Os principais impostos que uma empresa deve pagar

O Brasil é um dos países onde mais se paga impostos. E a burocracia para ter uma empresa pode desanimar alguns empreendedores. Contudo, isso não é motivo para não legalizar o negócio e não pagar os seus impostos em dia.

Quem deseja ter sucesso no mercado precisa entender um pouco sobre as suas obrigações, inclusive os principais impostos que uma empresa deve pagar.

Algumas siglas já são conhecidas, como o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e o IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica. Mas você conhece os outros impostos, como o PIS e o Cofins, e quando e como eles devem ser pagos?

Qualquer decisão equivocada, como a escolha de um regime tributário errado, coloca em risco a saúde financeira do seu empreendimento. De forma semelhante, o pagamento de tributos em datas erradas causa grandes dores de cabeça também.

Este post vai clarear o seu pensamento sobre as questões tributárias mais importantes para o seu negócio.

Os principais impostos que uma empresa deve pagar

Abaixo, você encontra uma lista dos impostos mais importantes para um negócio. Fique atento, pois a alíquota de cada um deles pode varia de acordo com o regime tributário escolhido.

ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

Imposto estadual que é cobrado sempre que ocorre movimentação de mercadorias entre os estados brasileiros. Como cada unidade federativa tem a sua alíquota, variando entre 7% e 18%, muitos empreendedores ficam confusos.

A fim de evitar qualquer problema, é possível consultar o site de cada Estado e fazer uma consulta sobre o valor a pagar.

ISS - Imposto sobre Serviços de qualquer natureza

O ISS é um imposto municipal, por isso, está relacionado à Nota Fiscal de Serviço — que é o documento que muitos empreendedores digitais devem emitir. Como o seu próprio nome diz, ele tem o seu valor calculado a partir do serviço prestado.

As alíquotas mudam em cada cidade. Desse modo, descubra qual é o valor do ISS e não pague mais ou menos do que necessário.

PIS/Pasep - Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público

O PIS é uma contribuição paga ao colaborador do setor privado. Já o Pasep é destinado aos trabalhadores da esfera pública. Eles são pagos mensalmente, e têm os seus valores calculados a partir do faturamento da gestão ou da folha de pagamento.

Tenha em mente que a Caixa Econômica Federal é responsável pelo primeiro. Já o segundo imposto é operado pelo Banco do Brasil.

Porém, apenas os trabalhadores que atendem aos seguintes requisitos podem sacar tanto o PIS quanto o PASEP:

  • receber menos de dois salários mínimos;
  • ter carteira assinada por no mínimo 5 anos;
  • ter registro em carteira por pelo menos 30 dias consecutivos;
  • esteja informado no Rais (Relatório Anual de Informações Sociais).

INSS - Previdência Social

Percentual que o empreendedor paga ao Estado para garantir aos funcionários:

  • auxílio-acidente;
  • salário-família;
  • salário-maternidade;
  • pensão por morte;
  • aposentadoria por invalidez, idade ou tempo de contribuição.

O valor pago varia de acordo com a função exercida e o tipo de trabalho. Por isso, é importante ficar atento e pagar a alíquota correta. Caso você tenha alguma dúvida, sempre busque a ajuda de um contador.

Cofins - Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social

Imposto que tem o objetivo de financiar os programas sociais do governo, os investimentos em saúde pública e os fundos previdenciários. Saiba que o Cofins incide sobre o faturamento bruto da gestão.

IRPJ - Imposto de Renda de Pessoa Jurídica

Imposto que as empresas devem pagar em relação ao faturamento nos últimos 12 meses de atividade.

CSLL - Contribuição Social sobre o Lucro

Imposto que incide sobre o lucro líquido do empreendimento, antes que o Imposto de Renda (IR) seja calculado. O CSLL deve ser pago pelas Pessoas Jurídicas e as equiparadas pela legislação do IR.

CPP - Contribuição Previdenciária Patronal

Imposto empresarial vinculado ao INSS. Dessa forma, ajuda a garantir o funcionamento da Previdência Social. O seu valor é calculado com base na folha de pagamento do funcionário.

Planejamento tributário: a ferramenta para pagar menos impostos

Já imaginou pagar menos impostos, sem desrespeitar as leis?

Saiba que o planejamento tributário é a solução ideal para quem quer otimizar a gestão financeira e manter o negócio legalizado. Também chamado de elisão fiscal, ele possibilita o pagamento de impostos nas datas certas e com os valores adequados.

Quem não realiza o planejamento tributário acaba se confundindo e pagando mais do que deve.

E os benefícios não param por aí. O elisão fiscal evita a sonegação fiscal e facilita a escolha do regime tributário correto para o seu faturamento. 

Geralmente, o Simples Nacional é a melhor opção para os empreendedores digitais, porém, sempre faça as contas antes de tomar essa decisão. Nessas horas, busque a ajuda de um contador e veja qual é a opção ideal para a sua gestão.

Ps: confira o nosso outro post e descubra mais sobre o pagamento de impostos no Simples Nacional!

Imposto e tributo: entenda as diferenças

Será que imposto e tributo são sinônimos? Muitos empreendedores têm essa dúvida, pois não dominam o assunto… e não há nada de errado nisso.

A correria do dia a dia e a necessidade de fazer o empreendimento crescer exigem muito tempo e energia. Porém, o pagamento de impostos é uma obrigação para legalizar a empresa e ter tranquilidade em seu orçamento financeiro.

Por isso, preste muita atenção na definição de cada termo tributário:

Tributo

Segundo o Sistema Tributário Nacional,Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.”

Traduzindo: tributo é uma quantia financeira que as pessoas e as empresas devem pagar por terem alguma riqueza.

Imposto

Os impostos são encargos que incidem sobre patrimônios, rendas e consumo. O seu arrecadamento é destinado ao pagamento de custos do estado. Saiba também que o imposto é um tipo de tributo.

Tenha em mente que existem outros termos que causam confusão também:

  • taxa: valores que são cobrados pelo poder público quando um serviço é prestado ao contribuinte, como a confecção de documentos;
  • contribuição: está associada à realização de atividades que beneficiam o contribuinte;
  • alíquota: percentual que é considerado para o cálculo do tributo, considerando o regime tributário e o faturamento do negócio.

Conclusão

Este post mostrou para você que existem inúmeros impostos no Brasil. Apesar de ser um assunto complicado para um empreendedor, é essencial conhecer os seus nomes e como funciona a tributação de uma gestão.

Se você deseja ter mais tempo para focar no seu negócio, sempre tenha um contador ao seu lado. Esse é o profissional ideal para te ajudar a tomar decisões tributárias, principalmente quando se trata dos impostos que uma empresa deve pagar e evitar erros.

Além disso, fique atento à escolha do regime tributário também. Em muitas situações, o Simples Nacional é a melhor escolha para evitar complicações e facilitar a sua rotina.

Sempre tenha em mente que o pagamento de impostos é uma obrigação para todos empreendedores. Quem deixa essa questão de lado pratica a sonegação e corre riscos de ser pego pelo fisco, abrindo brechas para multas e, em casos mais sérios, a sua prisão. 

E então, o que você achou deste post? Ficou mais claro quais são os principais impostos que uma empresa deve pagar? Agora, continue com a gente e descubra como calcular os impostos de uma venda online!

About the Author

Analista de marketing apaixonado pela produção de conteúdo, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>