O que é demonstração contábil, porque ela é importante e como fazer!

Atualizado há mais de 1 semana

Para ter uma contabilidade realmente eficiente em sua empresa, o departamento financeiro precisa se cercar de diversos documentos que apoiam suas decisões – que podem ser determinantes para o seu negócio. 

E um deles é a demonstração contábil. Com certeza você quer ter uma condução correta de seu empreendimento, certo? Então esse texto é para você. Confira!

O que é uma demonstração contábil? 

É um documento que apresenta o fluxo contábil e financeiro da empresa em determinado período.

A demonstração contábil pode ser definida como uma representação monetária com uma estrutura padrão do patrimônio de um negócio, detalhando todas as transações no período escolhido em elementos contábeis que ajudam a destrinchar essas informações. 

O período pode variar de acordo com cada empresa, ainda que a boa prática de gestão peça que se faça mensalmente, tendo retrospecto mais amplo a cada 12 meses. 

Qual é o objetivo de uma demonstração contábil?

Como você já pode ter percebido nesse texto, o propósito da demonstração contábil é ser um suporte para as empresas. 

Esse apoio é dado com o detalhamento de dados e indicadores monetários de períodos passados para que a gestão possa tomar as melhores decisões. 

Há ainda o caráter de ferramenta estratégica para investidores. A divulgação desse documento dá aos acionistas a possibilidade de se analisar o crescimento do negócio para, então, considerar investir nele. 

Ainda há pouco, você leu que o recomendado é que esse documento seja elaborado de mês em mês para que, ao final de 12, se tenha um balanço completo do crescimento da empresa. 

Esse acompanhamento mensal reforça o caráter de ferramenta estratégica tanto para a gestão quanto para acionistas da demonstração contábil, permitindo uma análise muito mais próxima do real do desempenho da empresa.

Em quais casos ela é obrigatória? 

Mais do que um documento de suporte para um negócio, a demonstração contábil é obrigatória para empresas de sociedade por ações, seguindo o regimento da lei 6404/76 e deve ser disponibilizada ao público de interesse, como sócios e acionistas. 

Ou seja, toda empresa de capital aberto deve apresentá-la de forma pública a seus acionistas e sócios. 

Quais elementos uma demonstração contábil deve ter? 

Também por lei, a demonstração contábil deve ter por padrão seis elementos.

Balanço patrimonial

Esse tópico demonstra a situação financeira da empresa e de seu patrimônio. É preciso detalhar o que o negócio possui de bens, direitos e obrigações. 

Portanto, é um apanhado geral de tudo o que a empresa possui de receita a se receber e o quanto precisa pagar a seus fornecedores, dando uma visão clara de todo o patrimônio do empreendimento.

Demonstração de resultados (DRE)

O DRE detalha o que há de rendimento e gastos na empresa no período demonstrado. Esse elemento serve para apurar todos os impostos – sobretudo o IR – e ainda mostrar se houve lucro ou prejuízo na época demonstrada.

Demonstração de fluxo de caixa (DFC)

Aqui, se detalha as entradas e saídas da empresa, respeitando sempre o período abordado. 

Vale destacar que o valor em caixa deve ser apresentado no balanço patrimonial, mas com números finais. No DFC, todo o fluxo é demonstrado: pagamentos, recebimentos operacionais e investimentos.

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL)

Como o nome diz, é apresentado as mudanças de patrimônio líquido da empresa, não importando se ele gerou riqueza ou teve diminuições. 

Esse tópico também agrega a Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados, o DLPA, sendo algo mais simplificado do detalhamento das alterações do patrimônio da organização. 

Demonstração do Valor Adicionado (DVA)

Essa parte da demonstração contábil detalha a distribuição da riqueza adquirida, evidenciando a sua criação.

Essa distribuição é feita entre funcionários, fornecedores, agentes financiadores, governo e acionistas, todos que, de alguma maneira contribuem para a geração de riqueza. 

Notas explicativas

Já esse último elemento da Demonstração contábil é um complemento de todos os outros, apresentando novas informações e detalhes explicativos sobre cada item abordado no documento. 

As notas explicativas servem para enriquecer, com dados que possam complementar os demais apresentados até então.

É preciso conhecer toda a tributação para fazer a demonstração contábil?

Como você viu, trata-se de um documento que ajuda a entender como o empreendimento está evoluindo. 

Além de ser uma base de suporte para que acionistas e investidores possam tomar decisões sobre investimentos conforme os números apresentados pelo documento. 

E para fazer a demonstração contábil é necessário, sim, conhecer toda a natureza tributária que envolve o negócio. Por isso, é essencial ter à disposição um contador de confiança, para não só entender como elaborar o documento, mas também não se perder em meio a burocracias que sempre podem atrapalhar o trabalho. 

E você mesmo pode ficar mais por dentro do assunto lendo o ebook com o guia sobre a reforma tributária. Baixe agora mesmo!

Jornalista e apaixonada por produzir conteúdo nos mais diferentes formatos. Nas horas vagas, é fotógrafa, viajante e mãe de suculentas.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.