Danfe
LEGISLAÇÃO
NOTAS FISCAIS

Danfe: o que é e para que serve o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Atualizado há mais de 1 semana

A obrigatoriedade da emissão de notas fiscais eletrônicas é lei no Brasil. Mas junto da emissão da nota, é também emitido um comprovante da venda do produto ou serviço.

E, graças ao mundo digital, a emissão do comprovante é mais simplificada e, para compras online, ele é emitido na hora da compra e enviado por email, quando se usa um emissor de nota fiscal, de modo simples, rápido e fácil. 

Mas, quando se recebe a mercadoria em casa, ela vem acompanhada por um papel, muito parecido com a nota fiscal.

Já ouvir aquele dizer "parece, mas não é"? Pois é exatamente o que acontece nessa situação. Esse documento que acompanha o produto é o chamado Danfe e, por mais que se confunda com uma NF-e, existem suas diferenças. 

Neste post, vamos esclarecer todo esse assunto e  você ficará por dentro do que é um Danfe e para que serve esse documento. Vamos lá?

O que é o Danfe?

O Danfe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) é uma representação gráfica e simplificada de uma Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). 

atenção!

O Danfe não é a nota fiscal da compra, e muito menos a substitui. Ele apenas facilita o acesso dos dados da compra para o consumidor.

De modo geral, o Danfe é também utilizado para regularizar a circulação das mercadorias, uma vez que o veículo transportador da mercadoria não pode transitar sem ele — caso o faça, a fiscalização poderá multá-lo.

Curiosidade

Por conter a chave numérica de acesso à NF-e, ele permite que o detentor confirme a existência efetiva dessa nota fiscal em uma simples consulta pela internet.

Diante disso, podemos concluir que as principais funções do Danfe  são:

  • Acompanhar a mercadoria em trânsito e;
  • Permitir acesso ao XML da Nota Fiscal Eletrônica.

Abaixo, você confere um exemplo do Danfe de um jogo comprado por um de nossos eNoters (clique na imagem para ampliá-la):

danfe-exemplo

Mas... qual a diferença entre o Danfe e a nota fiscal?

O Danfe é apenas um registro físico para acesso fácil dos dados de uma compra. Enquanto a nota fiscal é, e deve ser sempre, o documento em que se representa uma aquisição em prestações de conta para a Receita Federal. 

A NF-e oficial é gerada em um formato específico, o XML, e é ele que é usado pela contabilidade para a entrega de suas obrigações.

Ainda, é por essa extensão que se garante a legalidade do documento, já que ele é fornecido pela assinatura de um certificado digital

Portanto, se você comprou um produto online e recebeu por email a nota fiscal, é esse documento que deve valer oficialmente. 

Curiosidade

Dentro desse cenário de documentos fiscais é comum as pessoas confundirem uns com outros. Aproveite confira o nosso conteúdo sobre as diferenças entre o cupom fiscal e a nota fiscal.

Para que serve o Danfe?

Bom, além de tudo que já foi dito, a respeito de ser uma possibilidade de fornecer os dados mais rápidos ao consumidor e ser indispensável em caso de fiscalização ao longo do trajeto até o devido destino, existem mais algumas funções importantes.

O Danfe também serve para colher a assinatura do destinatário no ato da entrega da mercadoria ou prestação do serviço, cumprindo a função de comprovante da operação.

Além disso a consulta numérica permite que ele seja colocado à prova de fraudes, por exemplo.

Curiosidade

Conheça 6 práticas fiscais perigosas que você deve evitar para escapar de problemas!

O documento pode ser usado ainda como auxílio na escrituração contábil da transação realizada. Neste caso, o Danfe deve ser arquivado pelo prazo legal exigido para as notas fiscais (5 anos), para ser apresentado quando solicitado. 

Portanto, ele não serve apenas para quem recebe a mercadoria, mas para quem envia e transporta também.

Quais são os itens obrigatórios em um Danfe?

Por ser importante para todas as partes envolvidas em uma compra, o Danfe precisa ter alguns elementos fundamentais para a sua emissão, a fim de evitar problemas a todos.

Veja quais são eles: 

  • chave de acesso:  44 dígitos que permitem o acesso a NF-e para quem os lê, por meio da Receita Federal
  • código de barra: permite que um leitor eletrônico leia a chave de acesso;
  • dados do destinatário: nome, endereço, telefone e CNPJ/CPF;
  • valores: inclui-se aqui todos os impostos da nota fiscal agregados ao valor do frete, por exemplo;
  • códigos: CFOP, CST e NCM do produto;
  • dados do emissor: razão social, CNPJ, inscrição estadual;
  • dados da transportadora: razão social, CNPJ, inscrição estadual e placa do veículo;
  • data e horário de saída: neste caso, é preciso descrever o dia e a hora da saída da mercadoria da distribuidora. Caso essa informação não exista, será entendido que eles coincidem com a emissão do documento;
  • número de folhas: Para os documentos com mais de uma página;
  • a palavra "DANFE": sim, é preciso estar visível a palavra para fácil identificação. 

