9 técnicas de Copywriting para melhorar o desempenho de seus conteúdos

Todos que planejam escrever para a Web precisam conhecer algumas técnicas de copywriting. Esse termo, que se refere à produção de conteúdos voltados para promoção e venda de produtos/serviços, é o pilar do marketing na internet.

Por meio dele, as marcas geram valor e interesse naquilo que produzem e conduzem o cliente pela jornada de compra, com informações relevantes sobre os problemas que ele enfrenta e as soluções oferecidas para resolvê-los.

Copywriting, porém, é bem mais do que falar sobre as características de um produto. Para que seja bom, deve intrigar o leitor, envolvê-lo e fazer com que tome uma atitude. Por isso, a estrutura mais utilizada nos textos dessa natureza sempre termina com a Call to Action, ou chamada para a ação.

É ela que conduz quem visita uma página para continuar navegando por ela, conhecer as ofertas que a empresa oferece ou baixar um conteúdo gratuito, que a ajudará a endereçar um problema por conta própria.

Dominar técnicas de copywriting, portanto, é fundamental para criar textos que engajam, geram visitas para a sua página e novos leads. Com isso em mente, separamos neste texto 9 recursos para você fazer um copywriting que traz resultados. Vamos lá?

1. Conheça seu público-alvo

Escrever para um cliente ou fornecedor é bastante diferente de mandar uma mensagem para os seus amigos, não é mesmo?

A maneira como nos posicionamos e tentamos transmitir ideias para cada um desses públicos é bem distinta e a familiaridade com que os tratamos também. Por isso, a primeira dica para o bom copywriting é aprender mais sobre a audiência que deseja atingir.

Conhecendo melhor o seu leitor, será possível resolver dois problemas que todo produtor de conteúdo enfrenta na hora de atrair visitantes para uma página: a necessidade de oferecer materiais relevantes para as dores que enfrentam e a de estabelecer uma linguagem próxima à deles.

2. Busque referências no setor

É provável que os seus concorrentes produzam alguma forma de conteúdo. Mesmo que consista apenas em postagens nas redes sociais, como fotos compartilhadas no Instagram, elas existem e podem funcionar tanto para atrair quanto para repelir consumidores.

Observar os resultados que outras empresas têm com produção de conteúdo é fundamental para criar uma boa estratégia para a sua marca.

Siga a concorrência nas redes sociais e analise minuciosamente o quanto ela publica todos os dias, que tipo de conteúdo prioriza e quantos engajamentos consegue. Likes, retweets e comentários são informações públicas que vão ajudar você a estimar o alcance desses perfis.

3. Pense em títulos irresistíveis

Qual é a primeira interação que temos com uma postagem na internet? O título de vídeos, materiais gratuitos (como e-books, whitepapers e infográficos) e dos textos que publica nos blogs é a sua chance de capturar a atenção do leitor.

Quando feito corretamente, um título entrega parte do que será encontrado dentro do texto (promessa) e faz uma diferenciação entre aquele conteúdo e outros disponíveis na internet. Ele deve ser convidativo e irresistível, contemplando o assunto que o seu leitor em potencial busca.

Para que o título seja exibido em buscadores como o Google, é uma boa ideia mantê-lo com menos de 60 caracteres. Assim, ele aparece por completo e tem mais chances de gerar visitas para o seu website.

4. Crie uma conexão com o leitor

Não basta falar a língua de quem lê o seu blog. Criar uma conexão, ou seja, um relacionamento, é tão importante quanto. Para isso, temos técnicas específicas na hora de escrever para a Web, como o storytelling.

Ao contar uma história, você consegue manter o interlocutor interessado o suficiente até o final daquela narrativa para que ele chegue ao Call to Action. Inclusive, tem a chance de fazê-lo se identificar com a sua marca logo no primeiro contato que tem com ela.

5. Escreva de maneira concisa

Ninguém gosta de enrolação e, para fazer copywriting corretamente, você deve entender isso. Frases curtas, que vão direto ao ponto e entregam uma mensagem clara, são as mais indicadas para se postar na internet.

