Empowerment: o que é, princípios e marcas que utilizam?

Atualizado há mais de 3 semanas

Você já ouviu falar sobre empowerment? Esse conceito está presente na rotina de empreendimentos dos mais variados segmentos, principalmente naquelas que implementam mudanças nas relações entre as lideranças e demais colaboradores e que queiram acabar com o microgerenciamento.

Quer conhecer mais dessa ideia? Você fará isso com o texto abaixo! Acompanhe!

O que é empowerment?

Esse é um conceito que muitas empresas utilizam para descentralizar as suas decisões. O empowerment vem do termo inglês “empower” significa justamente dar poder a outra pessoa.

O poder de decisão descentralizado ajuda a empresa a se livrar de certas burocracias e agilizar o desenvolvimento de algum projeto ou estratégia. 

Essa agilidade é fundamental para os dias de hoje, graças ao mercado e aos consumidores, cada vez mais dinâmicos e exigentes de respostas mais rápidas e assertivas. 

O empowerment também se propõe a trabalhar com a confiança de cada pessoa da empresa. Afinal, o poder de decisão é um atributo importante e valorizado. 

Como funciona?

O conceito você conheceu. Que tal saber agora como é que ele funciona na prática?

Tradicionalmente, uma empresa segue uma linha hierárquica de comando, a gestão. Ela dá o comando de ação e os funcionários as executam a partir daí.

Nesse conceito mais tradicional, as medidas para possíveis correções de falhas são tomadas encontrando um culpado e os responsáveis pelo sucesso do projeto é sempre o chefe.

Já com o conceito de empowerment, a empresa funciona diferente: os funcionários possuem total liberdade para tomar iniciativas, ajudando no planejamento e execução dos processos. 

Eles são, de forma compartilhada com a gestão, os responsáveis pelo projeto trabalhando para encontrar as soluções de um possível erro.

Para fazer isso acontecer, a empresa precisa delegar essas responsabilidades aos envolvidos, envolvendo alinhamento, controle, suporte, mensuração e cobrança. 

Sem esquecer, é claro, do estímulo ao colaborador para que ele tome as iniciativas que forem necessárias. 

Para tanto, é preciso de lideranças. O líder é fundamental nesse processo de empowerment para passar a confiança nas delegações necessárias. 

Princípios do empowerment 

Para que o empowerment tenha sucesso na sua aplicação dentro da empresa, é preciso se atentar aos quatro princípios básicos do conceito. 

Veja quais são:

Poder

Esse princípio, como você pode ter percebido, é fundamental para o empowerment – afinal, ele está no nome do conceito! 

Esse atributo está associado à confiança: só se dá poder a quem se confia. O poder dá confiança ao funcionário que se sentirá mais motivado a cumprir seu papel.

Motivação

Por falar em motivação, ela é o segundo princípio do empowerment. Ela deve ser não só conquista pela confiança, como também incentivada continuamente. 

Isso deve ser feito reconhecendo um bom trabalho, recompensá-los por isso, mostrar o resultado do processo, de forma compartilhada e, claro, celebrar cada vez que um objetivo for alcançado. 

Desenvolvimento

Já esse princípio está associado à capacitação dos funcionários. Sem isso, fica impossível garantir o desenvolvimento dos processos da empresa e saber se, de fato, as pessoas podem tomar as melhores decisões. 

A educação corporativa deve ser o motor desse princípio, com cursos e  aperfeiçoamentos constantes, atualizações e melhorias sempre que forem identificadas falhas no processo. 

Liderança

Por fim, mas obviamente não menos importante, a liderança. 

Dar esse atributo às pessoas é fundamental para a boa aplicabilidade do empowerment na empresa, mas não só isso. 

A liderança é também aquela capaz de orientar as pessoas para que elas possam ter as melhores direções, alinhá-las aos objetivos da empresa para que sejam capazes de ter boas tomadas de decisões. 

Quais os exemplos de marcas que adotam esse modelo?

Você pôde perceber que a implementação do empowerment nas empresas requer toda uma mudança de mentalidade corporativa, certo?

E deve se perguntar se realmente vale a pena adotá-lo em seu negócio. Para se convencer que sim, veja algumas empresas que usam o empowerment.

Starbucks

Um dos exemplos de maiores sucessos, a franquia Starbucks adota uma linha de empoderamento de seus funcionários os transformando em verdadeiros embaixadores da marca. 

Para isso, implementou o “Laboratório de Liderança”, que incentiva o desenvolvimento de competências em seus funcionários, sem se importar com o nível de comando que eles possam possuir. 

A empresa justifica o uso desse conceito dizendo que, com ele, as pessoas se engajam mais com a marca e melhoram a experiência do cliente final com ela, elevando o nível de satisfação das pessoas que consomem os produtos Starbucks!

Flamingo

Essa empresa americana é uma consultora estratégica famosa por sua preocupação com os funcionários. 

Desde a entrada do funcionário na empresa, a Flamingo dá a liberdade a pessoa, com flexibilidades de horário e modelos de trabalho.

Mas o principal que ajuda a entender como o empowerment é aplicado na Flamingo é a abertura para novas ideias, independente de cargo ou tempo de casa que o funcionário possui. 

Isso é atribuído à cultura organizacional colaborativa e de autonomia baseada em resultados. 

Valve

A empresa de games, desenvolvedora do famoso Counter Strike possui uma gestão de talentos que se destaca no mercado: a da livre escolha de horário de trabalho, dos projetos a participar sem precisar de um chefe para impor essas decisões. 

O funcionário da Valve possui esse poder para incentivar a sua criatividade. Dá certo, afinal, é uma das marcas de games com mais usuários no mundo!

E como fazer um gerenciamento para um bom empowerment?

Você viu que  o empowerment é um conceito que dá uma outra dinâmica a sua empresa, com muito mais liberdade ao funcionário para poder tomar decisões independentes do seu chefe.

Desde, é claro, que ele vise contribuir para um bom resultado e sucesso do projeto envolvido. 

E como fica o gerenciamento dos projetos neste caso?

Para te ajudar, fica a dica do Roadmap Template para Gestão de Sprints da eNotas. Eleve o seu nível de organização, aumentando a produtividade, a taxa de entregas, a redução de atrasos e a visão macro e mais clara dos processos. 

Conheça agora mesmo o Roadmap template para fazer a gestão de sprints e aproveite!

Jornalista e apaixonada por produzir conteúdo nos mais diferentes formatos. Nas horas vagas, é fotógrafa, viajante e mãe de suculentas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.