7 dicas para tirar a empresa do vermelho

Tirar a empresa do vermelho é um grande desafio para um empreendedor. Agir sem pensar, cortar custos de qualquer forma e deixar de pagar impostos são atividades que não ajudam nesses momentos. Por isso, é importante planejar e acompanhar as demandas dos clientes.

A correria do dia a dia não deve ser utilizada como uma desculpa para deixar as finanças de lado, principalmente, no início de sua jornada.

É preciso ter cuidado para evitar os seguintes erros:

  • iniciar sem fazer uma pesquisa de mercado para o seu nicho
  • agir sem ter os recursos financeiros e os equipamentos corretos
  • não investir em profissionais capacitados para executar funções
  • esquecer-se do investimento em marketing.

Saiba que, segundo o Serasa Experian, o número de requerimentos de falência teve uma queda de 29,8% no mês de setembro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017.

Isso mostra que há um cenário de melhora, mas ainda há um longo caminho a percorrer, já que as pequenas empresas são as que mais sofrem com problemas administrativos. Então continue com a gente e descubra 7 dicas para tirar a empresa do vermelho.

A importância do fluxo de caixa para recuperar a empresa

Fluxo de caixa é o histórico de todas as entradas e as saídas de recursos financeiros em um negócio, em determinado período.

É de extrema importância manter um fluxo de caixa, pois ele é uma ferramenta que fornece uma base para tomada de decisões estratégicas ao empreendimento, tanto para não entrar no vermelho quanto para sair.

Quando se tem bem detalhado o fluxo de caixa, é possível calcular os riscos, analisar o cenário atual e o futuro da firma, verificar a evolução das métricas de crescimento e de objetivos empresariais.  

Negócios são baseadas em números, e o fluxo de caixa te permite dar o primeiro passo para melhorar a sua situação financeira.

Estudando essas informações, ficam claras as dívidas e os gargalos que atrapalham o seu desempenho. Por isso, é essencial ter um fluxo de caixa atualizado. Você pode começar com uma planilha de Excel e, à medida que a gestão escalar, é possível contratar uma ferramenta mais robusta e completa. 

7 dicas para tirar a empresa do vermelho

Agora, você vai descobrir práticas que recuperam o seu negócio economicamente. Você verá que algumas dicas são complicadas, mas podem ser aplicadas ainda hoje em sua rotina.

1. Invista em um contador

Inicialmente, as contas de uma empresa parecem simples de serem gerenciadas. Porém, a partir do momento que você começa a ter mais responsabilidades, as despesas podem sair do seu controle.

Além disso, as questões tributárias são complicadas. No Brasil, existem inúmeros tributos e leis que você deve respeitar. Quem deixa esse assunto de lado pode receber intimações fiscais e correr sérios riscos de ficar no vermelho.

Por isso, você precisa contratar um contador para que todas as dívidas sejam resolvidas, analisando o fluxo de caixa, as pendências e também qual a margem para resolução desses problemas que sua empresa possui.

Caso necessário contrate um advogado também, ele pode te ajudar com as questões jurídicas.

2. Acompanhe diariamente o fluxo de caixa da empresa

Agora que você já sabe o que é o fluxo de caixa e qual é a sua importância, é necessário que o acompanhe diariamente.

A partir disso, você terá total controle de:

  • entradas e saídas de recursos financeiros;
  • valores disponíveis para negociação;
  • métricas de ações que estão ativas;
  • dívidas;
  • estoque disponível e necessário;

3. Renegocie suas dívidas

Renegociar dívidas é essencial nesse cenário.

Antes de tomar qualquer atitude, faça um bom planejamento financeiro, a fim de garantir que tudo o que foi negociado seja cumprido.

Sem o planejamento antes de renegociar as dívidas, você pode entrar em uma bola de neve e não cumprir o que foi acordado no contrato — e isso piora a sua credibilidade no mercado.

Além do mais, é preciso ter cuidado com os juros abusivos em empréstimos. Alguns empreendedores aceitam propostas que não conseguem arcar. Sempre pense no longo prazo e não seja imediatista. Veja em quanto tempo será pago e como o parcelamento onera o seu orçamento.

Veja algumas dicas para colocar essa estratégia em prática:

  • reestruture o orçamento da empresa para que tenha os valores bem definidos;
  • defina prioridades de quitação e de compra e fuja dos exageros;
  • se atente aos prazos de pagamento para garantir credibilidade e crédito no futuro;
  • tenha cuidado com as despesas não explícitas, como multas.

4. Contenha gastos desnecessários ou supérfluos

Uma ação importante para tirar a empresa do vermelho é reduzir despesas.

Ações simples, como não deixar luzes acesas sem necessidade, economizar em água e telefone, já irão te ajudar bastante.

