizer
  • Exagerado
  • Contraditório
  • Subestimado
  • Insustentável
  • Falso
  • De olho (que representa que está em monitoramento)

O foco da empresa é bem diversificado, analisando notícias em temas de economia, de cultura, de educação, de relações internacionais e de saúde.

Agência Aos Fatos

fake news agência aos fatos

É uma organização não governamental que realiza a checagem de fatos com jornalistas e editores na equipe.

Após checagem dos fatos, as notícias são etiquetadas em:

  • Verdadeiro
  • Impreciso
  • Exagerado
  • Impreciso
  • Contraditório
  • Insustentável
  • Falso

A abordagem dos fatos analisados é voltada às questões políticas e partidárias, acompanhando palestras, debates, e notícias divulgadas.

Agência Pública

fake news agência pública


A agência Pública é especializada em jornalismo investigativo, onde analisam as notícias que são transmitidas em redes sociais e internet.

Os conteúdos são divididos em:

  • Reportagem
  • Dados
  • Entrevistas
  • Vídeos

As principais áreas analisadas são as questões ambientais, as discussões políticas e os temas sociais.

Como proteger sua empresa de ataques fake news?

Agora que aprendeu o que são as fake news e como elas funcionam, chegou o momento para preparar o seu negócio contra as notícias falsas.

Pronuncie-se publicamente

Caso sua empresa seja alvo de uma notícia falsa, o primeiro passo é se pronunciar publicamente sobre isso.

É comum que você não queira gerar mais audiência para a notícia que foi divulgada, porém, ao não se pronunciar, é transmitida a sensação de que reportagem é verdadeira.

Pronuncie-se em meios oficiais da sua empresa, e compartilhe em redes sociais para que tenha o maior alcance possível.

Responda às críticas

Críticas negativas fazem parte de todas as empresas. Por isso, não se desespere ao se deparar com um comentário desfavorável. Saiba responder os clientes insatisfeitos e adquira o hábito de responder às críticas publicamente.

Quando uma empresa se pronuncia a respeito de uma opinião negativa da sua marca publicamente, a audiência percebe que a sua voz é escutada.

Interaja com o seu público

Para evitar que fake news sejam criadas sobre sua empresa, é interessante interagir sempre com o seu público.

Por mais que isso pareça simples, é fundamental manter o público próximo do seu negócio.

 Ao tomar essa atitude, o mercado fica por dentro das novidades e das notícias sobre a sua empresa. E, quando algo estranho surgir nos noticiários, será mais fácil reverter a situação, pois os clientes já estarão acostumados com a sua linguagem e a sua abordagem.

Conclusão

Neste post, você aprendeu o que é uma fake news, como elas são criadas e porque é preciso tomar cuidado.

Além disso, você descobriu quais são as consequências de uma notícia negativa no mundo empresarial e quais são boas práticas para evitá-las. Portanto, faça de tudo para não divulgá-las em suas redes sociais, seja no seu perfil pessoal, seja na página de seu empreendimento.

Gostou desse conteúdo e não quer perder as novidades? Então, siga as nossas redes sociais: estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram!

About the Author

Larissa Ester - Estagiária de marketing, sempre em busca de aprendizado. Apaixonada por marketing digital e criação.

>