Gestão financeira empresarial: 10 dicas práticas para otimizar a sua

A gestão financeira é uma dos pilares mais importantes para a sustentação de um negócio. Afinal, toda empresa precisa ter um controle rígido das finanças e, assim, evitar erros primários. À medida que o negócio cresce, aumenta também a complexidade do assunto, por isso, saber gerir é fundamental.

Nesse sentido, é preciso extrair o máximo do conceito de gestão financeira. O empreendedor precisa estar ciente do passo a passo para tornar as finanças mais saudáveis. Práticas como comprar mais do que vender e ignorar indicadores de resultados não são toleráveis quando se espera resultados.

Afinal, por meio do acompanhamento constante por parte do empreendedor, pode-se obter informações que contribuam para o planejamento do negócio. Isso permite a correta administração dos recursos financeiros, o que viabiliza o fortalecimento no mercado. Do mesmo modo, proporciona o crescimento e a realização de novos investimentos.

Embora um pequeno negócio não seja uma miniatura de uma grande empresa, é importante que o empreendedor tenha conhecimentos amplos. E entre eles está o controle financeiro.

A má gestão financeira está entre os responsáveis pela alta taxa de falência de pequenas empresas. Por isso, acompanhe as dicas que separamos para otimizar a gestão financeira do seu negócio.

Entenda o que é gestão financeira

Antes de mais nada, é preciso definir o que se espera de uma boa gestão financeira. Alguns empreendedores acreditam que o simples fato de gastar pouco e ter lucros razoáveis configura uma boa gestão financeira. Não é bem assim.

A gestão financeira pode ser definida como um conjunto de propostas e ações que visam potencializar a economia de um empreendimento. Nesse sentido, ela inclui análises, avaliações, decisões e estratégias relacionadas à captação, manutenção e administração de recursos econômicos.

Você tem noção de onde está concentrada a maior parte do dinheiro de sua empresa? E o que gera mais despesas? Sabe quais atitudes têm feito seu negócio perder dinheiro?

Se responder essas perguntas for um tanto difícil, é sinal de que não há um bom controle da gestão financeira empresarial. Nesse cenário, diversos itens podem ser observados. Por isso, veja 10 estratégias para cuidar da saúde financeira do seu negócio.

10 práticas para otimizar a gestão financeira de um negócio

1. Controle os gastos

Primeiramente, é preciso colocar na ponta do lápis todos os gastos que o seu empreendimento tem tido. O que é essencial e o que pode ser otimizado? O que é gasto supérfluo e o que traz resultados? 

Para isso, comece a buscar uma maior eficiência no trabalho de todos os funcionários, pois uma equipe produtiva pensa e trabalha melhor. De repente, investir em capacitação e treinamento não será gasto, e sim investimento. Pense ainda em:

  • trocar equipamentos para modelos mais novos e econômicos;
  • pesquisar suprimentos com melhor custo-benefício;
  • adotar novas tecnologias, como a automação para Instagram e um emissor de nota fiscal eletrônica;
  • diminuir gastos que não são prioridades no momento.

2. Organize o fluxo de caixa

Junto ao controle de gastos, é preciso administrar corretamente as entradas, as saídas, as receitas e as despesas do caixa. Soma-se a isso, evitar erros comuns.

Por meio do fluxo de caixa, é possível, por exemplo, projetar resultados a curto e longo prazo. Ele é importante por fornecer elementos que podem subsidiar o processo de planejamento e a tomada de decisões.

Uma boa gestão é feita periodicamente, seja por dia, semana, quinzena ou mês. Ela pode indicar o momento apropriado para captar e aplicar recursos.

No entanto, para uma gestão financeira eficiente, é necessário investir em tecnologia e bons profissionais.

3. Fique de olho nos tributos

Outra prática essencial a ser trabalhada pelos empreendedores é a questão tributária. Por isso, prever uma verba para o pagamento de tributos obrigatórios é uma maneira inteligente de trabalhar com finanças.

Não dá para fugir dessas obrigações que, se atrasadas, podem gerar juros e multas. Além do mais, sonegar impostos é crime, ok? 

Por isso, é necessário conhecer todos os valores envolvidos nesse processo. Inclusive, é preciso considerar a tributação até na hora de definir os preços dos produtos e serviços. Só assim, o empreendedor passa a ter lucros suficientes para investir no empreendimento.

Lembre-se de que o contador é o profissional ideal para ajudá-lo nesses momentos. 

4. Analise resultados constantemente

Para atingir bons resultados, é necessário estabelecer rotinas e acompanhar o que acontece no mercado. Porém, olhar para dentro é ainda mais importante.

Afinal, uma gestão financeira não é um processo fechado que tem início, meio e fim. Na verdade, ela pode ser vista como um círculo. Nele, é necessário investir constantemente em estratégias e na análise contínua dos resultados.