Para que isso aconteça, é necessário que toda a sua equipe esteja ciente da situação da empresa e que possa colaborar com você. Em caso de lojas físicas, você pode alugar um local menor, com um aluguel mais barato, por exemplo.

Alguns gastos são reduzidos drasticamente com a automatização de processos. Atividades realizadas manualmente consomem muito tempo e dinheiro de um empreendedor e de seu time.

Portanto, utilize ferramentas que automatizam os trabalhos em sua gestão. Um emissor automático de notas fiscais é uma boa opção para quem quer fugir da burocracia tributária e manter o negócio legalizado.

Com a automatização, além de reduzir o tempo gasto com as funções, também são reduzidos erros e imprevistos.

5. Acompanhe os indicadores da empresa

Todo empreendedor deve monitorar tudo que acontece na gestão. Por mais que você não participe de todos os processos, é essencial estar ciente do desempenho de todos os setores.

As métricas de vendas ou de tempo de resposta ao cliente são lembradas por muitos profissionais — e você não pode se esquecer dos indicadores de desempenho financeiros.

É fundamental dominar esse assunto e conhecer, por exemplo, qual é o capital de giro disponível para os investimentos do próximo mês.

Saber as diferenças entre lucratividade e rentabilidade é outro ponto importante também. Enquanto o primeiro mostra a margem de lucro do empreendimento, o segundo evidencia qual é o retorno sobre os investimentos feitos.

Ao analisá-los, você define preços com eficiência e entende se o seu ritmo de produção é viável.

6. Separar dívidas pessoais das empresariais

Um dos erros mais comuns em empresas de pequeno e médio porte é não distinguir as dívidas pessoais das empresariais. Tenha em mente que esse é um erro fatal!

O primeiro passo é separar as contas correntes do negócio e da pessoal. Se você ainda comete esse equívoco, termine de ler este post e converse com o gerente do seu banco imediatamente.

E isso não é o suficiente. Estabeleça retiradas e um limite para gastos, tanto em sua família quanto em seu trabalho. Na hora de definir o seu pró-labore, pense da seguinte maneira: “se eu tivesse que contratar alguém para fazer o meu trabalho, qual seria o salário ideal?”

Caso precise fazer uma compra e não tenha dinheiro suficiente no caixa, por exemplo, opte pelo adiamento ou pela redução do pedido, e assim não será necessário retirar da sua conta pessoal.

7. Aumentar o Ticket médio

Uma das ações que irão te ajudar bastante a alavancar seu negócio é o aumento do ticket médio. Esse indicador é a média do valor que cada cliente gasta comprando seu produto ou serviço.

Veja como aumentá-lo:

  • aumente o preço do produto: você não leu errado! A elevação de preços é uma medida direta para melhorar o ticket médio. Contudo, você deve tomar cuidado e não determinar um preço acima do mercado. Prove aos seus compradores que a qualidade do serviço ou que o valor agregado aumentou consideravelmente também.
  • crie programas de recompensa: a criação de sistemas que dão bônus, pontos e brindes a cada compra é outra opção para fomentar o aumento das vendas;
  • diminua custos variáveis: ao cortar despesas produtivas, você tem maior margem de lucro e tem mais capital para tirar a empresa do vermelho;
  • estabeleça descontos progressivos: o investimento feito para transformar um lead em cliente não pode ser desperdiçado após o momento da compra. Os descontos progressivos fazem com que o cliente coloque mais produtos no carrinho. Portanto, ofereça descontos e condições especiais de pagamento para quem compra mais.

Com o intuito de controlar o ticket médio dos clientes, você pode usar ferramentas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente). Elas te mostram quais consumidores são mais lucrativos, qual o produto tem o maior retorno financeiro.

Como consequência disso, você tem mais dados para criar estratégias focadas no aumento dessa métrica.

Conclusão

Neste post, você descobriu dicas importantes para tirar a empresa do vermelho e até mesmo como evitar essa situação em sua rotina.

Em alguns casos, você pode achar que está sem saída. Porém, saiba que é possível buscar ajuda de profissionais especializados, como um contador ou um advogado, para aconselhá-lo e ajudá-lo a encontrar as melhores soluções.

Outras questões estão relacionadas às mudanças em seu dia a dia. O corte de despesas é fundamental, mas ele não pode ser realizado de qualquer forma. O planejamento e a criação de um plano de ações devem ser suas prioridades nessas horas.

Pensar em automatizar processos é outra dica também. Ao eliminar processos manuais, você reduz custos e tem mais tempo para naquilo que realmente importa.

Quer aprender mais? Então continue com a gente e descubra como fidelizar clientes e encantar compradores!

About the Author

Larissa Ester - Estagiária de marketing, sempre em busca de aprendizado. Apaixonada por marketing digital e criação.

>