Cupom Fiscal- Nota Fiscal
LEGALIZAÇÃO

Cupom fiscal e nota fiscal: entenda as diferenças e pare de confundir

Atualizado há mais de 1 semana

Confundir cupom fiscal com nota fiscal eletrônica é um erro que alguns empreendedores cometem. Isso porque os conceitos são parecidos, mas é preciso entender as suas diferenças e como eles são utilizados hoje em dia. 

Este conteúdo te explica mais sobre os termos e como eles são importantes para manter o negócio legalizado. Vamos lá?

O que é o cupom fiscal?

Comprovante que é emitido pelo Emissor de Cupom Fiscal (ECF). O cupom fiscal informa apenas os principais dados da transação, como:

  • informações da empresa;
  • local;
  • data e horário;
  • quantidades e descrições das mercadorias;
  • valores e forma de pagamento.

Veja um exemplo de cupom fiscal a seguir:

cupom fiscal

O ECF é um equipamento que não exige conexão à internet, por isso, você deve entender os seus pontos positivos e negativos. 

Como a web não é necessária para autenticar o cupom fiscal, o ponto de venda não deixa de operar caso haja alguma instabilidade ou falha com a internet. Porém, o ECF e as bobinas para impressão são caros.

Outro ponto negativo está relacionado à sua falta de mobilidade e de praticidade. Quem emite cupom fiscal não consegue enviar o documento fiscal por email e vender a partir de smartphones, tablets ou qualquer outro equipamento eletrônico. 

O que é a nota fiscal?

Documento eletrônico que autentica a venda de produtos e de serviços em nosso país. A nota fiscal deve conter todos os dados da transação, como:

  • CNPJ da empresa;
  • endereço da empresa;
  • data da operação;
  • valor do produto ou do serviço;
  • impostos recolhidos;
  • dados do comprador;
  • inscrição estadual ou municipal;
  • e muito mais.

Os três tipos de notas fiscais mais famosos são:

  • Nota Fiscal de Produto Eletrônica (NF-e)
  • Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e)
  • Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e)

A NFC-e é o documento que está substituindo o cupom fiscal em todo o país. Por ser uma nota estadual, cada unidade federativa tem regras diferentes para a sua emissão. Enquanto o Amazonas já concluiu todas as etapas de implementação da nota de consumidor, a NFC-e em MG ainda não é obrigatória para todos os empreendedores.  

O estado de São Paulo, por exemplo, exige a utilização do SAT, que documenta e valida as transações comerciais do varejo paulista. Saiba que o SAT assina o documento digitalmente e se comunica, via internet, com a Sefaz. Desde janeiro de 2018, todos os comerciantes são obrigados a utilizá-lo.

A presença do QR-code é um diferencial da NFC-e. A partir da leitura do código com a câmera de um celular, o contribuinte consegue comparar se o que foi transmitido à Sefaz condiz com os dados impressos. 

Abaixo, você pode ver como é uma NFC-e:

nota fiscal de consumidor

A NFC-e pode ser emitida por meio de uma Danfe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) em qualquer tipo de impressora. E, caso haja instabilidade na conexão com a internet, a NFC-e em contingência é utilizada.

Com este conteúdo, você entendeu mais sobre a nota fiscal eletrônica e como ela está substituindo o cupom fiscal em todo o país. Portanto, fique atento para saber se o seu estado já exige a sua emissão. 

Agora, continue com conosco e descubra mais sobre a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFCe)!

Gabriel Nascimento - Analista de marketing, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ilustração de personagem assinando newsletter

Receba conteúdos automágicos sobre o seu mercado por email em primeira mão!

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.