Assim sendo, é possível identificar quais estratégias funcionam ou não. Isso garante que você tenha elementos e informações que permitam mudar certas posturas e adotar novas medidas.

5. Faça análises de desempenho

Muitos empreendedores não valorizam a análise de informações e de desempenho, e esse pode ser um erro crucial. Registrar as informações é importante, mas analisar o que essas informações têm a dizer é mais relevante ainda.

Afinal, por meio das análises de desempenho, pode-se compreender todo o processo e o que pode ser melhorado. Isso garante a sustentação de um negócio saudável financeiramente.

6. Crie projeções para diferentes cenários

Operar sempre no azul é o sonho de qualquer empreendedor, mas, e quando as coisas não saem como o esperado? Já dizia o ditado: seguro morreu de velho. Em um mundo onde a recessão é iminente, é preciso estar preparado para diferentes cenários — inclusive de crise.

Nesse sentido, vários negócios chegam ao fim por não conseguirem superar turbulências financeiras. Embora muitos conselhos sejam óbvios, na prática, a aplicação deles requer disciplina, persistência e ação.

Durante um momento de crise, é importante ter um controle ainda mais apurado do negócio. O fluxo de caixa que antes era feito semanalmente, por exemplo, pode ser diário. Assim, é possível identificar as prioridades financeiras e tomar as medidas necessárias com antecedência.

Se a situação chegar ao extremo, o empreendedor pode:

7. Monitore o estoque

Outro erro muito comum é a falta de controle de estoque para empreendimentos que trabalham com venda de produtos. Já aquelas que comercializam serviços também devem ter uma reserva dos suprimentos usados. Nesse sentido, um monitoramento mal feito pode comprometer uma empresa, já que mantém parado um valor de investimento.

A regra é clara. Um estoque não pode ter muitos itens parados, mas também não pode ter itens em falta. Sem um estoque completo, com tudo o que é necessário ter, a empresa pode perder muito dinheiro. Dessa forma, o ideal é manter um equilíbrio.

Por isso, é tão importante analisar os resultados constantemente. Assim, saber a quantidade de produtos que suprem a demanda por um determinado período se torna mais fácil.

8. Organize documentos 

Se o seu negócio lida com muitos papéis que, naturalmente, se perdem de mão em mão, essa dica é para você.

A desorganização de documentos fiscais e contábeis é um erro comum em empresas que não utilizam softwares de gestão. Inclusive, isso pode causar problemas com os órgãos fiscalizadores da administração pública.

Por isso, o empreendedor pode adotar medidas que permitam uma boa organização dos documentos que precisam estar disponíveis para consulta, como é o caso dos diferentes tipos de notas fiscais.

9. Separe as contas pessoais das contas da empresa

Ainda sobre organização, é comum encontrar empreendedores que misturam as contas pessoais com as contas do negócio. Esse erro acontece, principalmente, quando o empreendedor é a mesma figura que realiza a gestão financeira.

Misturar as contas é uma prática que pode ser negativa, pois onera o fluxo de caixa e pode comprometer o funcionamento da empresa. Além disso, pode prejudicar o capital de giro.

Assim, essa prática pode ser facilmente adotada com a automação e o uso de sistemas de gestão virtuais.

Se houver dificuldades nessa organização, vale a pena buscar o auxílio de um contador para auxiliar na divisão e transição das despesas.

10. Automatize os pagamentos

As novas tecnologias, como ERPs e plataformas, foram feitas para facilitar a vida do empreendedor. 

Hoje em dia, é praticamente impossível pensar na gestão de qualquer empresa sem o uso da inovação. Nesse sentido, sistemas informatizados contribuem para a redução do tempo de execução das tarefas de rotina e avaliação de resultados.

Portanto, a tecnologia é essencial para deixar a gestão financeira mais eficiente, prática e rápida. 

Um exemplo é o intermediador de pagamento. Ele oferece ao empreendedor a possibilidade de receber pagamentos de uma forma 100% online. Ainda fornece informações que podem ser utilizadas por outras áreas da empresa, como relatórios de inadimplência e de pagamentos.

O sistema possui facilidade de integração com lojas virtuais. Dessa forma, é possível, por exemplo, emitir e enviar cobranças únicas ou recorrentes por e-mail. A garantia de segurança nas transações é alta, de forma a melhorar a experiência de compra e a relação dos clientes com a marca. 

Deseja saber mais sobre como potencializar os resultados econômicos e financeiros do seu negócio? Baixe este e-book com um checklist de rotinas para gestão financeira

Este artigo foi produzido pela Gerencianet!

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing apaixonado pela produção de conteúdo, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>

Vou te mostrar como gerar centenas de milhares de visitas em seu blog sem gastar com anúncios

Gabs