Aumento da contribuição mensal do MEI: novas regras e valores atualizados!

Atualizado há menos de 1 semana

Atualmente, a categoria MEI (Microempreendedor Individual) é uma das que mais cresce em todo o Brasil. No fim do terceiro quadrimestre de 2020, existiam, no Brasil, 11.262.383 MEIs ativos. Hoje, eles respondem por 56,7% do total de negócios em funcionamento no país. 

Neste ano, esta categoria poderá passar por algumas mudanças, em especial, no faturamento máximo permitido ao ano e na contratação de empregados. Por isso, é importante ficar atento às mudanças anunciadas para não perder prazos. Uma dessas mudanças recentes foi o aumento da contribuição mensal do MEI.

Veja como ficou e como fazê-la neste post!

Novo valor da contribuição mensal do MEI

Com o aumento do salário mínimo de R$ 1.100 para R$ 1.212, a partir deste mês, o valor referente ao INSS do Documento de Arrecadação Simplificada do MEI (DAS-MEI) será de R$ 60,60, ou seja, 5% do salário mínimo. Esse novo valor vale para os boletos que vencem em 20 de fevereiro.

Mas o que é esse imposto? A contribuição obrigatória do MEI é um valor subsidiado, que garante o direito de benefícios como: aposentadoria, auxílio-doença, salário maternidade, pensão por morte e auxílio-reclusão para seus familiares.

Este valor pago pelos MEI é atrelado ao salário mínimo, que teve aumento de 10,18% – por isso, o reajuste ocorre todos os anos.

Porém, atenção! MEI que exercem atividades ligadas ao comércio e indústria pagam R$ 1 a mais referente ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Já os ligados a Serviços pagam R$ 5 a mais, referentes ao ISS (Imposto sobre Serviços).

Pagamento do DAS

O boleto mensal do Documento de Arrecadação Simplificada do MEI (DAS-MEI) é o instrumento de pagamento mensal das obrigações tributárias do microempreendedor individual. Ele vence todo dia 20 e pode ser gerado no Portal do Empreendedor.

Para fazer o pagamento mensal do DAS, os microempreendedores também podem optar pelo débito automático.  Para isso, é só acessar o Portal do Empreendedor e clicar no banner da solicitação de Débito Automático. Se essa opção for a escolhida, o microempreendedor deve ter uma conta corrente em um dos bancos conveniados.

Já para quem prefere pagar online, é só usar o internet banking da instituição financeira. Se preferir pagar com boleto, o MEI deve gerar o documento e pagá-lo nos bancos conveniados, casas lotéricas ou agências dos correios (Banco Postal). 

Quais direitos a contribuição mensal do MEI garante?

Mas, afinal, por que pagar o DAS-MEI? Não é só por uma questão legal não, viu? Com o pagamento da contribuição, os microempreendedores individuais têm vários direitos previdenciários:

  • aposentadoria por idade;
  • auxílio-doença; 
  • salário-maternidade;
  • auxílio-reclusão;
  • pensão por morte. 

Além disso, ao se tornar MEI, a pessoa passa a ter um CNPJ, podendo assim emitir notas fiscais, ter acesso às linhas de crédito e financiamentos com condições especiais.

Por isso, fique de olho no dia do pagamento! Quem não estiver com o pagamento em dia, corre o risco perder o direito a esses benefícios, e pode ainda ter o CNPJ cancelado pela Receita Federal.

Atrasei o pagamento da contribuição mensal do MEI! E agora?

Muita calma nessa hora! Se você perdeu o dia do pagamento, é possível recalcular a guia para pagamento em atraso. É só emitir uma nova guia de pagamento dos meses em atraso pelo Portal do Empreendedor.

Para isso, basta acessar a opção "boleto de pagamento", na seção "Pagamento de Contribuição Mensal". Informe o  CNPJ, confira se o nome empresarial está correto e selecione a opção "Emitir Guia de Pagamento". Informe o ano e clique em OK. Na lista, selecione o mês ou mês que deseja pagar, informe a data em que o pagamento será feito e clique em Apurar/Gerar DAS ou Pagar Online.

Prontinho! O DAS será impresso com multa e juros, atualizado para a data informada para pagamento. Atualmente, a multa é de 0,33% por dia de atraso, limitado a 20%, e os juros são calculados com base na taxa Selic para títulos federais, acumulada mensalmente, calculados a partir do mês subsequente ao da consolidação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado.

Mudanças no MEI para 2022

Não é só a contribuição mensal do MEI que pode sofrer alterações em 2022. O projeto de Lei nº 108/2021 ainda não foi aprovado na Câmara, mas caso seja aprovado e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), o MEI sofrerá as seguintes mudanças:

Limite de faturamento

O limite de faturamento anual do Microempreendedor Individual em 2022 poderá aumentar dos atuais R$ 81 mil, para um teto de até R$ 130 mil. O objetivo é que esse aumento incentive outros empreendedores a adotarem esse modelo empresarial.

Contratação de até dois funcionários

Atualmente é permitido que o MEI faça a contratação de apenas um funcionário, mas caso o projeto de lei citado acima seja aprovado, será possível a contratação de até dois.

Essas mudanças ainda não são oficiais, já que o projeto segue em tramitação. Mas você pode ficar de olho aqui no blog, porque vamos publicar e atualizar todas as novidades sobre o MEI

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.