Como controlar a ansiedade no trabalho?

Dentre os problemas que surgem por causa do dia a dia, a ansiedade no trabalho é um dos que mais afetam as pessoas no mundo. 

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), em 2016, 33% da população mundial sofria com esse transtorno psíquico. Se trazer esses dados para um recorte nacional, a coisa piora para o nosso lado. 

Isso porque, para a Organização Nacional da Saúde, o Brasil é o país com mais pessoas ansiosas no mundo: cerca de 18,6 milhões de pessoas (9,3% da população) são diagnosticadas com essa doença.

E não é muito difícil de se imaginar que boa parte desse número sofre influência do ambiente de trabalho. Por isso, gestores das mais diversas áreas devem se atentar sobre a “salubridade”, por assim dizer, que sua empresa oferece ao empregado. 

Por outro lado, os próprios colaboradores podem se prevenir e combater esse mal que assola tanta gente no mercado. 

Continue neste post e saiba mais sobre um assunto tão delicado, mas importante ser tratado: o perigo por trás dessa patologia, o que a causa, quais são os sintomas e como evitá-la.

Quais são os riscos da ansiedade no trabalho?

Como qualquer problema, sobretudo relacionado à saúde, a ansiedade no trabalho traz sérios perigos. Mas antes, é preciso estabelecer o seguinte: não confunda ansiedade pelo mero sentimento de expectativa sobre algo. 

A primeira é uma patologia séria e que merece muita atenção tanto de quem a possui quanto para as pessoas em seu entorno. Já a ansiedade por expectativa de algo não é algo que necessariamente seja ruim. Aliás, ela é natural, já que prepara a pessoa para grandes questões de vida, como o nascimento de um filho.

Claro, essa pode ter por consequência a outra e, neste texto, você lerá exatamente sobre quando isso for um problema. 

A ansiedade no trabalho, aliás, não é uma questão com resultados ruins apenas para a corporação. Esse é um mal que afeta tanto a produtividade da pessoa quanto as questões de cotidiano. É por isso ela deve ser levada muito a sério. 

E uma das principais consequências para uma pessoa ansiosa, no trabalho, é exatamente no foco. Os ansiosos se sentem constantemente ameaçados e deixam de produzir melhor. E sem foco, a produtividade cai. 

A qualidade de vida também fica seriamente comprometida. O colaborador pode se sentir incapaz de executar tarefas simples, e a jornada de trabalho se transforma em um fardo, o que compromete, inclusive, no ambiente.

A pessoa ansiosa também é mais distraída e tem sua memória afetada, ocasionando erros de execução de atividades consideradas mais corriqueiras e fáceis de serem realizadas. 

E não para por aí. 

Como identificar a ansiedade no trabalho e suas consequências?

Mas é claro que o perigo não mora apenas na questão de desempenho de sua empresa, ou de onde você trabalha. As reais ameaças estão, claro, para o próprio paciente em sintomas que, se não forem tratados, podem evoluir para problemas maiores. 

Dentre esses sintomas, pode-se citar:

  • tontura; 
  • falta de ar;
  • taquicardia; 
  • insônia;
  • gagueira; 
  • desmaios; 
  • sudorese;
  • tremores;

Esses sintomas são o indício de consequências mais graves, como esgotamento mental, gastrite, hipertensão, estresse, alergias e até mesmo a depressão. 

Como controlar a ansiedade?

É claro que a ansiedade não é um problema diretamente relacionado ao trabalho, mas muito de suas causas podem estar associadas à rotina desgastante em empresas. 

Por isso, veja algumas dicas que podem fazer você controlar a ansiedade no trabalho.

Identifique a causa

O que te deixa ansioso? Ter essa resposta é o melhor ponto de partida para se tratar a ansiedade. 

E, para descobrir isso, é preciso rever todos os seus hábitos, incluindo atividades que você realiza até as atitudes tomadas ao longo do dia. Esteja atento quanto aos momentos em que os sintomas se manifestam. 

Pode ser um prazo curto para entregar uma demanda, uma atividade passada ineficientemente, a presença de determinados colegas e até mesmo o caminho que você faz para trabalhar.

Seja organizado

A organização em seu emprego é um dos fatores que mais ajudam a concentração e foco. Por isso, é imprescindível que o local em que desempenha suas tarefas seja organizado, limpo e que permita que você encontre algo assim que precisar. 

Livre-se de papéis, lixo, objetos que não usa mais em sua mesa de escritório, por exemplo. 

Essas atitudes, ainda que pequenas e de rotina, são essenciais para uma vida menos agitada ao longo do dia. E evitam desgastes que podem dar dores de cabeça, como não saber onde está uma anotação importante. 

Utilizar sistemas que automatizam processos é uma boa ideia nessas horas. Um ERP ou até mesmo ferramenta de automação de email marketing ajudam a reduzir tarefas repetitivas, tornando o seu dia a dia mais leve.  

Faça pausa

Todo mundo sabe que o ritmo do dia nem sempre permite que você fique tranquilo o suficiente para parar e respirar um pouco. Mas é fundamental que se faça isso para evitar não apenas a ansiedade no trabalho, como também fluir melhor na produtividade e realizar atividades precisamente.

