Como abrir uma empresa para vender produtos e serviços pela internet?

Você teve uma ideia incrível, fez alguns testes e percebeu que o seu projeto realmente tem futuro, é promissor. Mas e agora? Como abrir uma empresa para colocar em prática tudo que está na sua cabeça e começar a vender? 

Com o avanço da internet e das relações online, ficou muito fácil encontrar quem se interessa pelo seu produto ou serviço. Assim, as chances de ter sucesso em um negócio digital só aumentam.

Por outro lado, é comum que empreendedores não saibam como dar o primeiro passo na hora de criar um negócio próprio e isso não é à toa.

O Brasil possui um dos sistemas tributários e fiscais mais complexos do mundo. Portanto, principalmente para quem nunca empreendeu, essa tarefa torna-se bem desafiadora.  

Mas estamos aqui para te ajudar. O conteúdo de hoje vai te mostrar como criar a sua empresa do zero e quais pontos você deve saber antes de abrir a sua. Confira!

Qual será o seu regime tributário? 

Antes de começar, é importante analisar alguns cenários para determinar qual será o caminho que a sua empresa vai trilhar. 

O primeiro passo é definir o seu regime tributário e isso varia com o faturamento e objetivos do seu negócio. Você pode escolher entre:

Aí vai a primeira dica: se você está iniciando agora, opte pelo MEI (Microempreendedor Individual) ou Simples Nacional, que possuem impostos mais baixos.

Vamos entender cada um!

O que é MEI?

Você pode ser um Microempreendedor Individual (MEI), no qual os encargos são baixos. Ele é recomendado para quem está começando e faz poucas vendas. Nesse caso, a sua empresa pode faturar até R$81 mil por ano, ou seja, em média R$6.750 por mês.  

O que significa esse conceito de faturamento? É o total das suas vendas. Por exemplo, se você for um produtor digital, o faturamento é tudo que você vendeu, incluindo comissionamentos da sua plataforma de vendas, como a Hotmart ou qualquer outra.

Se você for um afiliado, o faturamento corresponde ao valor total de comissionamento que você recebeu por ter vendido um produto ou serviço.

Além disso, esse teto de R$81 mil é proporcional ao mês de abertura da sua empresa.

Funciona assim: suponhamos que você abriu a sua empresa no mês de maio, então você vai considerar de maio a dezembro para calcular o seu faturamento como MEI, portanto, serão 7 meses de atividade.

Dessa forma, basta multiplicar a média mensal pela quantidade de meses de atuação da empresa:

R$6.750 x 7 meses = R$47.250.

Portanto, você poderá faturar até R$47.250 por ano.

Se você ultrapassar esse limite, existem algumas situações especiais que você pode se encaixar. Entenda melhor nesse link.

Pontos importantes do MEI:

  • Pode faturar até R$81 mil por ano, mas esse teto é proporcional ao mês de abertura da empresa.
  • Pode emitir nota fiscal eletrônica, mas não é obrigado a gerar o documento para Pessoa Física, apenas para Pessoa Jurídica;
  • Paga os impostos por meio da DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), que é de aproximadamente R$50 por mês.
  • Pode contratar apenas um funcionário.
  • Não pode ter sócios ou inclusão de outra empresa que participe do negócio.
  • O serviço realizado deve estar dentro das atividades permitidas pelo MEI.

O que é Simples Nacional?

O Simples Nacional é um regime simplificado e utilizados por muitos empreendedores digitais no Brasil. Esse modelo unifica todos os impostos em uma DAS e começa com encargos menores.

Se você optar pelo Simples Nacional, pode faturar até R$4,8 milhões por ano. Portanto, se você percebeu que o MEI não é ideal para o seu negócio, o Simples Nacional provavelmente será a melhor alternativa.

Afinal, vamos ser realistas! Quem está abrindo uma empresa, dificilmente vai faturar mais de R$4,8 milhões em um ano.

Então, o primeiro passo é contar com uma contabilidade, já que esse é um processo mais burocrático e pode ser algo bem complicado para fazer sozinho.

Você precisa tirar vários documentos, como CNPJ, registro de contrato social na Junta Comercial, que é o órgão que faz o arquivamento do seu contrato. Também é preciso solicitar liberação na prefeitura da cidade em que a sua empresa está sediada para poder emitir nota fiscal eletrônica e muito mais.

Além disso, o Simples Nacional oferece alguns benefícios, como a diminuição da carga tributária, comparado a outros regimes, como o Lucro Presumido, no qual os impostos são bem mais altos.

Por exemplo, inicialmente no Simples Nacional, os encargos são por volta de 6%, já no Lucro Presumido começam em 15% aproximadamente. Então, é uma diferença bem considerável e que realmente vai pesar no futuro da sua empresa.