Elas não são vantajosas só do ponto de vista da leiturabilidade do seu conteúdo, como também podem ajudá-lo a ser encontrado na Web. Um dos diferenciais de um bom post é a escaneabilidade dele. Isso significa o quão rápido um visitante consegue discernir se o texto é relevante para o problema que enfrenta.

Aquele hábito de “passar o olho” em um texto e verificar se responde à sua pergunta é universal, e é a escaneabilidade que garante que seja possível. Como benefício adicional, ela vai ajudá-lo a se posicionar melhor no Google, pois é um dos critérios utilizados no SEO.

6. Divida o conteúdo em subtítulos

Falando em escaneabilidade, a melhor maneira de assegurá-la é dividir o conteúdo em subtítulos. Listas são uma ótima maneira de fazer isso, mas tópicos que dividem a informação contida em uma publicação também entregam os mesmos resultados.

Eles podem ser montados no estilo pergunta e resposta (“Quando preciso de X?”; “Quanto custa Y?”; “Por que devo investir em Z?” etc.), ou podem resumir o tema de cada grupo de parágrafos. O importante é que sigam sempre um padrão.

Quando utilizar um verbo no imperativo ao começar um tópico, faça isso em todos eles. O mesmo é válido se for estruturar o texto como um Q&A ou em qualquer outro formato.

7. Seja criativo na hora de engajar

Lembra da Call to Action? Não basta só colocá-la no final do conteúdo. É preciso pensar em cada uma, para que conduza o leitor à próxima etapa da jornada de compra.

Tipos distintos de materiais pedem chamadas para ação diferenciadas. Por exemplo: assinar uma newsletter, fazer um teste do produto ou deixar um comentário. Todas essas são possibilidades de Calls to Action relevantes. Elas devem ser tão atraentes quanto o conteúdo em si.

Por isso, use a criatividade ao escolher um título e, se utilizar o storytelling, encaixe-as na narrativa que criou.

8. Aposte em palavras-chave

Buscadores definem se um conteúdo é relevante ou não segundo uma porção de critérios. Entre eles, o mais importante é a palavra-chave. Ela deve ser utilizada no título, ao longo do texto, e em subtítulos, sempre que possível.

Uma palavra-chave é o termo principal de um texto, que resume o assunto que ele aborda e vem à cabeça do leitor assim que ele pensa no tema. Use ferramentas como o Keywordtool.io para definir as palavras-chave certas para a sua estratégia de conteúdo.

9. Compare a performance dos conteúdos

Publicar um conteúdo não significa que o seu trabalho acabou: da mesma maneira como analisou a performance dos concorrentes, será preciso repetir o trabalho com os posts do seu blog. É isso que vai fazer com que suas habilidades em copywriting melhorem a cada dia.

O lado bom é que, com recursos como o Google Analytics, você tem em mãos muito mais informações do que ao acessar as páginas dos concorrentes.

Ao acompanhar detalhadamente quanto tempo os seus visitantes passam na página, quais posts mais chamam atenção e quantos cliques recebeu neles, será fácil determinar que tipos de materiais deve produzir com mais frequência e afinar a sua estratégia de marketing online.

Quando o assunto é marketing digital, aprender copywriting é o primeiro passo que você deve dar para obter bons resultados. Com essas 9 dicas, você verá que é muito menos complicado do que imagina produzir um conteúdo incrível para os seus leitores.

Ficou com alguma dúvida ou quer aprender outras maneiras de gerar engajamento e leads para o seu negócio ao escrever para a internet? Acesse a Imersão Freelancer e confira a videoaula “Técnicas de copywriting desvendadas: como dominar a escrita com foco em conversão”!

About the Author

Conteúdo produzido por um dos parceiros da eNotas. Quer participar do nosso programa de parcerias? Então, envie a sua proposta para [email protected] :)

>
Gabs

Como conseguir 200 mil visitas mensais no seu site sem gastar com anúncios