rest-api
TECH

O que é uma REST API?

Atualizado há mais de 1 semana

Na programação e desenvolvimento de softwares, existe uma série de conceitos fundamentais para garantir uma boa experiência ao usuário – que sequer sonha com isso. 

Um deles é a API. Um código programável que consegue garantir que dois softwares diferentes possam se comunicar entre si. 

E ainda a REST API, outro conceito que sua empresa pode utilizar para  garantir um bom desenvolvimento de serviços de web.

Neste conteúdo vamos explicar um pouco de como funciona essa ferramenta de programação, bora lá?

O que é uma REST API?

O nome completo de nosso personagem é RESTFul API

Enquanto API é a sigla em inglês para Interface de Programação de Aplicação (Application Programing Interface), o REST é acrônimo para Representation State Transfer.

Bom, mas decifrar os nomes não ajuda muito. Na prática, que é o que vale mesmo, o REST é uma API que usa restrições HTTP para extrair, inserir, postar e deletar dados. 

Com a REST API, o usuário se conecta e interage com aplicações em nuvens, o que é muito usado em sites como Google, Amazon, LinkedIn e Twitter. 

Como toda API, ela conecta dados armazenados em uma plataforma e “transfere” para outra. 

Quais são os tipos de APIs?

A REST não é a única API que existe. 

As APIs têm três formas de atuar: localmente, baseada na web e em programas. Veja:

  • As de atuação local são chamadas de privadas, utilizadas internamente entre as aplicações de uma empresa. 
  • Atuando baseada na web são as públicas, usadas livremente e disponibilizadas por empresas para que os desenvolvedores façam integrações entre as aplicações.
  • Já as parceiras são aquelas usadas entre negócios que comungam a integração dos dados, mesmo que sejam softwares diferentes. 

Quais são as funcionalidades de um REST API?

A principal funcionalidade de uma REST API é ser uma “ponte” entre dois softwares diferentes em que um cede dados do usuário a outro software.

Um exemplo bem prático dessa funcionalidade é fazer login em um sistema utilizando dados já cadastrados em outro. 

Sabe quando você acessa um sistema de pagamento online e faz login pelas redes sociais, como o Facebook? 

Um REST API é a interface dessa transferência de dados. Isso ajuda a separar as aplicações back-end e front-end. 

Isso significa dizer que os dados do usuário são preservados e a troca dessas informações são realizadas apenas para recuperar dados, inserir ou deletá-los. 

Ter uma REST API em sua empresa ainda permite utilizar diversas funcionalidades em seu site.

A principal delas, como não poderia deixar de ser em um sistema de troca de informações, é a integração com diferentes plataformas, como as redes sociais e os sistemas de pagamento. 

Isso é capaz de te dar, ainda, mais escalabilidade e ganhar confiança de seus usuários.   

Quais são os métodos usados em uma REST API?

Para fazer tudo isso, uma REST API se utiliza de alguns meios. Esses métodos de recursos são verbos, em inglês, que dizem quais as ações que o API deve realizar, de acordo com o pedido do usuário. 

  • GET: esse recurso é quando um usuário requisita dados para a API, que, por sua vez, busca essas informações na nuvem, disponibilizadas por outras plataformas, como as redes sociais. 
  • POST: essa ação acontece quando o usuário permite o envio de dados para serem processados em outros recursos. É como preencher um formulário web que, posteriormente, poderá servir para abastecer um requerimento.
  • PUT: já esse comando é utilizado para atualizar dados. 
  • DELETE: como não poderia deixar de ser, um recurso que é usado para apagar dados. 

Quais os critérios para uma API ser RESTful?

Os principais critérios para uma API ser RESTful são:

  • Uniform Interface
  • Stateless
  • Cacheable
  • Client-Server
  • Layered system

Uma vez que você não segue essas restrições, sua API não será RESTful, mas sim, apenas mais uma implementação RPC em cima do protocolo HTTP.

E, por falar em critérios, existe uma uma restrição que é geralmente menos atendida, a interface uniforme (Uniform interface). Mas, você sabe o que isso significa?

Bom, atingir uma interface uniforme significa alcançar 4 critérios:

1. Resource-based

Ao contrário de um  RPC, o REST tenta lidar com recursos em vez de métodos. Caso você esteja criando um post chamando /posts/create?title=lorem; você não está seguindo o padrão REST, isso por causa do tratamento de métodos na url.

Portanto, em situações assim, o ideal seria fazer uma chamada POST para a coleção de /posts.

2. Manipulation of resources through representations 

Aqui, o cliente acessa os recursos por meio de uma representação (JSON, XML, etc.), que contenha informação suficiente para manipular este no servidor, desde que tenha permissão pra isso. 

3. Self-descriptive Messages

Como o próprio nome diz, as respostas são auto-descritivas, contendo informações suficientes para que o cliente saiba como utilizá-las.

Usando HTTP, por exemplo, é necessário uma propriedade Content-Type incluída no cabeçalho para descrever que tipo de representação será utilizada.

 

4. Hypermedia as the engine of application state (HATEOAS)

A HATEOAS é um componente da arquitetura de aplicativos REST que o distingue de outras arquiteturas de aplicativos de rede. 

Com o HATEOAS, um cliente interage com um aplicativo de rede cujos servidores de aplicativos fornecem informações dinamicamente por meio da hipermídia.

Para que usar RESTs APIs?

Se depois de toda essa leitura, você estiver se perguntando sobre o porquê precisa usar o REST API, veja algumas vantagens que sua empresa terá ao usar esse recurso. 

Dados de clientes e servidor separados

Ainda há pouco, você leu sobre essa separação de dados entre cliente e servidor. 

Mas, é importante ressaltar que, dessa forma, você protege todo o armazenamento dessas informações, já que toda troca de comunicação entre a REST API é para troca de informações, pois não há tratamento de regras de negócio. 

Rapidez

De modo geral, toda API facilita a comunicação entre dois softwares. 

Isso faz com que o cadastro de um usuário faça essa ação de maneira muito mais rápida. Basta pegar o exemplo do login em uma plataforma de pagamentos clicando em um botão com “entrar com Facebook”. 

Melhorando a experiência do usuário em seu app ou site, ele certamente te dará mais autoridade, gerando escalabilidade em seu negócio. 

Agora que você está por dentro da REST API, nós temos uma dica para você. Dica não, DICAÇA! 

A API é uma maneira de automatizar processos em seu site, fazendo com que o usuário ganhe tempo e tenha uma experiência melhor em sua plataforma. 

E que tal você ter em sua ERP a ajuda do eNotas Gateway para impulsionar suas vendas? 

O eNotas Gateway gerencia automagicamente as instabilidades de um software de emissão de notas – muito conhecido em servidores municipais, por exemplo. 

Automatização é tudo, e para o eNotas é a alma do negócio! 

Rafael Versiani - Escritor, produtor de conteúdos, entusiasta da vida real e amante de ficção científica!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email.
Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.