O que é CF-e, como funciona sua emissão e principais vantagens

Atualizado há mais de 1 semana

Com a modernização tecnológica, muitos termos novos surgiram no ramo do comércio, como a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e). Essas ferramentas surgiram para tornar o processo de emissão de documentos relacionados à transações comerciais mais simples. Agora, o CF-e, Cupom Fiscal Eletrônico, também passou a fazer parte do cotidiano dos empresários. 

No entanto, muitas pessoas ainda não compreendem o que é o CF-e, o confundem com outros termos tributários ou não sabem para que este documento serve. É muito comum, por exemplo, que algumas pessoas confundam CF-e SAT e NFC-e.

Para resolver essas dúvidas de uma vez por todas, preparamos esse post pra você entender o que é o Cupom Fiscal Eletrônico e como funciona sua emissão! Vem com a gente.

O que é o CF-e? 

O CF-e, Cupom Fiscal Eletrônico, é o documento que foi implantado para substituir o cupom fiscal tradicional, que utilizava o Emissor de Cupom Fiscal, uma impressora fiscal. Atualmente, o documento é emitido pelo Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos, ou CFe-SAT.

O CFe tem como objetivo comprovar a realização da comercialização da mercadoria ou serviço. Assim, o cupom passa pela autorização do FISCO e pela validação da assinatura digital do contribuinte.

O novo documento surgiu para simplificar o processo de emissão, reduzindo burocracias e proporcionando a segurança do processo, visto que utiliza assinatura do certificado digital, assim como a NFC-e. Além disso, por ser um processo totalmente digital e automatizado, a possibilidade de erros nos dados emitidos é praticamente nula.

Como funciona a emissão do CF-e? 

A emissão do Cupom Fiscal Eletrônico surgiu com a iniciativa do projeto SPED, que instituiu a Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica. Este documento surgiu para substituir as antigas notas fiscais de venda ao consumidor, modelo 2. Dessa forma, a grande maioria dos estados realizaram a opção pelo documento com exceção de três casos:

  • São Paulo (SP) – Possibilita a emissão tanto da NFC-e quanto do SAT CFe;
  • Ceará (CE) – Tem um sistema próprio chamado de MFe;
  • Santa Catarina (SC) - Mantém o sistema PAF ECF.

Nestes locais, acontece a emissão do cupom fiscal eletrônico com seus sistemas próprios, conforme explicamos abaixo.

PAF ECF (Programa Aplicativo Fiscal Emissor de Cupom Fiscal)

O sistema PAF ECF é uma sigla para Programa Aplicativo Fiscal – Emissor de Cupom Fiscal. A ECF é a impressora que realiza a emissão de cupons fiscais, e, para ser ativada, é preciso que a impressão parta de um software específico, o PAF.

O equipamento não necessita estar ligado à internet, e o empresário pode transferir os dados de vendas à Secretaria da Fazenda todo mês, por meio de um software de gestão integrado ao PAF-ECF.

Muitos estados ainda aceitam e utilizam o PAF, em especial Santa Catarina que decidiu por não aderir à NFC-e.

SAT CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico)

O SAT, Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal, é um aparelho fiscal que documenta eletronicamente as operações comerciais. Isso no estado de São Paulo. 

É este equipamento que gera e autentica o Cupom Fiscal Eletrônico (CF-e), e integrado ao software utilizado no comércio, é o responsável por transmitir as informações da venda para a Secretaria da Fazenda e, assim, permite com que a ela seja finalizada.

MFe (Módulo Fiscal Eletrônico)

Semelhante ao SAT, o estado do Ceará desenvolveu um sistema chamado de MFe (Módulo Fiscal Eletrônico). O equipamento e sistema têm como objetivo além de emitir os cupons fiscais, validar e transmitir as informações e armazenar dados.

Vantagens do CF-e

Assim como a Nota Fiscal Eletrônica, o CF-e surgiu para facilitar processos e gerar menos custos para as empresas. Por isso, ele trouxe algumas vantagens para consumidores e empresários. Confira:

Mais agilidade nos processos

O CF-e permite que os processos do empreendimento sejam feitos com mais agilidade, já que toda compra é registrada no cupom fiscal eletrônico no momento em que as mercadorias passam pelo caixa. Dessa forma, o documento é emitido quase que automaticamente pelo SAT.

Além disso, não requer conexão à internet no momento da venda, apenas a transmissão das informações periodicamente para a Secretaria da Fazenda, pois não é obrigatório que sejam enviados em tempo real.

Menos custos

O CF-e dispensa a impressora fiscal autorizada e homologada pela Receita Federal. Assim, há menos custos para o empresário, que pode optar pela impressora que preferir, com valores de equipamentos para emissão mais baratos. 

Mais segurança

O CF-e conta com a tecnologia de assinatura de certificado digital, que garante a veracidade do documento, e pode ser armazenado por meio de sistemas de gestão. Dessa forma, pode ser consultado a qualquer momento. 

Concluindo… 

O Cupom Fiscal Eletrônico nada mais é do que um modelo eletrônico do cupom fiscal, que tem como objetivo principal facilitar a emissão deste documento. Apesar de ser muito confundido com a Nota Fiscal Eletrônica, nota-se que os dois têm diferenças em seus formatos e quantidade de informações. 

Esperamos que este artigo tenha te ajudado a entender o que é o CF-e, como acontece sua emissão e as principais vantagens de utilizá-lo! Para conferir mais conteúdos sobre o mundo fiscal e tributário, continue com a gente e entenda melhor as funcionalidades do DANFE!

Jornalista, escritora e pós-graduanda em Comunicação Digital e Mídias Sociais.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.