mobile first
TECH

Mobile first: saiba mais sobre essa nova abordagem

Atualizado há mais de 1 semana

Nos últimos anos, cada vez mais pessoas têm utilizado os celulares para acessar a internet. 

Segundo um estudo da empresa chinesa Vivo, em parceria com o Cyber Media Research, o uso de smartphones aumentou significativamente em 2020. Em grande parte, esse aumento aconteceu por causa da pandemia e da necessidade de quarentena. 

Em casa, as pessoas estão mais tempo nas redes sociais, participando de lives ou jogando. Esses canais, muitas vezes, funcionam como um refúgio para as longas horas trancados em casa. 

Esse aumento do uso dos smartphones aumenta a necessidade de que sejam produzidos programas e sites pensados, primeiro, para o mobile - e não apenas como uma adaptação. 

Essa perspectiva, contudo, não é uma novidade. A abordagem que ficou conhecida como “Mobile First” foi desenvolvida por Luke Wroblewski em 2009, e ficou famosa por causa do CEO do Google, Eric Schmidt. 


O que é a abordagem Mobile First? 

Essa abordagem afirma a necessidade de que o desenvolvimento de aplicativos, programas e sites sejam produzidos pensando primeiramente na experiência do usuário mobile. 

Ou seja, primeiro é preciso planejá-lo para ser usado pelo celular. 

A ideia é mudar a visão do desenvolvimento de projetos da versão desktop primeiro e depois mobile. 

Dessa forma, a ideia é que os projetos se desenvolvam mais na versão desktop, ao invés de serem limitados e compactados quando são colocados na versão mobile. 

Qual a relevância de usar a abordagem mobile first? 

Por exemplo, quando um site é desenvolvido pensando primeiro na versão desktop, existe uma infinidade de recursos para serem aproveitados. 

O design e a usabilidade do site estão incríveis no desktop, assim como as cores e toda a organização. 

Depois, quando chega o momento de adaptá-lo para a versão mobile, você percebe que nada que faz parte do modelo desktop pode ser aproveitado no mobile. 

Isso leva a versão mobile a se tornar inferior ao que é apresentado no desktop. E, para alguns consumidores, pode parecer mais um “puxadinho” que um produto realmente pronto e completamente desenvolvido. 

A ideia do mobile first, por outro lado, se apresenta mais como um processo de desenvolvimento para cima. 

Você já começa com um conteúdo incrível para o mobile, dando a ela a prioridade necessária para que seja um produto de qualidade por si. 

Depois, esse produto é desenvolvido para o desktop, o que oferece uma possibilidade ainda maior de escalar a qualidade do que é oferecido. 

Antecipação de recebíveis - como receber hoje o que se vendeu a prazo?

De onde surgiu essa ideia? 

O criador deste conceito, como já explicamos, é Luke Wroblewski, diretor de Produtos do Google. O primeiro artigo sobre o tema é de 2009. Em 2011, Luke lançou o livro “Mobile First”, explicando melhor sua ideia. 

Em 2010, o CEO do Google, Erich Schmidt, afirmou que a empresa estava adotando essa mentalidade no desenvolvimento de seus projetos. 

Ele afirmou que “você sempre deve colocar o seu melhor time, e o seu melhor aplicativo voltado para o aplicativo mobile”. 

O que Luke ressalta com esse conceito é como é fundamental a produção e desenvolvimento de produtos é incitar o poder de síntese, não deixando espaço para qualquer conteúdo que não seja realmente relevante. 

Qual a importância da abordagem Mobile First? 

Como explicamos no início, nós estamos sempre no telefone. Seja em uma fila, no supermercado ou em casa, sem fazer nada. O celular já faz parte da nossa rotina. 

Cada segundo de tempo livre usamos para nos atualizar das notícias, ouvir um podcast ou olhar algo que queremos comprar. 

Segundo o relatório anual "State of Mobile Report", sobre o uso de aparelhos celulares, ficamos em média 5 horas por dia em nossos smartphones. 

Aplicativos são responsáveis por nos ajudar com a nossa rotina, exercícios físicos, a manter a produtividade, a aprender e diversas outras atividades. 

Por tudo isso, é evidente que o mobile já ocupa um espaço central na rotina dos consumidores. Isso deixa bem claro a necessidade de uma abordagem mobile first. 

Instagram e o Mobile First

Você já notou a enorme diferença entre usar o Instagram no celular e no computador? 

É muito mais difícil postar uma foto, por exemplo, ou um stories. Até agora, não existe a função de compartilhar no stories para a versão do computador. 

Tudo isso porque o Instagram é um aplicativo voltado para a experiência mobile first. 

Criado em 2010, agora, uma das maiores redes sociais do mundo, o Instagram nunca mudou o seu foco para os celulares. 

E este é um caso pensado! Toda engenharia por trás do Instagram está pautada em dominar o mundo mobile


O aumento de materiais direcionados para o conteúdo mobile é uma tendência para os próximos anos. 

Para ver outras tendências, veja nossa publicação sobre Tendências do Marketing Digital para 2021.


 

Avatar
Analista de Marketing - Bacharela em Direito, estudante de Jornalismo e apaixonada por comunicação.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.