Manual de marca: como fazer e exemplos

Atualizado há mais de 3 semanas

Algo que toda empresa que queira ser reconhecida precisa ter é uma identidade visual. Ela não pode ser feita de qualquer maneira e precisa ter regras claras e sérias. O que se torna possível apenas com a ajuda de um manual de marca.

Esse guia ajuda a dar consciência a tudo o que envolve a sua empresa e aquilo que a possa identificar de algum modo.

Padronizações, escala de uso de marca, cores primárias, tipo de sinalizações internas…

Enfim, um verdadeiro guia completo que não é feito do dia para noite, envolve designer e alta gestão, sem falar de um estudo minucioso de mercado.

Por isso, fique por aqui e descubra o que é um manual de marca.

O que é um manual de marca?

Não dá para fugir da palavra guia aqui. É um documento que padroniza todo o assunto que diz respeito à identidade da empresa.

Desde apresentar a logo até dizer como ela foi concebida, indicar orientações de uso e restrições de aplicação da marca.

O objetivo maior do manual de marca é dar coerência à identidade visual da empresa, para que ela seja reconhecida interna e externamente pelos seus elementos gráficos.

O documento estabelece o uso de cores, de fonte institucional, o tipo de aplicação de marca, as orientações de texto ou mesmo algumas versões da logo.

Ainda que seja algo que requer muito estudo e trabalho principalmente dos designers, o documento pode ser mais simples ou complexo, a depender do tamanho da empresa.

O documento pode ser virtual ou físico. Ele deve ser disponibilizado ao público, sobretudo a parceiros, por exemplo, para quando o uso da marca em outras plataformas externas for uma possibilidade.

Então, muito mais do que apresentar a marca da empresa, o manual expressa toda a sua construção e reprodução, como uma maneira de preservar a identidade de uma organização.

Por que fazer um manual de marca

Um dos primeiros motivos que desperta a importância do manual de marca é estabelecer um padrão.

Esse padrão será aquilo que o diferencia de sua concorrência. Pegue de exemplo dois grandes concorrentes do mercado de bebidas.

A Coca-Cola não precisa estampar a sua marca para se diferenciar da Pepsi, por exemplo. Seja pelo uso das cores, a tipografia ou mesmo o discurso nas propagandas, você saberá quando é uma ou outra.

Isso se dá pelo trabalho bem feito de um manual de marca. E quando uma imagem como essa acontece, com certeza te gera uma confusão:

Dificilmente você encontrará algo parecido por aí de modo sério ou aplicado como forma estratégica por uma dessas empresas.

É por meio do estabelecimento dessas estruturas visuais que você consegue reconhecer a marca de determinada empresa.

Além disso, é com o estabelecimento de regras do manual de marca que impede que a sua empresa seja descaracterizada.

O emprego errado de marca, sem um padrão muito bem estabelecido, pode fazer com que a sua empresa seja vista sem autoridade ou mesmo sem prestígio. Algo que certamente nenhuma organização quer ter, certo?

Depois de feito, o manual de marca ajudará muito o time de marketing da empresa. Imagine uma campanha de publicidade construída toda sem um guia. E isso se repetir toda vez que uma nova estratégia for feita?

Demora, não acha? Nessas horas que o manual será uma mão na roda, porque ele indicará o que pode ser feito, ou não, com a sua marca, cores e quais fontes poderão ser usadas.

Como fazer um manual de marca

Você leu ainda há pouco que essa construção é bem complexa e precisa ser muito bem feita. O principal ponto a ser entendido nesse momento é não “copiar e colar” um manual de marca de outra empresa.

O que você pode fazer é tomar referências, fazer estudos delas e entender como uma estratégia de construção de manual de marca pode ser feita.

Ao pegar algumas referências de manual, você se deparará com algumas estruturas que podem se repetir. Eles podem ser esses a seguir.

Crie uma introdução passando por sua história e valores

A sua marca precisa dizer muito sobre a sua empresa. Ao construir o manual, isso precisa ser considerado.

Por isso, contar a história e quais os valores defendidos pela sua história serão fundamentais para entender a marca e o conceito de sua identidade.

Nesse momento, também deve ser claro algumas palavras-chave que indiretamente ou não devem aparecer em toda a campanha que envolva sua identidade.

