Boas práticas de finanças para startups e dicas para financiamento

Atualizado há mais de 1 semana

As finanças são o coração de uma empresa, já que ela dita o ritmo de evolução do negócio. Quando o assunto é startup, o setor tem ainda mais atenção, já que o potencial de crescimento é muito maior. 

Mas, como fazer um controle de finanças e um bom gerenciamento contábil para empresa com características tão próprias?

Fique nesse texto e veja mais sobre finanças para startups e dicas para um bom controle. 

O que é o controle de finanças em uma empresa? 

O termo pode ser definido como um equilíbrio. Um controle financeiro balanceia tanto os gastos e as despesas quanto a receita de uma empresa. 

Para isso, é necessário se pensar em curto, médio e longo prazos, analisando melhores investimentos, constituir um fundo de emergência, sempre considerando a realidade do empreendimento e seus objetivos.

O controle é realizado com índices e métricas que ajudam a retratar o fluxo de caixa, controla as saídas e as entradas de estoque, sem esquecer de mencionar os saldos bancários do empreendimento. 

Portanto, tudo o que é monetário e de patrimônio da empresa são considerados pelo controle de finanças para retratar, de modo sadio, as condições financeiras do negócio.

Por que as startups são diferentes de empresas comuns? 

Para falar sobre finanças para startup, é necessário fazer uma rápida definição desse tipo de empreendimento para entender não só a diferença para outros empreendimentos, como também o controle de finanças.

O SEBRAE diz que “uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.” Já é um caminho. 

Essa definição é semelhante à de Eric Ries, em seu livro “A Startup Enxuta”. O autor vai um pouco além, “Para que as decisões possam acontecer velozmente em um ambiente desse tipo, é preciso que ela seja… Enxuta.”

Grandes empresas, ao contrário, já estão bem estabelecidas no mercado, com produtos em desenvolvimento e, claro, junto ao público, de maneira consolidada.

E aqui, já há uma luz sobre o porquê de uma startup ter um controle financeiro de grandes empresas. 

Startups tendem a ter crescimento muito maior do que qualquer outra empresa porque elas nascem do 0, é claro. E isso requer de um controle financeiro muito rígido e cercado de atenção. 

Quais as dicas para um bom controle de finanças para startups?

Se você já entendeu que é necessário um controle financeiro diferenciado para a sua startup, deve querer algumas dicas para fazer um bom controle, certo?

Então veja 8 dicas para aplicar agora mesmo em sua empresa. 

Tenha um plano de negócio

Tudo em uma startup segue a linha tênue do risco. E para começar com qualquer dica, é preciso se falar em ter um plano de negócio.

Um bom plano de negócio. 

Esse documento é fundamental para a empresa e pode direcionar o controle financeiro para startup. Valor, missão, objetivos e todo o detalhamento dos objetivos do negócio. 

Dê atenção especial para as finanças mostrando os custos iniciais, as despesas e suas estimativas, e maneiras de como manter o fluxo de caixa saudável. 

Atenção ao fluxo de caixa

Sim, você acabou de ler sobre ele. E é preciso mesmo falar sobre fluxo de caixa.

Afinal, se as finanças são o coração do negócio, o fluxo de caixa são as veias e artérias. 

Deixando a metáfora anatômica de lado, é preciso fazer registro de tudo que entra e sai da startup, com o máximo de detalhamento possível.

O seu fluxo de caixa, junto a uma boa estratégia, claro, que ditará o que poderá ser direcionado para novos investimentos (leia-se, mirar o seu crescimento). 

Nunca misture conta pessoal com o do negócio

É um erro comum para muitos empreendedores de primeira viagem. Não é o seu caso, não é?

Prestar atenção nesse aspecto é importante. Pessoas que iniciam uma startup costumam fazer isso e, lá na frente, se complicar com relação às finanças da empresa. 

E isso gera prejuízo no bolso, no caixa e na imagem da empresa com possíveis investidores-anjos

Faça projeções

Esse aspecto foi citado indiretamente no tópico sobre plano de negócios. As projeções ajudam a acompanhar o desenvolvimento do crescimento da startup. 

Por mais que esse tipo de empresa tenha um crescimento acelerado, é imprescindível acompanhar essa velocidade. 

Para realizar isso, elabore análises em dados consolidados e confiáveis, com uma equipe financeira capacitada e alinhada com os objetivos da empresa.

Tenha um sistema de gestão

Um ERP é um amigo da boa gestão.

E boa gestão é tudo o que você deve fazer quando se trata de finanças para startups.

Esse sistema de gestão ajuda em toda a rotina da empresa, organizando processos, documentos, otimizando tempo, eliminando burocracias, erros estratégicos e, claro, esclarecendo questões sobre as finanças. 

Uma ERP pode parecer uma despesa inicialmente, ainda que no mercado, hoje, os preços sejam bem atrativos. 

Mas a longo prazo, você entenderá como essa aquisição é um grande investimento! 

Faça acompanhamento de indicadores de desempenho

Independentemente da velocidade de seu crescimento, ela precisa ser bem mensurada. Por meio dos indicadores, os investimentos são mais estratégicos e bem mapeados. 

Os principais que você pode usar para acompanhar são: 

  • Fluxo de Caixa Operacional (FCO);

  • Liquidez Corrente;

  • Lucratividade;

  • Rentabilidade;

  • Retorno sobre o Investimento (ROI);

  • Margem Bruta; 

  • Margem Líquida;

  • Margem EBITDA;

  • Retorno sobre o Patrimônio (ROE).

Tenha as documentações em dia

Essa pode ser uma parte mais burocrática, por mais que atualmente os documentos tenham suas versões eletrônicas. 

Da abertura às notas fiscais geradas, passando por documentos de colaboradores, mantenha tudo organizado para facilitar a consulta e manter sua startup legal. 

Muitas informações são requisitadas pelo Fisco, sobretudo aqueles referentes a impostos e tributos. 

Aliás, com uma boa ERP para contabilidade, esse gerenciamento de documentos será muito facilitado.

Uma consultoria contábil também será bem-vinda nesse sentido.

Padronize processos

Uma ERP, mais uma vez ela, será também facilitadora da padronização de seus processos. 

E por que isso é importante?

A padronização de processo controla melhor as operações, reduz custos e facilita o entendimento de todo o time de colaboradores para desempenharem suas funções. 

Ter uma rotina na contabilidade bem padronizada, ajuda na eficiência, diminuindo o retrabalho e possíveis falhas. 

E falha é algo que definitivamente você não pode ter em uma startup.

Mas tem algo que você pode (e deve ter) quando o assunto é finanças para startups: segurança. Afinal, o risco, de novo, é uma linha tênue em que o empreendedor anda o tempo todo. 

Por isso, leia esse artigo sobre finanças digitais e como a segurança em um mundo cada vez mais tecnológico é assunto vital.

Jornalista e apaixonada por produzir conteúdo nos mais diferentes formatos. Nas horas vagas, é fotógrafa, viajante e mãe de suculentas.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos nossa tecnologia para dar mais liberdade às empresas que querem crescer rapidamente focando no que fazem de melhor no mundo, enquanto cuidamos de suas notas fiscais.