Há um outro cenário importante a se avaliar também. Você começou a vender pela internet como pessoa física e já possui rendimentos pendentes que não consegue sacar. Você está limitado, pois não possui um CNPJ. Porém, se você viu que vai faturar ou já faturou acima de R$81 mil, então é recomendável optar pelo Simples Nacional.

Assim, você consegue se manter regularizado e não precisa sofrer com processos de migração de regime tributário, que dão bastante trabalho.

Pontos importantes do Simples Nacional:

  • Pode faturar até R$4,8 milhões anualmente.
  • Geralmente, os impostos começam em 6%, de acordo com as tabelas do Simples Nacional.
  • Pode ter sócios, desde que o faturamento não ultrapasse o permitido.
  • Pode parcelar as dívidas do Simples Nacional, mas se atrasar os impostos pode ser excluído de regime e não poderá distribuir os lucros.
  • Não permite que outra empresa seja participante do mesmo negócio.

Quais documentos são necessários para abrir uma empresa?

Para abrir uma empresa, você vai precisar basicamente dos seguintes documentos:

  • Documentos pessoais (RG e CPF) seus e se sócios (se tiver);
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante da empresa.

Você pode abrir uma empresa na sua residência?

É bem comum que empreendedores digitais, principalmente aqueles que estão começando a vender online, queiram abrir a empresa na sua casa. Será que isso é permitido? Sim! Mas existem algumas regras.

Primeiramente, você deve solicitar uma liberação na prefeitura. Se ela permitir e se você morar uma casa realmente, você já pode abrir o negócio.

Por outro lado, se você residir em um apartamento, é necessário verificar as condições do condomínio. Existem condomínios que não permitem a abertura de empresas no local, ou seja, o prédio é apenas para apartamentos residenciais.

Para solucionar esse problema, você pode abrir uma sede virtual por meio de contabilidades online. A Tactus, por exemplo, atende diversos empreendedores digitais e disponibiliza a sede virtual para eles gratuitamente. Assim, você se mantém regularizado normalmente.

Qual é o prazo de abertura de uma empresa?

Geralmente, o prazo para abertura de um negócio varia entre 15 a 30 dias. Depois disso, você pode começar a fazer as suas atividades normalmente, ou seja, pode legalmente vender.

Então, você tem permissão para emitir notas fiscais, fazer o pagamento de impostos, pagar serviços de contabilidade e tudo mais que envolve o dia a dia de uma empresa.

Em relação à contabilidade, vale ressaltar que é ela que vai fazer todo o trabalho de contabilizar os valores que entraram, lançar seus encargos e apurar o lucro para que tenha isenção de Imposto de Renda - desde que os impostos estejam em dia e que a sua contabilidade esteja regular.

E o que fazer agora?

Então, agora que você já sabe quais são os passos para abrir a sua empresa, é hora de colocar as suas ideias em prática.

É fundamental lembrar que uma contabilidade focada no seu negócio é essencial para que o seu empreendimento se mantenha regularizado e não tenha que sofrer com altos juros e multas. Imagine o prejuízo para quem está começando? Você não quer isso, não é mesmo?

Por isso, escolha profissionais contábeis que realmente entendam do mercado digital, já que ele é bem diferente das empresas tradicionais. A internet possui suas regras e particularidades, então é imprescindível que o seu contador entenda a fundo cada umas delas.

Outro ponto importante é em relação às suas notas fiscais eletrônicas. Depois que o seu negócio já estiver escalando, você vai perceber que perder tempo com documento fiscal é algo totalmente inviável. Contratar uma pessoa para fazer é outra coisa que realmente não vale a pena.

Então, o que fazer? Para facilitar a sua vida e não ter que entender de tantos processos burocráticos e complexos, a melhor opção é contratar um emissor de NF-e inteligente.

O eNotas, por exemplo, é uma plataforma 100% automática, que compreende as particularidades de cada prefeitura, integra com o seu meio de pagamento preferido e ainda faz o processo de acordo com o seu papel na venda, seja produtor, afiliado ou coprodutor.

Conclusão 

Muitos brasileiros sonham em ter um negócio próprio, porém boa parte deles não sabe lidar com as burocracias que envolvem todo o processo.

Por isso, hoje o nosso conteúdo foi sobre algumas dúvidas que empreendedores digitais têm na hora de abrir uma empresa. Agora é hora descobrir se você está cometendo alguns desse 3 erros na gestão do seu negócio.

* Artigo produzido em parceria com o empresário contábil, Anderson Hernandes, responsável pela Tactus, contabilidade especializada no mercado digital. 

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing apaixonado pela produção de conteúdo, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>