O que é NFC-e em contingência?

Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) está sendo implementada gradativamente nos estados brasileiros. O documento vai substituir a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2 e o Cupom Fiscal emitido pelo Emissor de Cupom Fiscal. 

Justamente por ainda ser uma novidade, é comum que os usuários fiquem com muitas dúvidas.

nfc-e-em-contingencia-2

Fonte: Manual NFC-e em Contingência (Encat)

A principal delas é em relação à NFC-e em contingência. Você já ouviu falar nisso? Não sabe como fazer e quando utilizar? Explicamos isso e muito mais no post de hoje. Confira!

O que você quer aprender?

O que significa NFC-e em contingência?

O projeto da NFC-e foi desenvolvido pelo Encat, portanto, todas as normas e obrigações são estabelecidas por esse órgão. E com a NFC-e em contingência não é diferente: foram criados padrões técnicos para orientar na hora de utilizar a “Contingência Offline NFC-e”.  

A NFC-e em contingência é utilizada quando há problemas técnicos na autorização do documento.

Sendo assim, o contribuinte poderá emitir a NFC-e em contingência e imprimir o DANFE. Quando a situação se normalizar, basta transmitir o arquivo em XML para autorização na Sefaz responsável.

Prazo: na maioria dos estados, o limite para realizar essa operação é de até 24 horas. Porém, alguns permitem que seja até o primeiro dia útil subsequente contado a partir da emissão da NFC-e.

Veja na imagem abaixo com isso funciona na prática:

nfc-e-em-contingencia-1

Fonte: Manual NFC-e em Contingência (Encat)

Atenção!

A utilização da NFC-e em contingência é uma escolha de cada estado. Portanto, alguns podem oferecer essa possibilidade e outros não. Além disso, os órgãos ainda podem utilizar outros formatos de contingência.

Esse é o caso de São Paulo que utiliza o SAT, um equipamento físico para documentar as transações comerciais. 

Sendo assim, se você não conseguir conectar o SAT à internet, poderá enviar as cópias de segurança por transmissão em contingência para a Sefaz. Portanto, só é possível fazer a emissão por contingência utilizando o aparelho SAT.

Além disso, o documento emitido em contingência em SP é o CF-e (Cupom Fiscal Eletrônico), e não a NFC-e

Baixe o nosso Guia SAT Fiscal em São Paulo e descubra mais sobre o assunto (inclusive uma forma de emitir CF-e e NFC-e automaticamente em São Paulo).

Quando utilizar a NFC-e em contingência?

A NFC-e em contingência deve ser utilizada quando há problemas técnicos na autorização do documento em tempo realque pode ser até mesmo a demora na comunicação com a Sefaz. 

Por exemplo, o consumidor não pode ficar na fila do supermercado esperando 1 minuto para que a NFC-e seja emitida. O máximo aceitável de espera são 10 segundos.

Em uma situação como essa, no qual a emissão está lenta, é aconselhável emitir o documento em contingência para que não gere insatisfações dos clientes.

O Encat recomenda que a contingência seja utilizada apenas em circunstâncias extremas, que realmente interfiram no funcionamento da empresa. Você não é obrigado a optar por essa alternativa e nem precisa de autorização para fazê-la.

O Fisco poderá exigir esclarecimentos caso o contribuinte utilize essa modalidade em excesso quando comparado a outros usuários em situação semelhante.

Veja os modelos de NFC em contingência:

nfc-e-em-contingencia-2

Fonte: Manual NFC-e em Contingência (Encat)

Como acontece a emissão de NFC-e em contingência?

O exemplo abaixo mostra como a NFC-e em contingência acontece na prática, confira!

nfc-e-em-contingencia-4

Fonte: Manual NFC-e em Contingência (Encat)

1. Tentativa de transmissão: a NFC-e nº 20 é encaminhada para a Sefaz, porém problemas técnicos impedem que a ação seja concluída.

Quando se utiliza a NFC-e em contingência, não é permitido utilizar o mesmo número do documento que foi encaminhado para a Sefaz normalmente para evitar duplicidade. Portanto, o modelo em contingência é emitido com o nº 21.

2. Emissão offline: a NFC nº 21 é emitida em contingência. Você deve imprimir a DANFE em duas vias ou armazenar digitalmente em local seguro, caso seja solicitado pelo Fisco.

Importante: se ao fazer a tentativa de transmissão (opção 1), o serviço de comunicação voltar ao normal, o correto é cancelar a NFC-e nº 20. Por outro lado, se a tentativa não for efetivada, pode-se manter a numeração utilizada na emissão offline. 

3. Transmissão da NFC-e: depois que o problema técnico foi resolvido, a NFC-e nº 21 é transmitida à Sefaz para autorização.

Se o documento for rejeitado, é preciso gerar o arquivo novamente com a mesma numeração e série para transmitir novamente.

Por que você não deve utilizar a NFC-e em contingência sempre?

O Fisco orienta que a NFC-e em contingência deve ser utilizada exclusivamente quando há problemas que impedem a autorização do documento em tempo real. Se você utilizar o processo sempre, pode ter problemas, como:

  • As NFC-es em contingência devem ser encaminhadas para a Sefaz quando a situação se normalizar. Porém, elas podem ser rejeitadas, gerando possíveis retrabalhos e problemas com os seus clientes.
  • Os documentos em contingência estarão disponíveis para a consulta pública no site da Sefaz ou via QR Code. Isso pode gerar reclamações ou denúncias, caso a NFC-e não seja encontrada imediatamente após a venda.
  • Nessa modalidade, você - como gestor - corre o risco de perder as informações da NFC-e até que elas constem no sistema do Fisco.

Como emitir NFC-e em contingência?

A NFC-e em contingência deve ser emitida na Sefaz do estado responsável. Porém, como já citamos, cada um pode utilizar os critérios que desejar nesse processo. Então, o que fazer para que essa tarefa não seja tão desgastante?

Você pode utilizar um emissor de NFC-e que faz esse trabalho para você e compreende as particularidades de cada estado. O eNotas Gateway, por exemplo, emite os documentos em contingência respeitando os padrões estabelecidos pelo Encat, inclusive em São Paulo com o SAT e no Ceará com o MFE.

Dessa forma, você não precisa sofrer com instabilidades nos sistemas da Sefaz. O

software de NFC-e vai emitir o documento em contingência e encaminhar automaticamente para a autorização quando o sistema da Sefaz estiver restabelecido. Interessante, não é mesmo?

A NFC-e em contingência é um procedimento permitido por lei, porém ele exige alguns conhecimentos técnicos e um tempo que muitos gestores não possuem. 

Se esse é o seu caso, pode ficar tranquilo! Entre em contato com a gente e descubra como emitir NFC-e com facilidade, rapidez e de forma 100% automática! 

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>

Pare de perder tempo com tarefas manuais... Comece a emitir Notas Fiscais AUTOMÁGICAMENTE