Outra obrigatoriedade é o layout padronizado, que precisa ser seguido à risca. O Manual de Integração do Consumidor pode ser utilizado nos casos de maiores dúvidas.

De qualquer forma, confira alguns detalhes sobre a utilização do Danfe:

  • até 50% do verso de uma folha do documento pode ser usado como continuação dos dados. Nessas situações, é necessário constar no anverso (parte frontal) a informação “CONTINUA NO VERSO”;
  • o Danfe pode ser impresso tanto no modo retrato quanto no modo paisagem, desde que sejam respeitadas as dimensões mínimas de um A4 e máximas de um Ofício II, não sendo permitido o uso de papel-jornal;
Curiosidade

Outras informações que o emissor da mercadoria julgar importantes (por exemplo, dados do transportador e da mercadoria) podem ser adicionadas ao DANFE sem a necessidade de autorização especial.

Qual a composição da chave de acesso do DANFE?

A chave de acesso obrigatória do DANFE , como já falamos, tem nada menos que 44 dígitos, mas é fácil compreender sua composição, acompanhe:

  • Primeiros 2 dígitos: código do Estado (UF) do emitente
  • 4 dígitos seguintes: ano e mês da emissão da NF-e (no formato AAMM)
  • 14 dígitos seguintes: CNPJ do emitente da NF-e (CNPJ da sua Empresa)
  • 2 dígitos seguintes: modelo da NF-e
  • 3 dígitos seguintes: série do NF-e
  • 9 dígitos seguintes: número da NF-e
  • 9 dígitos seguintes: código da NF-e (número gerado pelo sistema)
  • Último dígito: dígito verificador - DV.

O que fazer se o emitente estiver impedido de gerar o DANFE?

Em situações de contingência — quando o contribuinte está sem conexão com a Sefaz ou impedido de emitir o documento —, a empresa terá que utilizar um Formulário de Segurança para Impressão de Documento Auxiliar de Documento Fiscal Eletrônico (FS-DA) para gerar o DANFE.

Para adquirir FS-DA, o contribuinte deve procurar um dos fornecedores autorizados, que providenciará a emissão de um Pedido de Aquisição de Formulário de Segurança (PAFs). 

Este pedido deverá ser autorizado pela Sefaz da unidade federada onde o contribuinte estiver estabelecido.

Tendo sido aprovado o PAFS pelo fisco, o FS-DA poderá ser adquirido de distribuidores ou gráficas locais credenciados — a lista completa de fornecedores pode ser consultada no site do Conselho Nacional de Política Fazendária. 

Como consultar o Danfe online?

Perdeu o Danfe e não sabe mais onde encontrá-lo? Calma, não precisa se desesperar. 

A consulta do Danfe online é rápida e prática. Para isso, basta acessar o Portal da Nota Fiscal eletrônica ou o site da Sefaz que emitiu o documento e digitar a chave de acesso — aquele código de 44 dígitos. 

Tenha em mente que a consulta do Danfe só é disponibilizada após 180 dias da sua data de emissão.

Após esse prazo, só é possível consultar do documento em sua versão reduzida, apenas com o número, a data de emissão, o CNPJ do emissor e do destinatário, o valor e o status da nota.

E se você tem um grande volume de notas emitidas, por ser complicado consultar o Danfe manualmente, o ideal é contar com um software que faça essa consulta e monitoramento automático para você.

Isso, pois recorrer a uma solução eficiente e simples, permite que sua empresa perca menos tempo com rotinas burocráticas.

Esse é o momento de deixar as dores e as preocupações para trás e seguir o caminho automatizado. 

Vivencie uma nova experiência em monitoramento de notas fiscais eletrônicas!

Conheça o eNotas Consulta

Conclusão

Nesse post, você entendeu como o Danfe é importante para regularizar as vendas na internet e garantir que o seu negócio respeite as legislações brasileiras. 

Saiba que existem diversos tipos de notas fiscais. Como existem detalhes que merecem toda a sua atenção, é essencial dominar, ao menos, o básico sobre essas questões.

Então, continue com a gente e descubra mais sobre a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)!

Insert Content Template or Symbol
Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já conhece nosso canal de notícias fiscais no Telegram?
Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.