Como conseguir investimentos para seu negócio

Atualizado há mais de 1 semana

Ter um negócio é um desafio capaz de acabar com grandes sonhos. Ou, torná-los em algo que consegue moldar a sociedade por meio de soluções que façam a diferença na vida das pessoas. Mas, antes disso, é preciso pensar em investimento.

Conseguir um investimento é o grande desafio nessa realização e é algo que pode manter no papel ideais que poderiam colocar uma solução eficiente no mercado.

Os desafios de conseguir um investimento passam por dificuldades de mercado, encontrar o melhor tipo para o seu negócio, consolidar um bom plano de empreendimento e ser bastante resistente nas tentativas.

Se você deseja ter sucesso nesse caminho, confira essas dicas para conseguir investimento em seu negócio!

Quais são os tipos de investimento ideais para um negócio?

O primeiro passo para conseguir um investimento para seu negócio é descobrir qual o tipo que cabe em seus planos.

As principais formas de investimento são:

  • Investidor anjo;
  • Fs;
  • Sociedade;
  • Venture capital;
  • Crowdfunding;
  • Aceleradores;
  • Incubadoras;
  • Private equity;
  • Incentivo fiscal;
  • Empréstimo bancário.

Confira cada um.

Investidor anjo

Esse tipo de investimento é um dos mais comuns. É realizado por meio de uma pessoa, normalmente alguém com recursos e que aplica fundo em negócios que continuam no início.

O investidor normalmente é alguém consolidado no mercado e reconhecido por seus investimentos. Ou seja, são pessoas com vasta experiência com bastante adesão no mercado.

Em contrapartida do investimento, a pessoa terá participações em lucro. O investidor-anjo é normalmente encontrado em uma rede de anjos e podem aparecer em grupos.

Fs

Esse tipo de investimento é conhecido como FFF de Family, friends and fools, ou, no bom português, família, amigos e doidos (ou tolos, indo para o literal).

Como o próprio nome deixa a entender, trata-se da “ajuda” de um grupo de pessoas próximas e confiáveis para levantar fundo inicial ao seu negócio.

Trata-se de um investimento que não tem muito poder de arrecadação, e é normalmente usado para testar um negócio.

Ainda que seja um investimento com ajuda de pessoas próximas, sempre deixe muito claro os objetivos de seu negócio e a seriedade na qual pretende levar a empreitada.

Sociedade

A sociedade é um tipo de investimento que parte do Fs. É quando essas pessoas não só investem, mas se tornam seus sócios.

A diferença está em quando essas pessoas participam ou não das atividades do negócio e não apenas emprestam o dinheiro — se tornam apenas credores.

Vale a pena colocar tudo isso em contrato e que cada parte entre no negócio ativamente, com funções e objetivos.

Venture capital

Os fundos de investimento são compostos por um grupo de investidores que acreditam em um negócio de alto potencial.

Assemelha com os investimentos-anjo, com a diferença é que nesse tipo os investidores buscam por negócios já estabilizados, mas que ainda possuem expectativa de crescimento.

Nesse tipo, o grupo de investimento participa ativamente do grupo societário do negócio.

Crowdfunding

A “vaquinha” é um tipo de investimento popularizado na internet graças a plataformas como o Catarse e Apoia-se.

É muito usado por empreendedores digitais que, em troca, oferecem um clube de membros, por exemplo, com recursos exclusivos.

Outro uso muito corriqueiro é de produtos inovadores nas quais os clientes de uma empresa apoiam para ver logo no mercado, com troca, sempre, de algo exclusivo para si.

Aceleradores

Esse investimento é uma das opções para startups em fase inicial. Trata-se de programa em que os empreendedores possuem apoio não só financeiro, mas todo um cronograma de consultorias, estrutura e tutorias.

O grupo participante da aceleração ganha parte nas ações da empresa.

Incubadoras

Já as incubadoras são desenvolvidas por universidades e instituições de ensino para formar um empreendedor novato.

Nesse caso, o negócio ainda sequer existe e o investimento é na capacitação do empreendedor.

Private equity

Aqui, já se trata de um investimento que visa empresas que rendem lucros. Nesse caso, esse tipo aposta na abertura de capital de um negócio, ajudando-o em estrutura, mas também adesão e consolidação no mercado.

Incentivo fiscal

É um incentivo do Governo. Não é exatamente um investimento fácil, porque pode envolver regras e limitações que uma startup não comporta.

Mas é uma opção para quem busca uma maneira de começar um negócio, desde que bem pesquisado e com um bom plano de negócio.