Essas pausas podem ser para um café, um momento de descontração com outros colegas ou apenas para esticar as pernas. 

Você se sentirá mais leve e os sintomas do transtorno serão aliviados. Além de voltar com um pouco mais de ânimo para a jornada. Por isso, mesmo que a agitação seja muito intensa, tente, sempre, parar e respirar um pouco. 

Priorize!

Prioridades: elas existem para não só organizar suas metas, ideias e atividades.

Defina quais são as tarefas mais importantes do dia, da semana e do mês... algo que faça sentido para sua jornada e para você desenvolver melhor todo o processo de trabalho. 

É interessante estabelecer também o tempo que levará para realizar cada atividade e que, claro, o respeite. E não esqueça de pensar nas pausas (não se esqueceu delas, não é?). 

Isso te ajuda a atingir melhor suas metas, evita imprevistos, controla a ansiedade no trabalho e torna o seu dia a dia mais organizado.

Não se esqueça de... você!

Essa dica é para que se reflita sobre limitações e necessidades. Não é defeito algum reconhecer uma falha ou uma falta de aptidão para algo. 

Se realmente não souber realizar algo: fale! Não abrace o mundo, não coloque tudo sobre seus ombros e pense em sua saúde mental, que pode sofrer muito se acumular tarefas. 

Nesse sentido, não se esqueça que você é um ser com limitações e que requer, sim, melhorias. Ciente disso, suas atividades são melhor controladas e a angústia em busca de um ritmo acelerado e perfeito será menor. 

Evite procrastinar

A procrastinação é inimiga da organização, do prazo, das metas, da assertividade... de tanta gente que você não estaria de fora dessa listinha. 

Se mantenha longe, portanto, do “depois eu faço” ou “vou deixar para amanhã”. Essa postergação só atrapalha seu ritmo habitual e alimenta todos os motivos para o surgimento da ansiedade no trabalho.

Você ganhou tempo com aquela reunião cancelada? Que ótimo! Antecipe outras demandas, redefina suas metas e mãos à obra! Claro, faça isso sempre respeitando o seu próprio ritmo, as pausas e aquele momento para organizar suas tarefas. 

Repense sua vida fora do trabalho

A ansiedade pode até ser no trabalho, mas as consequências extrapolam os limites da empresa em que trabalha. 

E é por isso que você precisa repensar hábitos em casa, com sua família e amigos.

Avalie se há algo, em seu dia a dia, que possa te deixar mais ansioso. Muitas vezes é uma companhia tóxica, problemas de relacionamento ou familiar. 

Nesse cenário, é importante até mesmo repensar sua alimentação, mas sobre esse tipo de hábito, tem um tópico especial.

Mantenha-se saudável

Agora, é hora para parar e pensar sobre sua saúde em outros aspectos. Alimentação e atividades físicas, principalmente. A ansiedade no trabalho pode estar atrelada a descuidos simples.

E, para isso, é preciso realizar atividades físicas, mesmo que seja uma caminhada de 20 minutos na praça da esquina. 

A sua alimentação precisa ser equilibrada. Fast-food e guloseimas devem ser cortadas — principalmente no início.  Diminua esses consumos e priorize uma alimentação mais natural. Com o passar do tempo, você entenderá os seus limites e saberá a hora certa de aquele chocolate no final de semana.

Seja positivo!

Bom, todo mundo sabe que, atualmente, as notícias não são lá muito boas. Sejam questões políticas, sociais, familiares ou até mesmo profissional. Sempre tem algo que te deixará para baixo. 

Ainda assim: força! Pense positivo. Pense na superação e que você é capaz de sair inteiro de cada situação negativa. Para ajudar, evite um pouco as redes sociais e os noticiários. Tenha um tempo próprio para eles, mas que seja pequeno. 

Vale, também, assistir filmes leves e positivos ou ter hobbies que propiciem o bem-estar. Não, não é para você viver no mundo da fantasia e ignorar seus problemas. É para saber que sim: é possível viver bem mesmo que o mundo não esteja a favor.

Procure um especialista

Se a ansiedade no trabalho é um problema que você não viu solução por aqui, ou de outras formas, pense em procurar uma ajuda médica. Profissionais da área da psicologia e psicanálise são os mais adequados para esse tipo de mal. 

Com eles, você encontrará maneiras de encarar esses problemas, de como aliviá-los e sim, superá-los, mesmo que pareça difícil. Não sinta vergonha nessa hora ou ache que seria um dinheiro mal gasto. Nunca é caro demais investir em VOCÊ! 

A ansiedade no trabalho é de fato um problema que deve ser levado muito a sério, tanto pela empresa quanto pelo próprio colaborador. E dentro da empresa, é fundamental oferecer as melhores condições para um ambiente saudável, que preserva a saúde de um funcionário. 

Para ter outras dicas como as desse post, que podem, ainda, te ajudar a crescer em números de vendas, que tal seguir o eNotas nas redes sociais? 

No Facebook, LinkedIn e no Youtube, há sempre numa novidade e textos primorosos que te ajudarão em muito em sua vida de empreendedor. Segue lá!

About the Author

Gabriel Nascimento - Analista de marketing, engenheiro civil por formação e eterno aprendiz de novos idiomas!

>