Explique a marca

A logo é a cara da sua empresa, visualmente falando. Então ela precisa ser muito bem decifrada para que as pessoas entendam a sua construção e o que fez sair aquele resultado.

Se houver mais de um elemento no logotipo, explique cada um, mostrando a sua importância dentro da identidade visual da empresa.

Mostre as aplicações e as restrições de uso da marca

Quando você tem uma marca, deve imaginar que ela estará estampada em diversos tipos de materiais.

E nem todos podem funcionar bem com o logotipo oficial de sua empresa. Por isso, ter alternativas de uso é fundamental. Nesse momento, entram algumas possibilidades:

  • Marca negativa: é quando a marca é usada com “espaço negativo”, ou seja, sem cor — representado pelo branco. Necessária em materiais escuros e que a possibilidade de uso das cores normais prejudicaria a sua marca ou mesmo o material.

  • Marca positivada: é o contrário. É quando sua marca é aplicada toda em preto. Aqui, é usada em materiais em tons claros ou com uso de apenas uma cor.

  • Monocromática: em alguns momentos, sua marca poderá ser aplicada em apenas uma cor. É importante pensar em todas as possibilidades e deixar ciente aquelas cores proibidas, como no caso daquelas usadas pela concorrência.

  • Dimensionamento: quando o seu logotipo tiver elementos (como uma marca, uma tipografia ou elementos gráficos) é necessário explicar a ordem e o padrão de distanciamento de cada um dentro da construção, quando ela for reproduzida.

  • Demais aplicações: fundos complexos, como fotos, podem atrapalhar a sua identidade e nessas horas, poderá ser necessário o uso de traços ao redor da marca ou aplicação de caixas brancas ao redor do logo. É necessário entender esses usos e como fazê-los em diferentes situações.

Além disso, é necessário apontar aquelas situações em que a aplicação da marca poderá ser proibida. O uso de traçado ao redor, por exemplo, é pouco usado por boa parte das empresas. Diferentes cores usadas ao mesmo tempo, é outra situação não recomendada.

Também é necessário mostrar possíveis distorções e usos incorretos do logo.

Pense na paleta de cores

Toda empresa possui um padrão visual muito bem definido no quesito cores. Não só aquelas usadas na marca, como também uma alternativa a elas, geralmente usadas quando a cor principal é aplicada no fundo, por exemplo.

Ela precisa ser muito bem pensada para se completar a cada cor escolhida, sem haver conflito entre elas.

Aqui, pense nas possibilidades em RGB, CMYK, hexagonal e da Pantone.

Defina a tipografia

Aqui há um padrão para uso mais interno ou de materiais de comunicação. A tipografia usada para essas ocasiões precisa ter um padrão bem definido.

Quando houver a necessidade de usar mais de uma, bem como o peso delas e o tamanho, é importante salientar quando utilizar essas possibilidades.

É claro que essas características são básicas e, como você já leu, dependendo do porte da empresa, o manual de marca poderá ser mais complexo.

Exemplos de sucesso de manual de marca

Para você se inspirar, veja alguns manuais de marca de sucesso no mercado.

Coca-cola

A Coca-cola é um dos exemplos mais fáceis de serem citados quando o assunto é identidade visual forte.

Confira um de seus manuais disponibilizados e veja como a empresa trabalha desde a construção de valores e de mensagem até chegar a marca de fato.

Spotify

Outro manual bem construído é do Spotify, que disponibiliza algumas informações mais básicas de uso de sua marca e até mesmo de seu conteúdo.

Netflix

Um case bem interessante a ser estudado é o da Netflix. A empresa tem um padrão voice brand, Music Brand, por exemplo, muito bem trabalhado e reconhecido – vai falar que quando você escuta o "tudum" no início de cada filme original da plataforma, não reconhece a marca?

O streaming possui um site de brand só para explicar essas questões.

Você percebeu, portanto, que o manual de marca é importantíssimo? Sabe o que é importante também para a sua empresa?

Ter um emissor de notas! A eNotas possui esse sistema que automagicará todo o processo de emissão desses documentos fundamentais para a sua empresa. Confira!

Head de Marketing na eNotas

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.