Empréstimo bancário

Outra opção é o empréstimo bancário, muito menos recomendada. Mais uma vez, a burocracia pode ser um impedimento, sem esquecer de certas regras que afastam a ideia de startup.

Ainda que haja alguns incentivos como linhas de créditos, as taxas de parcelamento podem ser um grande problema caso não haja retorno rápido.

5 maneiras de conseguir investimentos!

Vistos os tipos de investimento, cabe agora saber como conseguir um. Confira.

Tenha um plano de negócio consolidado

Você não vai longe caso não haja um plano de negócio consolidado. Essa é a primeira parte de tudo e não passa daqui se ele não existir.

Isso porque o plano de negócio é o documento que esmiúça a sua ideia, estruturalmente mesmo.

Esse documento precisa ter todos os passos que o empreendedor visa para o crescimento do seu negócio.

Uma estrutura básica de um plano de negócio é:

  • Sumário: todas as informações contidas no documento de forma estruturada, como um índice mesmo;
  • Visão geral do negócio: esse é um detalhe de onde o seu empreendimento pretende estar. São as características da ideia em uma estrutura de SWOT, analisando sempre o ambiente de mercado;
  • Análise de mercado: é semelhante ao tópico anterior, mas não igual. Isso porque ele visa esmiuçar o ambiente externo, com uma pesquisa de mercado e um cenário — construído com dados.
  • Análise de concorrência: é um detalhe dos principais players que já atuam com o nicho e o público que o seu negócio pretende atuar. Cabe incluir pontos fortes e fracos desses nomes;
  • Análise de fornecedores: é um detalhe da oferta de insumos e matéria-prima para colocar o seu negócio no mercado.
  • Metas e objetivos: condizente com as condições de mercado, deixe claro seus objetivos e as metas que deseja alcançar.
  • Plano de marketing: descreva quais são as estratégias que deseja adotar para sua empresa com relação ao marketing;
  • Operação: é um detalhe de cargos que fará a sua empresa funcionar, de fato;
  • Plano financeiro: é a parte do dinheiro, propriamente dito. É onde os investidores poderão ver quanto de investimento é preciso para seu negócio começar. 

Faça capacitações

Por mais que você tenha um bom plano de negócio, é necessário estar sempre atento às mudanças de mercado e às atualizações na formação.

Além das capacitações do próprio empreendedor, é preciso apostar também nos demais profissionais que estão no corpo do negócio.

Tenha um pitch

O pitch é um discurso pequeno sobre o seu negócio. É nele, muitas vezes, que você convence um investidor em lhe dar a atenção.

Por isso, ele precisa ser não só arrebatador, como também ser bem estruturado, treinado e ter todas as respostas que a pessoa possa desejar.

Então, treine e capacite também o seu pitch. 

Crie network

O network é a rede de contatos que uma pessoa pode ter com outras, seja por área de interesse, social e, claro, empresarial.

Na hora de conseguir um investidor, o network ajudará em seu alcance e a ser reconhecido.

Eventos profissionais, benchmarking e palestras são ótimas maneiras de se ampliar o networking.

Esteja nas plataformas de investimentos

Por fim, outra maneira de conseguir um investimento são as plataformas de investimento. Algumas delas são:

  •  Eqseed: voltada para startups, a plataforma possui um processo de seleção em que as ideias são apresentadas e avaliadas. Em caso de aprovação, a pessoa terá acesso e contato com outros investidores para aporte;
  • Catarse: é uma das principais plataformas de “vaquinhas” online da internet. Com ela, você pode criar campanhas para financiamento de lançamentos ou até mesmo uma maneira de arrecadar fundos com a participação de membros;
  • StartMeUP: trata-se de uma plataforma para negócios que já passaram por investimentos, como o Fs e o investidor-anjo. Aqui é feito também um processo para avaliar a escalabilidade do empreendimento;
  • Endeavor: Mais uma plataforma que foca em empresas em estágios iniciais, seja com investimento semente ou anjo.

Como você notou, não falta opção de investimento para sua empresa crescer. Ainda que prosperar seja uma tarefa dura, com um planejamento minucioso, capacitação e treinamento, é possível.

E, assim, você poderá ter recursos que ajudem em sua rampagem, que automatize processos, que torne sua vida mais eficiente para poder focar em encontrar bons investimentos.

Um desses recursos é o emissor da eNotas, que automatiza todo o processo de emissão fiscal, de maneira simples e eficiente.

Conheça agora mesmo! 

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.