White Label
MARKETING DIGITAL

O que é White Label?

Atualizado há mais de 1 semana

Neste guia, você vai ficar por dentro do conceito de White Label e  irá entender as vantagens que existem ao utilizar esse modelo de negócio. Confira!

Já imaginou revender um tipo de produto com a sua marca, com autonomia absoluta de decisão sobre a precificação, e ainda, sendo capaz de terceirizar toda a parte técnica, como por exemplo, de todo o processo de desenvolvimento? 

E se eu te contar que isso é possível? Bom, é exatamente sobre esse assunto que vamos abordar hoje.

Ficou interessado? Então fique ligado neste post, pois vamos falar sobre o modelo White Label, uma das formas de negócio mais consistentes da internet! Não perca!

O que é white label?

White Label é um modelo de negócio em que uma empresa (proprietária) cria uma tecnologia (produto) e permite que terceiros possam revender essas mercadorias, porém, com a capacidade de colocarem sua marca e identidade própria.

Ou seja, ao invés de uma empresa gastar recursos e se preocupar em desenvolver uma solução tecnológica para vender seus itens na web, por exemplo, ela contrataria uma outra que é especialista nessa ação. 

Assim, ela adquire uma solução “pré-pronta”, poupando assim custos com a elaboração desse processo.

Em um cenário prático, imagine que uma empresa X trabalha com uma solução de hospedagem em nuvem e, já a empresa Y tem uma demanda de clientes que necessitam, dentre outras coisas, hospedar seus sites.

Entretanto, a empresa Y não possui os meios necessários para fornecer esse tipo de assistência. 

Diante deste panorama, ao invés de gastar tempo e recursos para contratar uma equipe especializada, de modo a sanar essa necessidade, a empresa Y simplesmente terceiriza os serviços com a empresa X.

E, o grande ponto da questão, é que, para o cliente final, o produto leva a marca da empresa Y, fortalecendo ainda mais o vínculo entre ela e o cliente.

 Observação: Há também nesse meio, hipóteses de revenda, nas quais uma empresa fornece produtos para uma outra —  que tem uma plataforma de e-commerce, por exemplo —  vendê-lo livremente.

Curiosidade! 

Na internet o primeiro registro de White Label ocorreu em 2001, quando um varejista de e-commerce passou a ceder telefones para que empresas fizessem a venda desses aparelhos e ganhassem comissão com a própria marca.

Qual a diferença entre White Label e o modelo de franquias?

White Label e franquias são modelos bem parecidos e por isso é comum as pessoas fazerem confusões a respeito dos dois. Entretanto, há certas diferenças entre eles.

Para começar, em se tratando de White Label, este requer menos recursos financeiros, além de ter uma liberdade maior de uso para aquele que o contrata.

Isso acontece, pois diferentemente do modelo de franquia, não existe metas de vendas a serem cumpridas, muito menos porcentagem sobre as vendas realizadas.

Assim, podemos concluir que a grande diferença de um modelo para o outro é que em relação às franquias, o White Label tem muito mais flexibilidade, seja para uso da marca, ou para personalização do produto, o que não ocorre em franquias.

Para uma análise mais clara, observe o quadro abaixo:

 

White Label

Franquia

  • Taxa de adesão (sobre o direito de uso da tecnologia/solução)
  • Taxa de franquia (adesão)
  • Comprovação de investimento mínimo
  • Obrigatório a compra de equipamento padronizado sempre que a comunicação é atualizada
  • Taxa de direito de exploração (royalties)
  • Pagamento dos fundos de publicidade
  • Processo burocrático para aquisição da franquia
  • Falta de flexibilização para mudança. o franqueado deve usar o modelo padrão da marca

E quais são as vantagens do White Label?

Como você tem visto ao longo desse post, o modelo White Label traz diversos benefícios às empresas. Neste tópico elencamos as 7 principais vantagens desse tipo de negócio. Confira:

1 - Não há necessidade de conhecimentos técnicos

Uma vez que toda a parte do desenvolvimento tecnológico pode ficar a cargo de uma empresa especialista nesse ramo, não será preciso se preocupar com esse quesito. 

2 - Fortalecimento do vínculo do cliente

Ao atender as demandas dos clientes com um prazo razoável e, sem passar por problemas de desenvolvimento e testes, você fortalecerá o vínculo do cliente com a sua marca, uma vez que ela será estampada no produto final.

3 - Escalabilidade e previsibilidade,

É possível ter um controle maior dos valores, pois em grande parte, trata-se de repasses mensais, o que possibilita uma escalabilidade e previsão de cenário mais apurada. 

4 - Agilidade na entrega e satisfação do cliente

A rapidez na entrega da solução e aplicação no mercado não ficam de fora, uma vez que a parte do desenvolvimento já está pronta e seu cliente poderá ter o que deseja sem longas esperas.

5 - Menor risco de implementação e erros

Ao contar com um serviço desenvolvido por profissionais especializados,  as chances de problemas técnicos são bem menores;

6 - Maior liberdade de ação

A empresa conta com a autonomia sobre a precificação e fica livre para focar em vender, sem perder tempo com algo que não é sua especialidade.

7 - Redução de custos

Não será preciso contratar uma equipe técnica para sanar a sua demanda, o que te ajudará  a poupar recursos, inclusive de manutenções periódicas.

Como funcionam recebimentos e pagamentos nesse modelo?

O modelo White Label, de modo geral, é enquadrado como um SaaS (Software as a Service), assim, há duas formas de revenda dos serviços:

1 - Venda direta

Neste cenário, a empresa A revende o serviço adicionando a margem de lucro e a fatura diretamente com o cliente final.

Portanto, caberá à empresa B, criadora da solução, emitir o tipo de nota fiscal devido no valor do produto, e a empresa A no valor do produto mais o lucro, sendo a responsável pela emissão da nota  ao cliente (consumidor final).

2 - Venda indireta

Neste caso, o valor para o cliente final é exatamente o mesmo cobrado pela empresa criadora da solução.

Logo, a empresa X revende o produto sem adicionar qualquer margem, além de não ter de emitir nota fiscal alguma, que ficará sob a responsabilidade da provedora dos serviços (empresa Y).

Como você pôde perceber, a venda direta, permite que a empresa tenha um rendimento extra a cada cliente que comprar a solução ofertada.

Afinal,  cabe ao empresário, neste caso, definir a melhor forma de cobrar pelo produto, de acordo com seu mercado e modelo de negócio.

Conclusão

Nesse post, você pôde tirar suas dúvidas e conhecer um pouco do modelo de negócio White Label, além de conferir as principais vantagens desse tipo de negócio.

Aproveite e acompanhe agora mesmo 13 dicas para aumentar as vendas de um ERP, aliás, vender um sistema de gestão, é de fato uma tarefa desafiadora! Confira!

Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email.
Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.