O que é Clickbait e os principais motivos para não usá-lo

Até onde vão os limites para se atrair uma pessoa ao seu conteúdo? Você já se perguntou isso? Uma boa estratégia de marketing deve conquistar o público e aumentar o tráfego orgânico do blog.

Geralmente, isso acontece com títulos atraentes, que causam curiosidade e prometem solucionar algum problema.

Mas quem nunca clicou em um link e se deparou com um conteúdo totalmente diferente? O famigerado clickbait já vitimou muita gente, e você já foi uma dessas pessoas, certo?

Pode até parecer eficaz, mas a técnica é muito perigosa e atrapalha a sua reputação no mercado. Quer saber o porquê disso? Acompanhe este texto!

Não sabe o que é clickbait? Leia aqui!

Isca de cliques. A tradução literal para o português é a melhor forma de explicar o termo. O “conceito” surgiu no Youtube, com pessoas querendo atrair mais gente para os seus vídeos.

No título, uma promessa tentadora. No caso dos vídeos, vai além: as imagens de destaque — as famosas thumbnail — mostram uma coisa, a descrição também. Você clica e... nada do que foi descrito é mostrado inicialmente ou tem relação com o conteúdo.

Muita gente acredita que essa prática é comum e bem-vista, mas não. Há uma confusão com as técnicas de SEO utilizadas no marketing de digital, mas o clickbait é como se fosse uma isca para peixe mesmo.

Quando ele fisga o anzol, dificilmente volta para o rio. Ter títulos tentadores e imagens chamativas nos seus conteúdos não são o problema. Afinal, isso é ótimo e recomendado. O que ninguém com um mínimo de seriedade vai recomendar é a mentira.

Quer um exemplo? “Ana Maria Braga se demite da Globo”. Aí você clica e vai parar em um site de game. Isso não é legal, definitivamente.

Como identificar um. Aprenda aqui!!!!

Não é difícil identificar um clickbait. Alguns deles seguem à risca certas regras:

  • algo que aparentemente é impactante – como a Ana Maria Braga se demitir da Globo;
  • uso excessivo de pontuação, como pontos de exclamação;
  • termos como “você não vai acreditar” ou “como ele se encontra hoje é de cortar o coração”, com uma foto do Haley Joel Osment da época do filme AI – Inteligência Artificial;
  • prometem o impossível, fazendo você clicar por apenas ter curiosidade em saber como o impossível pode ser feito (é, não faz sentido);
  • oferecem descontos, como “90% agora para todo o Brasil com frete grátis”;
  • no Youtube, é possível você encontrar “Melhores Momentos de Brasil x Bolívia Abertura Copa América 2019” e se deparar com alguém prometendo aumentar a sua renda extra.

Essas são algumas “regras” do clickbait. Certamente você já viu uma dessas por aí, certo?

Veja como os títulos abaixo são, no mínimo, peculiares e entenda como isso funciona:

clickbait

CUIDADO!! Não use essa regra em sua estratégia! Saiba o porquê aqui!

Como você já leu neste post, o clickbait é uma prática que se utiliza da mentira para tentar conquistar um público. Mas, na verdade, a conquista é bem difícil nesse caso. Entenda mais abaixo:

Ninguém se encanta por um conteúdo que mente

Atualmente, as pessoas buscam por empresas que, com criatividade, se comunicam bem e oferecem os melhores produtos e serviços para suas dores. E a transparência é um dos quesitos mais analisados na hora de conquistar um seguidor. Para fidelizar clientes, então, é primordial.

Ninguém confiará em um empreendimento que tenta atrair com clickbait. Seu nome e o da sua empresa ficam severamente arruinados no mercado.

Muitos cliques. Poucos clientes

Ter cliques é legal, um dos KPIs mais bem quistos por muito produtor de conteúdo. Mas usando um clickbait, dificilmente você verá esses cliques converter vendas.

Número de cliques, neste caso, será só uma métrica de vaidade. Mesmo que um conteúdo bombe de views, você não terá nenhuma ação efetiva. E com o tempo, certamente esse material perderá a relevância.

Você é punido pelos algoritmos

Em 2017, o Facebook lançou um comunicado que travava uma guerra contra os baits e  você não quer entrar nessa batalha contra o Mark Zuckerberg, certo?

Foi nesse ano que a rede social começou a punir conteúdos enganosos em sua plataforma. O alcance delas começou a cair e a página não conseguiria ter bons números.

O Google, o principal site de buscas do mundo, atualiza sempre seus mecanismos de busca e os “robôs” conseguem, com cada vez mais assertividade, punir conteúdos de baixa qualidade – que geralmente usam clickbait – e fazer com que eles sejam menos vistos pelos usuários.

Por isso, em uma guerra em que de um lado está o Facebook e o Google juntos, levante a bandeira branca da paz e evite as consequências, pois os problemas para o seu empreendimento podem ser graves.

É legal mentir para um possível cliente? Não é não!

Aqui a coisa é levada pelo lado da moral e da ética. Pode parecer divertido criar piadinhas que induzem a curiosidade de um leitor ou espectador por meio de uma mentira, mas ninguém, na verdade, gosta de ser enganado.

O que, de fato, vem tornando a internet nessa grande vitrine de novos empreendimentos que despontam no mercado são a originalidade e a criatividade. Atrair o seu público de uma maneira esperta, mas genuína, é válido, mas a coisa perde a graça quando aparece a tal da mentira. Vale a reflexão, não acha?

Atraia o seu público com essas técnicas eficazes! Leia agora!

Com certeza você já perguntou se tem como aproveitar a curiosidade que o clickbait gera no público de alguma maneira. Tem, desde que não minta. Gatilhos mentais que podem atrair pessoas para o seu conteúdo existem aos montes.

Veja como você pode ser criativo, despertar a curiosidade de alguém, aumentar o desejo de compra e ainda ganhar um cliente.

O marketing de atração

Você, certamente, já ouviu falar desse termo ou do inbound marketing. A técnica muito conhecida por produtores digitais é largamente utilizada para atrair um público ao seu conteúdo, mas de maneira orgânica. E sem mentir.

O método busca atrair um leitor ou espectador com conteúdos ricos e interessantes, com algumas práticas que o público o encontre quando mais precisar. O Inbound atrai, converte e encanta o público, diferentemente do clickbait. Você pode construir títulos que despertam a curiosidade do leitor, sem enganá-lo, portanto.

Abuse da criatividade

O que mais existe pela internet afora são exemplos criativos que, de forma justa, atraem e conquistam clientes.

Uma dessas maneiras é o emotion-bait, um conceito que tem crescido pela web. São títulos, ou outro destaque, que tocam pelo lado sentimental, principalmente quando se trata da escrita criativa

Só cuidado para não confundir com sensacionalismo. O emotion-bait encontra valor em seu conteúdo e, com um propósito bem definido, transforma o título criativo e que desperte a curiosidade do leitor.

Enganar não é bom! Não faça por aí!

Ao longo do texto, você percebeu como o clickbait é uma prática muito usada e pouco recomendada. É claro que a ideia de atrair o leitor por meio da curiosidade não é má, o problema todo é enganar o leitor.

Isso, definitivamente, você não deve fazer. Mas abusar da criatividade sim! Por isso, encontre os melhores meios e ganhe reputação – coisa que você jamais terá cometendo mentiras.

E por falar em mentiras…

O clickbait não te lembra outra coisa, muito praticada ultimamente e ainda muito debatida e combatida? As notícias falsas!

Quer entender mais sobre o assunto e evitá-las em seu negócio? Então, continue com a gente e descubra o que são as fakes news!

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>